Scholarly article on topic 'Tradução e validação do Neck Bournemouth Questionnaire para o português do Brasil'

Tradução e validação do Neck Bournemouth Questionnaire para o português do Brasil Academic research paper on "Educational sciences"

CC BY-NC-ND
0
0
Share paper
Academic journal
Revista Brasileira de Reumatologia
OECD Field of science
Keywords
{Tradução / Questionário / Cervical / "Avaliação de desfecho" / Translation / Questionnaire / Neck / "Outcome assessment"}

Abstract of research paper on Educational sciences, author of scientific article — Danilo Harudy Kamonseki, Luísa Cedin, Jaqueline Tavares‐Preto, Beatriz de Oliveira Peixoto, Sandro Rostelato‐Ferreira

Resumo Objetivo Traduzir o Neck Bournemouth Questionnaire para o português do Brasil, adaptá‐lo culturalmente e verificar a sua validade e confiabilidade. Métodos O desenvolvimento da versão brasileira do Neck Bournemouth Questionnaire (NBQ‐Brasil) foi baseado nas diretrizes propostas por Guillemin. O processo aplicado consistiu em tradução, retrotradução, revisão por um comitê e pré‐teste. Participaram deste estudo 61 voluntários que apresentavam dor cervical; 35 deles participaram durante a fase de pré‐teste para verificar a compreensão do instrumento e os 26 restantes durante a análise psicométrica. A avaliação psicométrica incluiu a análise da confiabilidade interavaliadores e intra‐avaliador e da validade do construto (correlação entre o NBQ‐Brasil, o SF‐36, a escala numérica de dor e o Neck Disability Index). Resultados Alguns termos e algumas expressões foram alterados para se obter equivalência cultural com o NBQ‐Brasil durante a fase de tradução. O NBQ mostrou uma CCI intra‐avaliador de 0,96 e CCI interavaliadores de 0,87. A análise da validade do construto mostrou correlações moderadas com o SF‐36 e correlação forte com a escala numérica de dor e o Neck Disability Index. Conclusão O Neck Bournemouth Questionnaire foi traduzido e adaptado culturalmente para o idioma português e demonstrou ser válido e confiável para avaliar a dor cervical dos pacientes. Abstract Objective To translate the Neck Bournemouth Questionnaire to Brazilian Portuguese, cross‐culturally adapt, and to verify its validity and its reliability. Methods The development of the Brazilian version of Neck Bournemouth Questionnaire (Brazil‐NBQ) was based on the guideline proposed by Guillemin. The applied process consisted of translation, back‐translation, committee review and pre‐test. Sixty‐one volunteers presenting neck pain participated in this study. Thirty‐five of them participated during pre‐testing phase to verify the instrument comprehension, and the remaining 26 took part during psychometric analysis. Psychometric evaluation included interrater and intrarater reliability and construct validity (correlation among Brazil‐NBQ, SF‐36, Numerical rating score and Neck Disability Index). Results Some terms and expressions were changed to obtain cultural equivalence for Brazil‐NBQ during the translation phase. The NBQ showed an intrarater ICC of 0.96 and interrater ICC of 0.87. Construct validity analysis showed moderate correlations with SF‐36 and strong correlation with Numerical rating score and Neck Disability Index. Conclusion Neck Bournemouth Questionnaire was translated and culturally adapted to Portuguese language, and it demonstrated to be valid and reliable to evaluate patientś neck pain.

Academic research paper on topic "Tradução e validação do Neck Bournemouth Questionnaire para o português do Brasil"

ARTICLE IN PRESS

rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

REVISTA BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA

www.reumatologia.com.br

Artigo original

Traduçâo e validaçâo do Neck Bournemouth Questionnaire para o portugués do Brasil

Danilo Harudy Kamonseki *, Luísa Cedin, Jaqueline Tavares-Preto, Beatriz de Oliveira Peixoto e Sandro Rostelato-Ferreira

Universidade Paulista, Instituto de Ciencias da Saúde, Sorocaba SP, Brazil

informaqoes sobre o artigo

Histórico do artigo:

Recebido em 2 de margo de 2016

Received in revised form

3 de agosto de 2016

Aceito em 7 de setembro de 2016

On-line em xxx

Palavras-chave: Traducao Questionário Cervical

Avaliacao de desfecho

resumo

Keywords: Translation Questionnaire Neck

Outcome assessment

Objetivo: Traduzir o Neck Bournemouth Questionnaire para o portugués do Brasil, adaptá-lo culturalmente e verificar a sua validade e confiabilidade.

Métodos:O desenvolvimento da versao brasileira do Neck Bournemouth Questionnaire (NBQ--Brasil) foi baseado nas diretrizes propostas por Guillemin. O processo aplicado consistiu em traducao, retrotraducao, revisao por um comité e pré-teste. Participaram deste estudo 61 voluntários que apresentavam dor cervical; 35 deles participaram durante a fase de pré--teste para verificar a compreensao do instrumento e os 26 restantes durante a análise psicométrica. A avaliacao psicométrica incluiu a análise da confiabilidade interavaliadores e intra-avaliador e da validade do construto (correlacao entre o NBQ-Brasil, o SF-36, a escala numérica de dor e o Neck Disability Index).

Resultados:Alguns termos e algumas expressôes foram alterados para se obterequivalência cultural com o NBQ-Brasil durante a fase de traducao. O NBQ mostrou uma CCI intra--avaliador de 0,96 e CCI interavaliadores de 0,87. A análise da validade do construto mostrou correlates moderadas com o SF-36 e correlacao forte com a escala numérica de dor e o Neck Disability Index.

Conclusao: O Neck Bournemouth Questionnaire foi traduzido e adaptado culturalmente para o idioma portugués e demonstrou ser válido e confiável para avaliar a dor cervical dos pacientes.

© 2016 Publicado por Elsevier Editora Ltda. Este e um artigo Open Access sob uma licenca CC BY-NC-ND (http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/).

Translation and validation of Neck Bournemouth Questionnaire to Brazilian portuguese

abstract

Objective: To translate the Neck Bournemouth Questionnaire to Brazilian Portuguese, cross-culturally adapt, and to verify its validity and its reliability.

Methods:The development of the Brazilian version of Neck Bournemouth Questionnaire (Brazil-NBQ) was based on the guideline proposed by Guillemin. The applied process consisted of translation, back-translation, committee review and pre-test. Sixty-one volunteers

* Autor para correspondencia. E-mail: fisiot.danilo@hotmail.com (D.H. Kamonseki). http://dx.doi.Org/10.1016/j.rbr.2016.09.002 0482-5004/© 2016 Publicado por Elsevier Editora Ltda. (http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/).

Este e um artigo Open Access sob uma licenca CC BY-NC-ND

rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

presenting neck pain participated in this study. Thirty-five of them participated during pre--testing phase to verify the instrument comprehension, and the remaining 26 took part during psychometric analysis. Psychometric evaluation included interrater and intrarater reliability and construct validity (correlation among Brazil-NBQ, SF-36, Numerical rating score and Neck Disability Index).

Results:Some terms and expressions were changed to obtain cultural equivalence for Brazil--NBQ during the translation phase. The NBQ showed an intrarater ICC of 0.96 and interrater ICC of 0.87. Construct validity analysis showed moderate correlations with SF-36 and strong correlation with Numerical rating score and Neck Disability Index.

ConcIusion:Neck Bournemouth Questionnaire was translated and culturally adapted to Portuguese language, and it demonstrated to be valid and reliable to evaluate patientsiieck pain.

© 2016 Published by Elsevier Editora Ltda. This is an open access article under the CC BY-NC-ND license (http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/).

Introdugao

Os profissionais de saúde frequentemente tratam doengas que causam dor cervical; essas doengas sao encontradas em 22 a 70% da populacao, com maior predominancia em idosos. Cerca de 30% dos pacientes apresentam sintomas crónicos, o que significa que os sintomas perduram por mais de seis meses, e cerca de 5% dos pacientes sintomáticos tornam-se incapazes de trabalhar, o que leva a problemas ocupacionais e a maiores custos de tratamento.1-3

Uma análise ampla da doenca requer instrumentos padro-nizados que mensurem as condicoes do paciente com precisao e qualidade para acompanhar a progressao clínica e verificar a eficácia do tratamento e a qualidade de vida relacionada com a autoperspectiva de saúde. Entre os instrumentos de medicao, os questionários e as escalas funcionais sao importantes para a prática clínica e a pesquisa científica em decorrencia das informacoes subjetivas que analisam de maneira eficiente e confiável com baixo custo.4-6

Os questionários elaborados em outros idiomas precisam ser traduzidos e adaptados culturalmente ao ambiente em que serao usados. Posteriormente, devem-se avaliar as proprie-dades psicométricas do questionário para garantir que esse instrumento apresente exatamente as mesmas características, validade e confiabilidade da versao original.7

A natureza complexa e subjetiva da dor cervical com-preende mais do que apenas uma resposta a um estímulo nociceptivo a uma lesao tecidual, mas também uma experiencia multidimensional descrita pelo modelo biopsicossocial que inclui a dor, a incapacidade, o domínio cognitivo e o domí-nio afetivo.4,8

O Neck Bournemouth Questionnaire (NBQ) foi elaborado por Bolton e Humphreys4 em decorrencia da necessidade de uma medida de avaliacao para vários dominios de saúde, como dor, funcao, incapacidade e aspectos psicológicos e sociais de pacientes com doencas cervicais. Esse instrumento é de fácil aplicacao, reprodutível e sensível as alteracoes clínicas, o que o torna adequado para ser usado em pesquisas científicas e na prática clínica a fim de monitorar a progressao da doenca e auxiliar no planejamento do tratamento.9-11 A versao original deste instrumento está em ingles; contudo, ele foi tradu-zido, adaptado culturalmente e amplamente usado como um

instrumento de avaliacao em vários estudos e em diferentes países, como Alemanha, Dinamarca, Holanda e Franca.B|12-14 No entanto, esse questionário nao foi traduzido para o portugues; a fim de ser usado no Brasil, é necessário que ele seja traduzido e adaptado culturalmente.

Neste contexto, o objetivo do presente estudo é traduzir e adaptar culturalmente o Neck Bournemouth Questionnaire para o portugues do Brasil e avaliar a sua confiabilidade e validade a fim de ser aplicado em pacientes brasileiros com dor cervical.

Material e métodos

Participantes

Participaram deste estudo 61 voluntários com dor cervical; 35 durante a fase de pré-teste e 26 durante a análise das propriedades psicométricas. Os participantes eram elegíveis para participar no estudo se tivessem dor cervical e entre 18 e 60 anos. Foram excluídos do estudo voluntários que usassem imobilizacao no membro superior ou que apresentassem quaisquer perturbares cognitivas e neurológicas que pudessem prejudicar a aplicacao do questionário.

Os autores da versao original do questionário autorizaram este estudo e confirmaram a sua originalidade por correspondencia eletrónica. Este estudo recebeu a aprovacao do Comité de Ética em Pesquisa da Universidade Paulista (CAAE: 31477314.0.0000.5512). Obteve-se de cada voluntário a assina-tura em um termo de consentimento por escrito que esclarecia o protocolo experimental.

Procedimentos

Os procedimentos seguiram os processos de traducao, adaptacao cultural e validacao descritos por Guillemin e Bombardier15 e Beaton e Bombardier,7 que consistiam em traducao, retrotraducao (traducao de volta para o idioma original), análise por um comité e pré-teste (fig. 1).

O Neck Bournemouth Questionnaire foi traduzido para o portugues por dois tradutores brasileiros independentes e fluentes em ingles. Apenas um tradutor estava ciente dos conceitos examinados pelo NBQ; as novas versoes dos questionários foram elaboradas de maneira independente

rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

Figura 1 - Fluxograma do estudo.

(T1 e T2). Essas versoes foram comparadas e discutidas por um comité, que foi composto por quatro fisioterapeutas especializados e dois tradutores fluentes em inglés sem participacao prévia neste estudo. Se houvesse alguma discordancia, eram feitas alteracoes a fim de elaborar a versao de consenso em portugués (T12), mantendo as características principais do questionário original.

A versao T12 foi traduzida de volta para o inglés por dois tradutores independentes e nativos em inglés (BT1 e BT2), que nao tinham acesso ao questionário original.

Na sequéncia, os membros do comité participaram de uma segunda reuniao em que foram apontadas as diferencias entre as versoes traduzidas (T1, T2, T12, BT1 e BT2) e o questionário original. Eles verificaram a semántica e a equivaléncia idiomática e cultural e modificaram ou eliminaram tópicos irrelevantes, inadequados ou ambíguos. A segunda reuniao resultou em uma versao pré-final (V1), que foi usada para o pré-teste.

Fez-se o pré-teste para verificar a compreensao e aceitacao das perguntas e respostas. O pesquisador lia o conteúdo do questionário em voz alta para cada voluntário e eles eram convidados a responder se tinham compreendido, a comentar o que entenderam e a sugerir modificacoes no caso de haver algum tópico mal compreendido.16 Todos os tópicos mostram um nível de compreensao superior a 90% pelos voluntários. Após a fase de pré-teste, a versao final (NBQ-Brasil) foi enviada ao autor do NBQpara aprovacao (fig. 2).

Cálculo da pontuagao

O NBQ é composto por sete perguntas, cada uma representa uma dimensao diferente da dor cervical. Os sete tópicos incluem (1) a intensidade da dor, (2) o status funcional na vida diária; (3) as atividades sociais; (4) ansiedade; (5) depressao; (6) os aspectos cognitivos do comportamento de medo e evitacao e (7) controle da dor. Cada tópico do NBQé pontuado com uma escala numérica de dor de 11 pontos, a pontuacao

total varia de 0 a 70; essa pontuacao é obtida pela soma das pontuacôes de cada um dos sete tópicos, com escores mais altos que refletem uma maior dor e incapacidade.4,11,14

Confiabilidade

A análise da confiabilidade interavaliadores e intra-avaliador foi realizada para determinar a reprodutibilidade do ques-tionário. O NBQ-Brasil foi aplicado por um pesquisador e, após uma hora, foi aplicado por um segundo pesquisador (interavaliadores). Em um período de trés a sete dias, o primeiro pesquisador aplicava novamente o questioná-rio (intra-avaliador). Além disso, avaliou-se a consisténcia interna, que valoriza a inter-relacao entre diferentes tópicos ou domínios de uma ferramenta e mede a homogeneidade de tópicos relacionados.

Validaçâo

A análise da validade foi realizada por meio da associacao entre o NBQ-Brasil e outros questionários que medem a dor, a qualidade de vida e a funcao.

O Short Form Health Survey 36 (SF-36) é um instrumento de avaliacao que mede a qualidade de vida. É composto por 36 tópicos divididos em oito domínios: Capacidade Funcional, Aspecto Físico, Dor, Estado Geral de Saúde, Vitalidade, Aspecto Social, Aspecto Emocional e Saúde Mental.17 A correlacao entre os tópicos do NBQ-Brasil e os dominios do SF-36 foi baseada no processo de validacao da versao original do NBQ.4 O Neck Disability Index (NDI) é uma ferramenta composta por dez tópicos que avaliam a dor e a incapacidade em pacientes com dor cervical. O NDI é pontuado com uma porcentagem do escore máximo de dor e incapacidade.18

Usou-se a escala escala numérica de dor (END) para a avaliacao da dor cervical, que é uma escala de 11 pontos composta por números de 0 (sem dor) a 10 (pior dor imaginável).19

RBR-339; No. of Pages 8 ARTICLE IN PRESS

4 rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

Este questionário foi desenvolvido para saber sobre a sua dor no pescogo e como ela o afeta. Por favor, responda TODAS as questoes circulando UM número em CADA pergunta que melhor descreve o que vocé sente:

1. Durante a última semana, qual foi o nível de dor do seu pescogo Nenhuma dor

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Pior dor possível

2. Durante a última semana, quanto a sua dor no pescogo prejudicou nas suas atividades diárias (trabalho de casa, tomar banho, colocar roupa, levantar, ler e dirigir)? Nao prejudicou

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Incapaz de desenvolver atividades

3. Durante a última semana, quanto a sua dor no pescogo prejudicou nas suas atividades recreativas, sociais e familiares?

Nao prejudicou

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Incapaz de realizar atividades

4. Durante a última semana, vocé sentiu-se ansioso (tenso, nervoso, irritado, com dificuldade para se concentrar/relaxar)?

Nao ansioso 0 1 2345678910 Muito ansioso

5. Durante a última semana, vocé sentiu-se deprimido ("para baixo", triste, pessimista, infeliz)? Nao deprimido

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Muito deprimido

6. Durante a última semana, quanto a sua dor no pescogo piorou (ou poderia ter piorado) com o trabalho (tanto em casa como fora)?

Nao piorou

0 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10

Piorou muito

7. Durante a última semana, quanto vocé conseguiu controlar (reduzir) sozinho a sua dor no pescogo?

Nenhum tipo de controle

Controlei 0 9

1 2 3 4 5 6 7 8 10

completamente

Figura 2 - Versâo final do Neck Bournemouth Questionnaire (NBQ-Brasil).

Análise estatística

A análise dos dados foi feita com o programa SPSS para Windows (versao 1B.0, SPSS Inc.). As variáveis contínuas sao apresentadas pela média e desvio padrao e as variáveis categóricas sao demonstradas em frequencias e porcentagens.

A confiabilidade teste-reteste foi avaliada pelo coeficiente de correlacao intraclasse (CCI) com intervalos de confianca de 95% (IC95%). Avaliou-se a confiabilidade intera-valiadores e intra-avaliador relativa. Mediu-se a consistencia interna dos domínios do NBQ-Brasil pelo coeficiente alfa de Cronbach. A fim de avaliar a validade, usou-se o coeficiente de correlacao de Pearson para verificar a relacao entre o NBQ--Brasil e a END, NDI e SF-36.

Resultados

As modificares feitas pelo comité durante a primeira reuniao focaram na estrutura gramatical das perguntas e adaptagoes para garantir a equivalencia entre as palavras e também no contexto cultural. Como resultado, após a análise das versoes T1 e T2, elaborou-se a versao T12 de consenso (tabela 1).

Depois da retrotraducao, o comité se reuniu em um segundo encontro para discutir as diferencias entre todas as versoes e o questionário original. Assim, elaborou-se a versao V1, que foi entao usada no pré-teste (tabela 2). Essas versoes foram enviadas ao autor original do questionário por correio eletronico.

Na fase de pré-teste, 22 mulheres (62,8%) e 13 homens res-ponderam a nova versao do questionário (V1). Entre esses voluntários, quatro (11,4%) nao completaram o ensino fundamental e sete (20%) completaram; 20 (57,1%) dos voluntários completaram o ensino médio e quatro (11,4%) tinham ensino superior. Nesta fase, os participantes nao fizeram sugestao em relacao aos tópicos nem houve dificuldade de compreende--los. Todas as perguntas mostraram um nível de compreensao superior a 90% e nao houve necessidade de modificacao.

Participaram na fase de análise da confiabilidade e vali-dade 26 voluntários. Tinham 33,6 ± 13,4 anos; 18 (69,3%) eram mulheres; tres (11,5%) nao concluíram o ensino fundamental, tres (11,5%) concluíram o ensino fundamental, 17 (65,3%) concluíram o ensino médio e tres (11,5%) concluíram o ensino superior.

O NBQ-Brasil mostrou um CCI intra-avaliador da pontuacao total de 0,96 (IC95%, 0,91-0,98) e CCI

rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

Tabela 1 - Traduçâo e modifiçaçâo para a versâo çonsensual

Pergunta-tópico "T1 e T2"

Modificaciao para versao de consenso"T12"

1. Over the past week, on average how would you rate your neck pain? No pain/Worst pain possible

2. Over the past week, how much has your neck pain interfered with your daily activities (housework, washing, dressing, lifting, reading, driving)?

No interference/Unable to carry out activities

3. Over the past week, how much has your neck pain interfered with your ability to take part in recreational, social, and family activities? No interference/Unable to carry out activities

4. Over the past week, how anxious (tense, uptight, irritable, difficulty in concentrating/relaxing) have you been feeling?

Not at all anxious/Extremely anxious

5. Over the past week, how depressed (down-in-the-dumps, sad, in low spirits, pessimistic, unhappy) have you been feeling? Not at all depressed/Extremely depressed

6. Over the past week, how have you felt your work (both inside and outside the home) has affected (or would affect) your neck pain? Have made it no worse/Have made it much

7. Over the past week, how much have you been able to control (reduce/help) your neck pain on your own?

Completely control it/No control whastsoever

T1 - Durante a última semana, em média, como vocé classificaria sua dor no pescoco? Nenhuma dor/Pior dor possível

T2 - Na última semana como é que, em média, vocé classifica o grau de dor que sentiu no pescoco? Nenhuma dor/Pior dor possível T1 - Durante a última semana, quanto sua dor no pescoco interferiu nas suas atividades diárias (trabalho de casa, lavar, vestir, levantar, ler, dirigir)? Nenhuma interferéncia/Incapaz de desenvolver atividades

T2 - Na última semana, em que medida a sua dor cervical (pescoco) interferiu em suas atividades diárias (limpar a casa, tomar banho, vestir-se, levantar, ler e dirigir)? Nenhuma interferéncia/Incapaz de realizar atividades T1 - Durante a última semana, quanto sua dor no pescoco interferiu com sua capacidade de tomar parte em atividades recreativas, sociais e familiares? Nenhuma interferéncia/Incapaz de desenvolver atividades

T2 - Na última semana, em que medida, a sua dor cervical (pescoco) interferiu nas suas atividades recreativas, sociais e familiares? Nenhuma interferéncia/Incapaz de fazer atividades T1 - Durante a última semana, quao ansioso(a) (tenso(a), nervoso, irritável, dificuldade em se concentrar/relaxar) vocé tem se sentido? Nada ansioso(a)/Extremamente ansioso(a) T2 - Na última semana, sentiu-se ansioso (tenso, nervoso, irritado, com dificuldades para se concentrar/relaxar)? Nao ansioso/Extremamente ansioso

T1 - Durante a última semana, quao depressivo(a) (deprimido(a), triste, melancólico(a), pessimista, infeliz) vocé tem se sentido? Nada deprimido (a)/Extremamente deprimido (a) T2 - Na última semana, sentiu-se deprimido ("pra baixo", triste, pessimista, infeliz)? Nao deprimido/Extremamente deprimido T1 - Durante a última semana, como vocé sentiu que seu trabalho (tanto dentro como fora de casa) afetou (ou afetaria) sua dor no pescoco? Nao fez piorar/Tornou muito pior

T2 - Na última semana, sentiu que o seu trabalho (tanto em casa como fora) piorou (ou poderia ter piorado) a sua dor cervical (pescoco)? Nao piorou/Piorou

T1 - Durante a última semana, quanto vocé foi capaz de controlar (reduzir/ajudar) por si mesmo(a) sua dor no pescoco? Controlei completamente/Nenhum controle absolutamente T2 - Na última semana, conseguiu controlar (reduzir) sozinho(a) sua dor cervical (pescoco)? Controle total/Nenhum tipo de controle

Durante a última semana, qual foi o nível de dor do seu pescoco? Nenhuma dor/Pior dor possível

Durante a última semana, quanto a sua dor no pescoco prejudicou nas suas atividades diárias (trabalho de casa, tomar banho, colocar roupa, levantar, ler e dirigir)? Nao prejudicou/Incapaz de desenvolver atividades

Durante a última semana, quanto a sua dor no pescoco prejudicou nas suas atividades recreativas, sociais e familiares? Nao prejudicou/Incapaz de fazer atividades

Durante a última semana, vocé sentiu-se ansioso (tenso, nervoso, irritado, com dificuldade para se concentrar/relaxar)? Nao ansioso/Muito ansioso

Durante a última semana, vocé sentiu-se deprimido ("para baixo", triste, pessimista, infeliz)? Nao deprimido/Muito deprimido

Durante a última semana, quanto a sua dor no pescoco piorou (ou poderia ter piorado) com o trabalho (tanto em casa como fora)?

Nao piorou/Piorou muito

Durante a última semana, quanto vocé conseguiu controlar (reduzir) sozinho a sua dor no pescoco? Controlei

completamente/Nenhum tipo de controle

T1, primeira traduciao; T2, segunda traduciao.

interavaliadores de 0,87 (IC 95%, 0,73-0,93) (tabela 3). A consisténcia interna mostrou um alfa de Cronbach de 0,98. A correlacao entre o NBQ-Brasil e o SF-36 foi moderada (tabela 4), e entre o NBQ-Brasil e a END e o NDI foi forte (tabela S).

Disçussâo

A dor cervical é uma condiçao comum que leva à incapaci-dade. Contudo, existem poucos instrumentos de mensuraçao

rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

Tabela 2 - Fase de retrotraduçâo. Diferenças entre a BT1 e BT2 e a versäo original

Neck Bournemouth Questionnaire

Diferenças entre as versöes BT1 e BT2

1. Over the past week, on average how would you rate your neck pain?

2. Over the past week, how much has your neck pain interfered with your daily activities (housework, washing, dressing, lifting, reading, driving)?

No interference/Unable to carry out activities

3. Over the past week, how much has your neck pain interfered with your ability to take part in recreational, social, and family activities?

No interference/Unable to carry out activities

4. Over the past week, how anxious (uptight, irritable, difficulty in concentrating/relaxing) have you been feeling?

5. Over the past week, how depressed (down-in-the dumps) have you been feeling? Not at all depressed/Extremely depressed

6. Over the past week, how have you felt your work (both inside and outside the home) has affected (or would affect) your neck pain?

Have made it no worse/Have made it much worse

7. Over the past week, how much have you been able to control (reduce/help) your neck pain on your own?

BT1: In the past week, what was pain level of your neck? BT2: Over the past week, how would you rate your neck pain? BT1: In the past week, how much did your neck pain affect your activities of daily living (housework, taking a bath, washing clothes, standing up, reading and driving)? Not at all/Unable to perform activities

BT2: Over the past week, how much has your neck pain interfered with your daily activities (housework, washing, dressing, lifting, reading and driving)? No interference/Unable to carry out activities BT1: In the past week, how much did your neck pain affect your recreational, social and family activities? Not at all/Unable to perform activities

BT2: Over the past week, how much has your neck pain interfered with your recreational, social and family activities? No interference/Unable to carry out activities

BT1: In the past week, did you feel anxious (irritate, with difficulty concentrating/relaxing)?

BT2: Over the past week, how anxious have you felt (irritated, with difficulty in concentrating/relaxing)?

BT1: In the past week, did you feel depressed ("low")? Not depressed/Very depressed

BT2: Over the past week, how depressed ("down") have you felt? Not depressed/Very depressed

BT1: In the past week, how much did your neck pain get worse (or could have become worse) with work (inside or outside the home)? Did not get worse/Got very much worse

BT2: Over the past week, how much has your neck pain worsened (or could it have worsened) with work (both at home and away from home)? Did not worsen/Worsened a lot

BT1: In the past week, to what extent were you able to control (reduce) your neck pain by yourself?

BT2: Over the past week, how much have you managed to control (reduce) your neck pain by yourself?

BT1, primeira retrotraduçâo; BT2, segunda retrotraduçâo.

para avaliar esses pacientes e os já existentes medem apenas a intensidade da dor e o grau de incapacidade.4,20 O NBQ é um instrumento multidimensional curto desenvolvido a partir do modelo biopsicossocial e inclui perguntas sobre a dor, a incapacidade, o domínio cognitivo e o domínio afetivo. Os métodos de traducao e adaptacao transcultural usados neste estudo possibilitarao o uso do NBQ na avaliacao dos sintomas cervicais em pacientes brasileiros em pesquisas e na prática clínica.

O questionário adaptado transculturalmente para ser usado em outro país, outra cultura e idioma requer o uso de um método único para garantir a equivalencia entre o questionário original e a nova versao adaptada. As mensuracoes que sao aplicadas nas diferentes culturas precisam ser bem traduzidas linguisticamente e adaptadas culturalmente para manter a validade do conteúdo do instrumento em um nível conceitual entre as diferentes culturas.7 Os métodos de traducao e adaptacao transcultural usados neste estudo foram

Tabela 3 - Confiabilidade intra-avaliador e interavaliadores do Neck Bournemouth Questionnaire-Brasil

Itens Intra-avaliador Interavaliadores

CCI IC95% CCI IC95%

NBQ1 0,88 0,76-0,94 0,79 0,59-0,9

NBQ 2 0,91 0,81-0,95 0,87 0,73-0,94

NBQ3 0,91 0,82-0,96 0,86 0,72-0,93

NBQ4 0,92 0,84-0,96 0,87 0,74-0,94

NBQ 5 0,93 0,85-0,96 0,89 0,78-0,95

NBQ 6 0,83 0,67-0,92 0,62 0,31-0,81

NBQ 7 0,77 0,55-0,89 0,66 0,37-0,83

Pontuaçâo total 0,96 0,91-0,98 0,87 0,73-0,93

CCI, coeficiente de correlaçâo intraclasse; IC, intervalo de confiança; NBQ, Neck Bournemouth Questionnaire.

rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

Tabela 4 - Correlaçâo entre o Neck Bournemouth Questionnaire-Brasil e o SF-36

Brasil-NQB Escalas do SF-36 Coeficiente de

correlaciao de Pearson

NBQ1 Dor - 0,66S 0,001

NBQ 2 Capacidade funcional - 0,439 0,02S

NBQ3 Aspecto social - 0,S02 0,009

NBQ 4 Aspecto emocional -0,460 0,017

NBQ S Saúde mental -0,S09 0,008

NBQ 6 Pergunta 8 - 0,S87 0,002

NBQ 7 Escala geral de saúde - 0,443 0,024

NBQ Neck Bournemouth Questionnaire; SF-36, Short Form Health Survey 36.

consolidados na literatura e aplicados em vários estudos,7,1S incluindo outras ve^es do NBQ que sao usadas em outros paises.8,12

Beaton e Bombardier7 recomendam que se devem elaborar pelo menos duas ve^es traduzidas do idioma original, ao passo que um dos tradutores deve estar ciente dos con-ceitos que estao sendo examinados no questionário a fim de proporcionar uma equivaléncia de confiança a partir de uma perspectiva mais clinica. O segundo tradutor nao dever estar ciente nem ser informado sobre os conceitos, a fim de oferecer uma traducao que reflita a linguagem usada pela populaçao e destacar significados ambiguos no questionário original. A fase de retrotraduçao é um processo que valida que a ver-sao traduzida reflete o conteúdo tópico da versao original e destaca inconsisténcias grosseiras ou erros conceituais na traducao.

Na fase de traducao inicial da versao brasileira do NBQ, elaborou-se a versao T12 de consenso de modo a evitar palavras ambiguas ou abrangentes-dificeis, como "média", "interferéncia", "melancólico" e "extremamente", que esta-vam presentes em pelo menos uma das traduçбes. Na fase de retrotraduçao, nao houve diferença entre os significados de traducao com a versao original. Isso indicou que as adaptaçбes feitas na fase inicial nao alteraram o significado dos tópicos. Na fase de pré-teste, todos os tópicos do NBQ-Brasil obtive-ram compreensao superior a 90%, o que indica que essa nova versao do questionário é facilmente compreensivel.

Depois da traducao e adaptacao cultural de um ques-tionário, é essencial avaliar as propriedades psicométricas da versao traduzida. O NBQ-Brasil mostrou propriedades psicométricas semelhantes a outras ve^es do NBQ. A confiabilidade teste-reteste do NBQ original tem coeficiente de

Tabela 5 - Correlacao entre o Neck Bournemouth Questionnaire-Brasil e a escala numerica de dor e Neck Disability Index

Variáveis Neck Bournemouth Questionnaire rp

Escala numérica de dor Neck Disability Index 0,70 0,001 0,79 0,001

correlacao intraclasse (CCI) de 0,6S, enquanto na versao holandesa o CCI do NBQ variou de 0,83 a 0,99; a versao francesa mostrou um CCI de 0,9; a dinamarquesa teve um CCI de 0,96; na alema o CCI foi de 0,99. A consisténcia interna do NBQ original teve um coeficiente alfa de Cronbach de 0,9; na versao alema esse valor foi de 0,79 e na dinamarquesa foi de 0,89.8'12-14 Bolton21 verificou o que seria uma melho-ria clinicamente significativa no NBQ, que encontrou ser uma pontuacao total de 13 ou mais pontos. Uma variaçao percentual na pontuacao de 36% ou mais esteve associada a uma melhoria clinicamente significativa. Estudos futuros devem verificar a capacidade de resposta da versao brasileira do NBQ.

Conçlusâo

O Neck Bournemouth Questionnaire foi traduzido e adaptado cul-turalmente para o idioma portugués em uma versao completa, que demonstrou ser rápida de aplicar, fácil de entender, válida e confiável para avaliar a dor cervical dos pacientes.

Conflitos de interesse

Os autores declaram nao haver conflitos de interesse. referencias

1. Childs JD, Cleland JA, Elliott JM, Teyhen DS, Wainner RS, Whitman JM, et al. Neck pain: clinical practice guidelines linked to the International Classification of Functioning, Disability, and Health from the Orthopedic Section of the American Physical Therapy Association. J Manipulative Physiol Ther. 2008;38:A1-34.

2. de Vries J, Ischebeck BK, Voogt LP, van der Geest JN, Janssen M, Frens MA, et al. Joint position sense error in people with neck pain: a systematic review. Man Ther. 2015, http://dx.doi.org/10.1016/j.math.2015.04.015, pii:

S1356-689X(15)00106-X.

3. Cohen SP. Epidemiology, diagnosis, and treatment of neck pain. Mayo Clin Proc. 2015;90:284-99.

4. Bolton JE, Humphreys BK. The Bournemouth Questionnaire: a short-form comprehensive outcome measure. II. Psychometric properties in neck pain patients. J Manipulative Physiol Ther. 2002;25:141-8.

5. Murphy DR, Lopez M. Neck and back pain specific outcome assessment questionnaires in the Spanish language: a systematic literature review. Spine. 2013;13:1667-74.

6. Yi LC, Staboli IM, Kamonseki DH, Budiman-Mak E, Arie EK. Translation and cross-cultural adaptation of FFI t Brazilian Portuguese version: FFI-Brazil. Rev Bras Reumatol. 2015;55:398-405.

7. Beaton DE, Bombardier C, Guillemin F, Ferraz MB. Guidelines for the process of cross-cultural adaptation of self-report measures. Spine (Phila Pa 1976). 2000;25:3186-91.

8. Soklic M, Peterson C, Humphreys BK. Translation and validation of the German version of the Bournemouth Questionnaire for Neck Pain. Chiropr Man Therap. 2012;20:20-2.

9. De Hertogh WJ, Vaes PH, Vijverman V, De Cordt A, Duquet W. The clinical examination of neck pain patients: the validity of a group of tests. Man Ther. 2007;12:50-5.

rev bras reumatol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

10. Gay RE, Madson TJ, Cieslak KR. Comparison of the Neck Disability Index and the Neck Bournemouth Questionnaire in a sample of patients with chronic uncomplicated neck pain. J Manipulative Physiol Ther. 2007;30:259-62.

11. Dunn AS, Green BN, Formolo LR, Chicoine DR. Chiropractic management for veterans with neck pain: a retrospective study of clinical outcomes. J Manipulative Physiol Ther. 2011;34:533-8.

12. Hartvigsen J, Lauridsen H, Ekstrom S, Nielsen MB, Lange F, Kofoed N, et al. Translation and validation of the danish version of the Bournemouth questionnaire. J Manipulative Physiol Ther. 2005;28:402-7.

13. Schmitt MA, Schroder CD, Stenneberg MS, van Meeteren NL, Helders PJ, Pollard B, et al. Content validity of the Dutch version of the Neck Bournemouth Questionnaire. Man Ther. 2013;18:386-9.

14. Martel J, Dugas C, Lafond D, Descarreaux M. Validation of the French version of the Bournemouth Questionnaire. J Can Chiropr Assoc. 2009;53:102-20.

15. Guillemin F, Bombardier C, Beaton D. Cross-cultural adaptation of health-related quality of life measures: literature review and proposed guidelines. J Clin Epidemiol. 1993;46:1417-32.

16. Wild D, Grove A, Martin M, Eremenco S, McElroy S, Verjee-Lorenz A, et al. Principles of good practice for the translation and cultural adaptation process for patient-reported outcomes (PRO) measures: report of the ISPOR Task Force for Translation and Cultural Adaptation. Value Health. 2005;8:94-104.

17. Ciconelli R, Ferraz M, Santos W,Meinao I, Quaresma M. Traducao para a lingua portuguesa e validacao do questionârio genérico de avaliacao de qualidade de vida SF-36 (Brasil SF-36). Rev Bras Reumatol. 1999;36:143-50.

18. Cook C, Richardson JK, Braga L, Menezes A, Soler X, Kume P, et al. Cross-cultural adaptation and validation of the Brazilian Portuguese version of the Neck Disability Index and Neck Pain and Disability Scale. Spine (Phila Pa 1976). 2006;31:1621-7.

19. Ferreira-Valente MA, Pais-Ribeiro JL, Jensen MP. Validity of four pain intensity rating scales. Pain. 2011;152:2399-404.

20. Hoy D, March L, Woolf A, Blyth F, Brooks P, Smith E, et al. The global burden of neck pain: estimates from the global burden of disease 2010 study. Ann Rheum Dis. 2014;73:1309-15.

21. Bolton JE. Sensitivity and specificity of outcome measures in patients with neck pain: detecting clinically significant improvement. Spine. 2004;29:2410-7.