Scholarly article on topic 'Informação pré‐operatória ao paciente: podemos melhorar a satisfação e reduzir a ansiedade?'

Informação pré‐operatória ao paciente: podemos melhorar a satisfação e reduzir a ansiedade? Academic research paper on "Educational sciences"

CC BY-NC-ND
0
0
Share paper
Academic journal
Brazilian Journal of Anesthesiology
OECD Field of science
Keywords
{"Avaliação pré‐operatória" / "Informação ao paciente" / "Satisfação do paciente" / Ansiedade / "Preoperative assessment" / "Patient education" / "Patient satisfaction" / Anxiety}

Abstract of research paper on Educational sciences, author of scientific article — Jaime Ortiz, Suwei Wang, MacArthur A. Elayda, Daniel A. Tolpin

Resumo Justificativa e objetivos A falta de conhecimento dos pacientes em relação à anestesia e ao papel do anestesiologista em sua assistência pode contribuir para a ansiedade. O objetivo deste estudo foi desenvolver materiais explicativos para o paciente sobre a anestesia que poderiam ajudar a melhorar a satisfação do paciente em relação ao seu conhecimento do processo perioperatório e a diminuir a ansiedade em hospital comunitário com uma grande população de língua espanhola. Métodos Durante quatro semanas, uma pesquisa (Pesquisa A) em inglês e espanhol foi feita no período pré‐operatório com todos os pacientes adultos que seriam submetidos à anestesia. Os dados foram analisados e, posteriormente, um folheto explicativo foi desenvolvido em inglês e espanhol para esclarecer as principais preocupações dos pacientes. Uma segunda pesquisa (Pesquisa B) foi feita após a colocação do folheto explicativo em uso na clínica. A pesquisa investigou as informações demográficas básicas e incluiu perguntas sobre a satisfação relacionada à compreensão da anestesia, bem como as preocupações com a cirurgia e a dor. Resultados Nos pacientes que receberam o folheto houve melhoria estatisticamente significativa em relação às perguntas sobre a satisfação com a compreensão do tipo de anestesia, as opções para o controle da dor, o que os pacientes deveriam fazer no dia da cirurgia, bem como a quantidade de informações prestadas sobre o plano anestésico. Não houve diferença na ansiedade relacionada à cirurgia entre os pacientes que receberam e os que não receberam o folheto educativo. Conclusões Os folhetos explicativos melhoraram a satisfação do paciente em relação ao conhecimento do processo perioperatório, mas não reduziram a ansiedade relacionada à cirurgia. Abstract Background and objectives Patients’ knowledge deficits concerning anesthesia and the anesthesiologist's role in their care may contribute to anxiety. The objective of this study was to develop anesthesia patient education materials that would help improve patient's satisfaction regarding their knowledge of the perioperative process and decrease anxiety in a community hospital with a large Spanish‐speaking population. Methods A survey (Survey A) in English and Spanish was administered to all adult anesthesiology preoperative clinic patients during a 4‐week period. The data were analyzed and then a patient education handout was developed in both English and Spanish to assist with our patients’ major concerns. A second survey (Survey B) was administered that was completed after the education handout had been put into use at the clinic. The survey asked for basic demographic information and included questions on satisfaction with regard to understanding of anesthesia as well as worries regarding surgery and pain. Results In the patients who received the handout, statistically significant improvement was found in the questions that asked about satisfaction with regard to understanding of type of anesthesia, options for pain control, what patients are supposed to do on the day of surgery, and the amount of information given with regard to anesthetic plan. There was no difference in anxiety related to surgery in patients who received the educational handout compared to those patients who did not. Conclusions Patient education handouts improved patient's satisfaction regarding their knowledge of the perioperative process but did not reduce anxiety related to surgery.

Academic research paper on topic "Informação pré‐operatória ao paciente: podemos melhorar a satisfação e reduzir a ansiedade?"

Rev Bras Anestesiol. 2015;65(1):7-13

REVISTA BRASILEIRA DE ANESTESIOLOGIA

REVISTA BRASILEIRA DE

^A^^^E^^^T T^E^SI^^^T Publicapao Oficial da Sociedade Brasileira de Anestesiología

ARTIGO CIENTÍFICO

Informado pré-operatória ao paciente: podemos melhorar a satisfago e reduzir a ansiedade?

Jaime Ortiza*, Suwei Wangb, MacArthur A. Elaydab e Daniel A. Tolpinc

a Departamento de Anestesiología, Baylor College of Medicine, Houston, EUA

b Divisao de Bioestatística e Epidemiología, Texas Heart Institute, St. Luke's Episcopal Hospital, Houston, EUA c Departamento de Anestesiologia, Texas Heart Institute, St. Luke's Episcopal Hospital, Houston, EUA

Recebido em 24 de junho de 2013; aceito em 15 de julho de 2013 Disponível na Internet em 28 de outubro de 2014

PALAVRAS-CHAVE

Avaliacao

pré-operatória;

Informacao

ao paciente;

Satisfacao

do paciente;

Ansiedade

Resumo

Justificativa e objetivos: A falta de conhecimento dos pacientes em relacao a anestesia e ao papel do anestesiologista em sua assistencia pode contribuir para a ansiedade. O objetivo deste estudo foi desenvolver materiais explicativos para o paciente sobre a anestesia que poderiam ajudar a melhorar a satisfacao do paciente em relacao ao seu conhecimento do processo peri-operatório e a diminuir a ansiedade em hospital comunitário com uma grande populacao de língua espanhola.

Métodos: Durante quatro semanas, uma pesquisa (Pesquisa A) em ingles e espanhol foi feita no período pré-operatório com todos os pacientes adultos que seriam submetidos a anestesia. Os dados foram analisados e, posteriormente, um folheto explicativo foi desenvolvido em ingles e espanhol para esclarecer as principais preocupacoes dos pacientes. Uma segunda pesquisa (Pesquisa B) foi feita após a colocacao do folheto explicativo em uso na clínica. A pesquisa inves-tigou as informacoes demográficas básicas e incluiu perguntas sobre a satisfacao relacionada a compreensao da anestesia, bem como as preocupacoes com a cirurgia e a dor. Resultados: Nos pacientes que receberam o folheto houve melhoria estatisticamente significativa em relacao as perguntas sobre a satisfacao com a compreensao do tipo de anestesia, as opcoes para o controle da dor, o que os pacientes deveriam fazer no dia da cirurgia, bem como a quantidade de informacoes prestadas sobre o plano anestésico. Nao houve diferenca na ansiedade relacionada a cirurgia entre os pacientes que receberam e os que nao receberam o folheto educativo.

Conclusoes: Os folhetos explicativos melhoraram a satisfacao do paciente em relacao ao conhe-cimento do processo perioperatório, mas nao reduziram a ansiedade relacionada a cirurgia. © 2013 Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Publicado por Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados.

* Autor para correspondencia. E-mails: jaimeo@bcm.edu, jaimeo@bcm.tmc.edu (J. Ortiz).

0034-7094/$ - see front matter © 2013 Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Publicado por Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados. http://dx.doi.org/10.1016Zj.bjan.2013.07.009

Preoperative patient education: can we improve satisfaction and reduce anxiety? Abstract

Background and objectives: Patients' knowledge deficits concerning anesthesia and the anesthesiologist's role in their care may contribute to anxiety. The objective of this study was to develop anesthesia patient education materials that would help improve patient's satisfaction regarding their knowledge of the perioperative process and decrease anxiety in a community hospital with a large Spanish-speaking population.

Methods: A survey (Survey A) in English and Spanish was administered to all adult anesthesiology preoperative clinic patients during a 4-week period. The data were analyzed and then a patient education handout was developed in both English and Spanish to assist with our patients' major concerns. A second survey (Survey B) was administered that was completed after the education handout had been put into use at the clinic. The survey asked for basic demographic information and included questions on satisfaction with regard to understanding of anesthesia as well as worries regarding surgery and pain.

Results: In the patients who received the handout, statistically significant improvement was found in the questions that asked about satisfaction with regard to understanding of type of anesthesia, options for pain control, what patients are supposed to do on the day of surgery, and the amount of information given with regard to anesthetic plan. There was no difference in anxiety related to surgery in patients who received the educational handout compared to those patients who did not.

Conclusions: Patient education handouts improved patient's satisfaction regarding their knowledge of the perioperative process but did not reduce anxiety related to surgery. © 2013 Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Published by Elsevier Editora Ltda. All rights reserved.

KEYWORDS

Preoperative assessment; Patient education; Patient satisfaction; Anxiety

Introdujo

Um dos objetivos da visita do anestesiologista no pré--operatório é tranquilizar o paciente e reduzir a ansiedade.1 A ansiedade foi associada a várias respostas fisiopatológi-cas, como hipertensao e arritmias, que podem aumentar a morbidade no perioperatório.2 A falta de conhecimento dos pacientes sobre a anestesia e sobre o papel do anestesio-logista em seus cuidados pode contribuir para esses medos e ansiedades. Pesquisas anteriores sobre anestesia revela-ram que os pacientes sentem muito medo de morrer durante a anestesia (8-55%), de despertar durante a anestesia (554%) e de sentir dor (5-65%) e náusea (5-48%) no período pós-operatório.1,3

Os pacientes geralmente recebem apenas uma visita de um membro da equipe de anestesia antes da cirur-gia. Essa visita pré-operatória acontece na clínica antes da cirurgia ou na noite anterior á cirurgia, caso os pacientes estejam internados. Alguns pacientes, especialmente aqueles considerados saudáveis ou que serao submetidos a procedimentos sem complicares, talvez só encontrem um membro da equipe de anestesia logo antes da cirurgia. Devido ás interacoes limitadas entre pacientes e anes-tesiologistas, métodos diferentes de comunicacao foram usados para transmitir informacoes sobre anestesia aos pacientes, incluindo folhetos, vídeos e internet. Fitzgerald e Elder4 relataram que um folheto simples (uma página) com informaccoes sobre a anestesia e discussoes sobre os medos comuns dos pacientes associados á anestesia e cirurgia resultou em uma reduccao estatisticamente significativa dos medos dos pacientes em até 40% dos pacientes estudados. Outros pesquisadores relataram resultados positivos após a apresentaccao de um vídeo aos pacientes antes da cirurgia com informacoes sobre a anestesia.1,5,6

Nao temos conhecimento de qualquer estudo anterior que tenha avaliado o conhecimento e os medos dos pacientes sobre anestesia e que tenha sido feito em hospital comuni-tário com uma grande populacao de língua espanhola. Nossa hipótese foi que o desenvolvimento e o uso de materiais explicativos sobre a anestesia em ingles e espanhol entregues aos pacientes antes da cirurgia ajudariam a melhorar a satisfaccao do paciente em relaccao ao seu conhecimento do processo perioperatório e a diminuir a ansiedade dentro do ambiente hospitalar comunitário.

Métodos

Desenvolvemos uma pesquisa para avaliar o nível de compre-ensao de nossos pacientes em relaccao á anestesia e á cirurgia e ao nível de ansiedade associada ao período perioperatório. Após a aprovacao do Conselho de Revisao Institucional, do Baylor College of Medicine, em fevereiro de 2010, nossa pesquisa foi administrada a pacientes que se apresentaram á clínica do Hospital Geral Ben Taub, durante quatro semanas em abril de 2010. O Conselho de Revisao Institucional dispen-sou a exigencia de assinatura em termos de consentimento. A pesquisa foi anónima e opcional e incluiu uma declaracao sobre o objetivo dela e o uso das informaccoes coletadas anonimamente apenas para fins de estudo. Ao concluir a pesquisa e enviá-la a seus anestesiologistas, os pacientes estavam dando seu consentimento para o estudo. Todos os pacientes com 18 anos ou mais receberam a pesquisa no momento em que chegaram á clínica pré-operatória e antes de receberem a visita de um membro da equipe de anestesiologia. Havia versoes da pesquisa tanto em ingles quanto em espanhol para acomodar a grande populaccao de língua espa-nhola em nosso hospital, que é de aproximadamente 40% da

populacao de pacientes. Os pacientes podiam escolher que versao preencher, caso falassem os dois idiomas.

O objetivo da Pesquisa A (fig. 1) foi obter dados preliminares sobre o conhecimento dos pacientes e sobre suas ansiedades que esperávamos melhorassem depois que os folhetos fossem colocados em uso. As perguntas foram criadas pelos

Drs. Ortiz e Tolpin, com o objetivo de abordar potenciais áreas de fraqueza. Os docentes locais também deram contribuicoes sobre o conteúdo das perguntas da pesquisa. As perguntas da Pesquisa A eram referentes á idade, ao genero, ao idioma principal e ao nível de escolaridade. Havia também questoes múltiplas sobre a satisfaccao do paciente

Anestesia

O que é a anestesia?

A anestesia é um medicamento aplicado para causar perda de sensaQáo e colocar o corpo todo para dormir.Existem quatro tipos de anestesia:

1. Anestesia Geral - AplicaQáo de medicamentos que faráo voce dormir e permanecer dormindo durante a cirurgia. Durante a cirurgia, voce nao sentirá nada.

2. Anestesia Regional - AplicaQáo de medicamentos para bloquear a dor em uma parte do corpo sem fazer voce dormir.

3. Anestesia local - AplicaQáo de medicamentos no local da cirurgia para deixar uma pequena área do corpo insensível.

4. Anestesia com assistencia anestésica monitorada - AplicaQáo de medicamentos para ajudar voce a relaxar durante o procedimento. Voce fica acordado e respirando normalmente.

A anestesia é segura?

Em geral, a anestesia é muito segura. Porém, cada pessoa é diferente e o risco variará de acordo com sua história médica e o tipo de cirurgia. Um membro de sua equipe de saúde irá explicar os riscos e beneficios da anestesia durante a visita pré-operatória que fará a voce. Sua equipe de saúde desenvolverá um plano que seja mais seguro para voce.

Quem aplica a anestesia?

A anestesia é aplicada por uma equipe de médicos e enfermeiros especializados em anestesia. Voce estará sob os cuidados de um médico em todos os momentos durante o procedimento ou cirurgia. A equipe também cuidará de voce na sala de recuperaQáo. Outros membros da equipe de saúde podem ser:

• Residente de anestesia - um médico em treinamento para se tornar um anestesiologista.

• Estudante de Medicina - um estudante em treinamento para se tornar um médico pode ser designado para ajudar a cuidar de voce. Eles estáo aprendendo sobre a prática da anestesia.

• Enfermeiro anestesista certificado e registrado (EACR) - um enfermeiro registrado que tenha concluido o treinamento especializado na prática da anestesia.

• Enfermeiro estudante de anestesiologia (EEA) - enfermeiro registrado que está recebendo formaQáo especializada em anestesia.

Quem cuidará de mim enquanto eu estiver sob anestesia?

Pelo menos um membro da equipe de anestesia estará com voce em todos os momentos durante a sua cirurgia. O membro da equipe irá monitorar sua pressáo arterial, coraQáo e os niveis de oxigenio em seu sangue. Eles se certificaráo de que voce está seguro durante a cirurgia.

Eu vou acordar durante o procedimento ou cirurgia?

É normal que as pessoas lembrem de partes do procedimento ou da cirurgia quando estáo sob certos tipos de anestesia. Quando a anestesia geral é usada, é raro alguém despertar ou lembrar de qualquer parte do procedimento ou da cirurgia. Por favor, converse com sua equipe de saúde, caso voce tenha alguma dúvida antes de seu procedimento ou cirurgia.

Figura 1 O que é a anestesia? Folheto explicativo para o paciente.

em relaçâo à compreensâo da anestesia, bem como suas preocupacoes com a cirurgia e a dor associada à cirurgia.

Os resultados da Pesquisa A foram usados para ajudar a desenvolver um folheto explicativo sobre a anestesia, que planejamos distribuir aos pacientes como parte da visita pré-operatória de rotina. O folheto foi enviado ao Comité Educativo do Harris County Hospital District para aprovacâo.

O folheto foi escrito em um nível de leitura equivalente à 6a série pelos autores e as versoes em inglés e espanhol foram aprovadas pelo Comité. Uma vez aprovados para uso, os folhetos foram distribuidos para todos os pacientes no momento da chegada à clínica pré-operatória. A figura 2 mostra uma cópia do folheto explicativo que foi desenvolvido e entregue aos nossos pacientes.

PESQUISA COM PACIENTES NO PRÉ-OPERATÓRIO (B)

Este questionário é parte de um projeto de pesquisa com o objetivo de melhorar a informagao recebida por nossos pacientes como parte da avaliagao anestésica e da preparagao para a cirurgia. A conclusao da pesquisa é inteiramente voluntária. Ao preencher e devolver o questionário ao seu anestesiologista, voce está dando o seu consentimento para a pesquisa.

IDADE:_ SEXO: M__ F_ IDIOMA PRINCIPAL: Ingles_ Espanhol_ OUTRO__

MAIOR GRAU DE ESCOLARIDADE OBTIDO: 1 - Inferior a 8a série 2 - Menos de 12 anos de estudo 3 - Ensino Médio

4 - Ensino Superior 5 - Pós-graduagao

Por favor, responda as seguintes perguntas:

1. Em que medida voce está satisfeito com sua compreensao da fungao de seu anestesiologista? 1-Pouco satisfeito 2- Relativamente satisfeito 3- Neutro 4- Satisfeito 5- Muito satisfeito

2. Em que medida voce está satisfeito com sua compreensao do tipo de anestesia que voce vai receber? 1-Pouco satisfeito 2- Relativamente satisfeito 3- Neutro 4- Satisfeito 5- Muito satisfeito

3. Em que medida voce está satisfeito com a compreensao de suas opgoes para o controle da dor após a cirurgia? 1-Pouco satisfeito 2- Relativamente satisfeito 3- Neutro 4- Satisfeito 5- Muito satisfeito

4. Em que medida voce está satisfeito com sua compreensao sobre o que voce deve fazer no dia da cirurgia? 1-Pouco satisfeito 2- Relativamente satisfeito 3- Neutro 4- Satisfeito 5- Muito satisfeito

5. Em que medida voce está incomodado ou preocupado porque vai ser submetido a anestesia? 1-Pouco preocupado 2- Relativamente preocupado 3- Neutro 4- Preocupado 5- Muito preocupado

6. Em que medida voce está incomodado ou preocupado com sua cirurgia?

1-Pouco preocupado 2- Relativamente preocupado 3- Neutro 4- Preocupado 5- Muito preocupado

7. Em que medida voce está incomodado ou preocupado sobre ficar acordado durante a cirurgia? 1-Pouco preocupado 2- Relativamente preocupado 3- Neutro 4- Preocupado 5- Muito preocupado

8. Em que medida voce está incomodado ou preocupado com sentir dor após a cirurgia?

1-Pouco preocupado 2- Relativamente preocupado 3- Neutro 4- Preocupado 5- Muito preocupado

9. Qual é a sua maior preocupagao sobre o dia de hoje?

1- Cirurgia 2- Anestesia 3- Dor 4- Náusea 5- Outros

10. Como voce classificaria a quantidade de informagao dada a voce sobre o seu plano anestésico? 1-Muito pouca 2- Pouca 3- Neutra 4- Boa 5- Excelente

11. Foi fácil ou difícil para voce encontrar informagoes sobre anestesia na internet? Se esta pergunta nao se aplica a voce, por favor, deixe-a em branco.

1-Muito difícil 2- Difícil 3- Neutro 4- Fácil 5- Muito fácil

12. Em que medida voce está satisfeito com os materiais escritos para ajudar a sua compreensao do tipo de anestesia que voce vai receber? 1-Pouco satisfeito 2- Relativamente satisfeito 3- Neutro 4- Satisfeito 5- Muito satisfeito

Figura 2 Pesquisas A e B. Como observado, a Pesquisa B tem a pergunta de n°. 12 adicional.

A Pesquisa B foi administrada aos pacientes por quatro semanas em setembro de 2011. Essa pesquisa foi concluida pelos pacientes após a revisao dos materiais explicativos, mas antes do encontro com um membro da equipe de anestesia. Como mostra a figura 1, a Pesquisa B diferiu da Pesquisa A ao incluir a Pergunta n°. 12 referente ao novo folheto.

Escolhemos um periodo de quatro semanas para cada pesquisa para obter uma amostra representativa de nos-sos pacientes agendados para cirurgia ambulatorial ou com alta no mesmo dia. Os dados da pesquisa foram expressos como média ± DP e a normalidade para os dados da pesquisa foi analisada com os testes de Shapiro-Wilk. Para os dados normalmente distribuidos, as diferencas nos escores entre as duas pesquisas foram comparadas com o teste t de Student. O teste nao paramétrico (teste de Wilcoxon) foi usado para comparar os dados da pesquisa que nao foram normalmente distribuidos. Para investigar as diferencas sobre a satisfacao ou a preocupacao entre as duas pesquisas, os dados pesquisados foram classificados como satisfatórios (escore da pesquisa >4) ou nao satisfatórios (escore <3) para as perguntas sobre a satisfacao. Para as perguntas sobre a preocupacao, os dados da pesquisa foram divididos em preocupado (escore > 4) ou nao preocupado (escore < 3). Testes do qui-quadrado foram feitos para comparar a frequencia de satisfacao e/ou de preocupacao entre as duas pesquisas. Todas as análises foram feitas com o uso do software SAS 9.1 (SAS Institute, Cary NC). Um valor de p < 0,05 foi considerado estatisticamente significativo para todas as análises.

Resultados

Os dados demográficos das populares de ambas as pesquisas sao apresentados na tabela 1. Nao houve diferenccas significativas entre os dois grupos pesquisados. As distribuicoes por faixa etária dos pacientes incluidos em ambas as pesquisas foram semelhantes e sao apresentadas na tabela 2. O escore médio de escolaridade foi de 2,6 e 2,7 e indicou que a média dos pacientes em nosso estudo nao tinha diploma de ensino médio. Além disso, 40% dos pacientes eram principalmente de l ngua espanhola e receberam a versao em espanhol da pesquisa e dos materiais. Digno de nota, os pacientes de l ngua espanhola e os de l ngua inglesa

Tabela 2 Distribuicao por faixa etária. Número de pacientes em cada faixa etária (por cento)

Faixa etária Pesquisa A (n = 206) Pesquisa B (n = 145)

18-20 8 (3,9) 3 (2,1)

21-30 16(7,8) 14(9,7)

31-40 18(8,7) 14(9,7)

41-50 50 (24,3) 36 (24,8)

51-60 58 (28,6) 43 (29,7)

61-70 34 (16,5) 25 (17,2)

>70 22 (10,7) 10 (6,9)

nao diferiram em relacao á média de idade (51 vs. 50,2 anos, p = 0,7). No entanto, os pacientes de lingua espanhola eram menos propensos a ser do sexo masculino (33,5% vs. 47,8%, p = 0,02) e mais propensos a relatar menos anos de escolaridade (2,23 vs. 2,86, p < 0,001) do que os pacientes de lingua inglesa na coorte do estudo.

Depois de concluir a Pesquisa A, um folheto explicativo foi desenvolvido e a Pesquisa B foi feita. A tabela 3 mostra o resumo dos resultados da pesquisa. O grupo de pacientes que concluiu a pesquisa após ler o folheto relatou uma satisfaccao significativamente maior com o entendimento do tipo de anestesia que receberia (Pergunta 2, 4,15 vs. 4,45, p = 0,0028). Além disso, esse grupo ficou significativamente mais satisfeito com a compreensao de suas opccoes para o controle da dor após a cirurgia (Pergunta 3, 3,98 vs. 4,33, p = 0,0027) e com o que deviam fazer no dia da cirurgia (Pergunta 4, 4,19 vs. 4,52, p = 0,0004). O segundo grupo de pacientes atribuiu um escore mais alto á quantidade de informacao recebida sobre o plano anestésico do que o grupo de pacientes que nao recebeu a apostila (Pergunta 10, 4,31 vs. 4,60, p = 0,0038).

Dados da questao 9, sobre o que mais preocupou os pacientes, apontam que em ambos os levantamentos A e B a cirurgia (33,2% vs. 35,8%, p = 0,62) e dor (36,5% vs. 34,3%, p = 0,96) foram as respostas mais comuns. Preocupacoes com anestesia ficaram em terceiro na lista (14,4% vs. 9,0%, p = 0,16). APergunta 11, referente á facilidade de encontrar informacoes na internet, foi respondida por apenas 32% dos entrevistados. Instru mos aos pacientes que nao usavam a internet para procurar informaccoes médicas que deixassem essa questao em branco. A satisfaccao dos entrevistados da

Tabela 1 Demografia da pesquisa

Variável Pesquisa A Pesquisa B p

(n = 206) (n = 145)

Idade média (DP) 51 (16) 51 (14) 0,59

Sexo %

Masculino 42 46

Feminino 58 54 0,44

Grau de escolaridade (escala 1-5)

Média (DP) 2,6 (1,1) 2,7 (1,1) 0,42

Idioma %

Ingles 59 61

Espanhol 41 39 0,57

Tabela 3 Resultados da pesquisa (Escala de Perguntas 1-5). Dados expressos como média (DP)

Pergunta Pesquisa A Pesquisa B p

1 4,35 (0,92) 4,53 (0,80) 0,5500

2 4,15 (0,99) 4,45 (0,78) 0,0028

3 3,98 (1,07) 4,33 (0,83) 0,0027

4 4,19 (0,94) 4,52 (0,72) 0,0004

5 2,38 (1,26) 2,35 (1,46) 0,4777

6 2,59 (1,28) 2,48 (1,45) 0,2939

7 2,70 (1,47) 2,46 (1,57) 0,1005

8 2,88 (1,37) 2,60 (1,44) 0,0523

10 4,31 (0,87) 4,60 (0,55) 0,0038

11 3,37 (1,27) 3,74 (1,06) 0,1673

Tabela 4 Porcentagem de pacientes que relataram satisfacao (escore >4/5) e/ou preocupacao (escore >4/5) na Pesquisas A e Pesquisa B

Pergunta Pesquisa A Pesquisa B Valor p

satisfacao % satisfacao %

N°1 85,3 95,2 0,002

N° 2 80,6 91,8 0,0034

N° 3 73,5 86,3 0,004

N° 4 80,6 94,5 0,0002

Pergunta Pesquisa A Pesquisa B Valor p

preocupaccao % preocupacao %

N° 5 21,8 24,7 0,52

N° 6 28,4 28,1 0,94

N° 7 32,7 30,7 0,61

N° 8 37,9 30,1 0,12

Pesquisa B com o folheto explicativo foi alta (Pergunta 12, média de 4,23 ±0,89).

A tabela 4 mostra a percentagem de pacientes que pon-tuou como 4 ou 5 as perguntas de 1 a 8 (satisfeito ou muito satisfeito, preocupado ou muito preocupado). Houve significativamente mais entrevistados que afirmaram estar satisfeitos ou muito satisfeitos nas Perguntas 1 a 4 da Pesquisa B (p<0,05). A média de satisfacao para as quatro perguntas combinadas passou de 80% na Pesquisa A para 92% na Pesquisa B. Nao houve diferenca estatisticamente significativa no percentual de entrevistados que relatou estar preocupado ou muito preocupado entre as Pesquisas Ae B.

Discussáo

Os autores pesquisaram uma amostra geral de pacientes em um hospital comunitário com uma grande populaccao de língua espanhola e descobriram que é preciso fornecer mais informacoes sobre a anestesia e o período perioperatório. Os resultados dessa pesquisa levaram ao desenvolvimento de um folheto explicativo para o paciente, o que resul-tou em uma melhoria significativa da satisfaccao do paciente em relaccao a sua compreensao sobre o papel do anestesi-ologista, os tipos de anestesia, as opccoes para o controle da dor e as instruccoes para o dia da cirurgia. O estudo nao descobriu diferencca significativa em relaccao ao tama-nho da ansiedade relacionada a cirurgia nos dois grupos pesquisados.

O grau de instrucao limitado sobre a saúde neste país é um problema crescente.7 Estima-se que 90 milhoes de pessoas nos Estados Unidos tem dificuldades para entender informacoes sobre saúde.8 Além disso, o americano médio le a partir do 8° ao 9° ano escolar e um em cada cinco americanos le a partir do 5° ano ou menos.9 Estima-se que esse nível baixo de instrucao em saúde acrescente 50-70 bilhoes de dólares ao custo anual dos cuidados de saúde no país.10 Portanto, é imperativo que todos os profissionais de saúde colaborem para fornecer informaccao aos pacientes por meio dos instrumentos disponíveis e em todas as oportunidades. Além disso, um esforcco especial deve ser feito para fornecer

informacoes médicas em um nível de leitura adequado para o paciente médio. Em nosso hospital, todos os documentos destinados aos pacientes sao escritos em nível nao superior ao 6° ano escolar.

O Censo de 201011 revelou que a populacao hispánica nos Estados Unidos subiu 16%, com estimativa de aumentar para 24% em 2050. No estado do Texas, onde este estudo foi concluído, 38% dos habitantes sao hispánicos.11 O for-necimento de informaccoes aos nossos pacientes em ambos os idiomas, ingles e espanhol, foi muito benéfico, considerando que a média dos pacientes pesquisados nao completou o ensino médio e 40% falavam principalmente espanhol. Combinar o nível de escolaridade mais baixo da populacao de nosso hospital com o aumento da populaccao de língua espanhola é um desafio, especialmente quando se trata de transmitir informaccoes importantes de saúde aos nossos pacientes.

Um estudo feito por Zach et al.12 relatou que mesmo os pacientes em populaccoes carentes de assistencia médica tem acesso á internet por meio de computadores e telefones celulares, mas sao menos propensos a usar a internet para buscar informaccoes sobre saúde do que o público em geral. Embora 72% dos pacientes pesquisados em seu estudo tivessem acesso a internet, apenas 21% usavam a internet para procurar informacoes sobre saúde.12 Em nossa pesquisa, instruímos os pacientes que nao usavam a internet para a busca de informaccoes sobre saúde a nao responder a essa pergunta específica. Apenas 32% de nossos pacientes responderam a essa pergunta. Embora existam vários sites dedicados a fornecer informacao sobre saúde, nossos resultados, bem como os resultados anteriores, sugerem que as pessoas que mais poderiam se beneficiar nao estao aces-sando essa informacao. Mesmo que alguns pacientes possam se beneficiar do acesso a informaccoes de saúde, como os folhetos explicativos, nao há garantia de que a informaccao na internet será lida ou entendida pelos pacientes no ambiente hospitalar comunitário. Portanto, um folheto ainda pode ser a maneira mais eficiente de se comunicar com os pacientes.

Mesmo tendo investigado o conhecimento e a ansiedade do paciente no período perioperatório, este estudo tem limitacoes. Primeiro, a pesquisa nao incluiu informacoes sobre experiencias anteriores com anestesia ou os níveis basais de ansiedade. Embora tenhamos optado por nao incluir essas perguntas na pesquisa, elas podem ser benéficas em pesquisas futuras e mais abrangentes sobre esse tema. Segundo, as perguntas em nossa pesquisa nao foram formalmente validadas. Embora o uso de um instrumento de pesquisa validado possa acrescentar mais poder as nos-sas conclusoes, acreditamos que os resultados deste estudo permanecem fundamentados.

Concluímos que um folheto explicativo escrito em nível de leitura apropriado e disponível em seu idioma principal resultou em uma melhoria significativa da satisfaccao do paciente em relaccao a sua compreensao do papel do aneste-siologista, dos tipos de anestesia, das opccoes para o controle da dor e das instrucoes para o dia da cirurgia. Estudos futuros sao necessários para explorar o impacto de melhorar o conhecimento do paciente sobre o processo perioperatório em ambiente hospitalar comunitário. Além disso, estudos futuros sao necessários para entender qual é a melhor forma de se comunicar com os pacientes.

Conflitos de interesse

Os autores declaram nao haver conflitos de interesse. Referencias

1. Klafta JM, Roizen MF. Current understanding of patients' attitudes toward and preparation for anesthesia: a review. Anesth Analg. 1996;83:1314-21.

2. Williams JG, Jones JR. Psychophysiological responses to anesthesia and operation. J Am Med Assoc. 1968;203: 415-7.

3. Matthey P Finucane BT, Finegan BA. The attitude of the general public towards preoperative assessment and risks associated with general anesthesia. Can J Anaesth. 2001;48:333-9.

4. Fitzgerald BM, Elder J. Will a 1-page informational handout decrease patients' most common fears of anesthesia and surgery? J Surg Educ. 2008;65:359-63.

5. Bondy LR, Sims N, Schroeder DR, et al. The effect of anesthetic patient education on preoperative anxiety. Reg Anesth Pain Med. 1999;24:158-64.

6. Jlala HA, French JL, Foxall GL, et al. Effect of preoperative multimedia information on perioperative anxiety in patients undergoing procedures under regional anaesthesia. Br J Anaesth. 2010;104:369-74.

7. Hawkins AO, Kantayya VS, Sharkey-Asner C. Health literacy: a potential barrier in caring for underserved populations. Dis Mon. 2010;56:734-40.

8. Kirsh i, Jungeblut A, Jenkins L, et al. Adult literacy in America: a first look at the results of the national adult literacy survey (NALS). Washington, DC: National Center of Educational Statistics, US Department of Education; 1993.

9. Committee on Health Literacy, institute of Medicine, Health, Literacy. A prescription to end confusion. Washington, DC: National Academies Press; 2004.

10. Doak CC, Doak LG, Root JH. Teaching patients with low literacy skill. 3rd ed. Philadelphia, PA: J.B. Lippincott Company; 1996.

11. 2010 US Census Data. United States Census Bureau. www.census.gov [acessado 16 Abr 2012].

12. Zach L, Dalrymple PW, Rogers ML, et al. Assessing internet access and use in a medically underserved population: implications for providing enhanced health information services. Health info Libr J. 2012;29:61-71.