Scholarly article on topic '16.º Congresso de Pneumologia do Norte'

16.º Congresso de Pneumologia do Norte Academic research paper on "Educational sciences"

CC BY-NC-ND
0
0
Share paper
Academic journal
Revista Portuguesa de Pneumologia
OECD Field of science
Keywords
{}

Academic research paper on topic "16.º Congresso de Pneumologia do Norte"

Resumo dos posters (P) Abstracts of posters (P)

16.° Congresso de Pneumologia do Norte 16th Congress of Pneumology in the North

Porto, 19 e 20 de Margo de 2009

Qualidade de vida em doentes com cancro de pulmao submetidos a quimioterapia

Emilia Rito, Encarnado Teixeira, Ana Gomes, Renato Sotto--Mayor, Filipe Florindo, Antonio Bugalho de Almeida Servido de Pneumologia I, Hospital Santa Maria, CHLN, Lisboa

Objectivo: Determinar o impacto da quimioterapia na qualidade de vida (QV) através da aplica^ao da escala EOR--TC QLQ -C30 e QLQ -LC13 em doentes com cancro de pulmao.

Material e métodos: Estudo observacional de avalia^ao da QV, que decorreu no Hospital de Dia do servido de Pneumologia do Hospital de Santa Maria, entre Janeiro e Dezembro 2006. A escala EORTC QLQ-C30 e QLQ--LC13 foi utilizada para a avalia^ao da qualidade de vida. Foram aplicados os questionários a todos os doentes com cancro de pulmao em estádio III/IV, que iniciaram terapéutica, excepto os incluidos em ensaios clínicos ou submetidos a outros questionários. Foram efectuadas duas avalia^oes: a 1a no inicio do tratamento de quimioterapia e a 2.a no final.

Resultados: Fizeram inquérito de QV basal 56 doentes. Apenas foram analisados os dados referentes a 37 doentes que completaram a 2a avalia^ao, sendo 83,8% homens e 16,2% mulheres. A idade mediana foi de 62 anos (mín=49 e max=79). Identificámos 81,1% de fumadores/ex--fumadores. Em rela^ao ao performance status em 79% dos doentes = 1. Na QV global, verificamos que 54,1% dos doentes responderam com scores mais elevados na 2a avalia-^ao. Nas escalas funcionais, aumentaram os scores no fun-cionamento fisico, emocional e cognitivo, respectivamente

em 54,1%, 62,2% e 24,3% dos doentes. Nas escalas de sintomas, houve melhoria da fadiga em 59,5% dos doentes, na dispneia, tosse e dor, 89,2%, 94,6% e 84,5%, respectivamente. A rela^ao dos resultados com a resposta a terapéutica será analisada.

Conclusao: Apesar do inquérito ter sido efectuado apenas antes e apos a quimioterapia, verificamos que os doentes me-lhoraram a QV nalguns dominios funcionais com controlo de grande parte dos sintomas. Para melhor caracterizado dos itens da escala, deverá ser efectuada ao longo de todos os ciclos.

Aspergilose invasiva - Caso clínico

Fernanda Joao1, Isabel Pinto Pereira2, José Keating2

1 Pneumologia

2 Servido de Medicina Interna Unidade Local de Saúde, Matosinhos

A aspergilose invasiva é uma infec^ao provocada pela invasao tecidular de um fungo, o Aspergilus, sendo o mais frequente a espécie fumigatus. É doen^a rara e ocorre regra geral em pessoas imunocomprometidas. A proposito desta patologia, os autores apresentam o caso clinico de uma doente de 78 anos, internada por "pneumonia" com 6 semanas de evolu-^ao, que nao respondeu a antibioterapia, e emagrecimento de 4 kg. Referia tosse seca irritativa, toracalgia de tipo pleu-ritica e dispneia de esfor^o. Nos antecedentes pessoais destacava-se HTA e dislipidemia. Ao exame objectivo, apre-sentava bom estado geral, eupneia e apirexia. Na auscultado pulmonar, os sons diminuidos nas bases e sibilos dispersos. Sem altera^oes analíticas. a nao ser a PCR (2.82 mg/dl). O Rx pulmonar evidenciava hipotransparéncia heterogénia

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

no ter^o inferior do hemitórax direito e uma outra homoge-nia na base do esquerdo, associada a pequeña reac^ao pleural. A TAC torácica tinha imagem nodular de 2 cm no hilo direito, atelectasia parcial do lobo médio e língula e "imagens em ramificado" dispersas no lobo médio e segmento posterior do LSD. A observado endoscópica, a mucosa do bronquio principal direito era "granulosa", e o orificio do lobar superior apresentava-se ocluído por alargamento do esporao, "infiltrado" da mucosa e tecido necrosado, o lobar médio "em fenda", por compressao extrínseca, assim como um subsegmento do ápico-posterior. No fragmento de bi-ópsia bronquica observaram-se numerosas estruturas fúngi-cas compatíveis com Aspergillus spp. Feito o diagnóstico de aspergilose invasiva, a doente iniciou terapéutica com vori-conazol, que cumpriu durante 3 meses, tendo havido cura clínica e resolu^ao imagiológica.

Pneumonía associada aos cuidados de saúde (PACS) versus pneumonía da comunidade (PAC): Entidades diferentes, abordagens distintas?

Catarina Guimaraes, Claúdia Lares Santos, Filipa Costa, Fernando Matos, Fernando Barata

Servido de Pneumologia, Centro Hospitalar de Coimbra-EPE

Introdujo: A PACS foi reconhecida como uma nova categoria de infec^oes respiratórias, apresentando um conjunto de características que a permitem individualizar da PAC e da pneumonia nosocomial. Existem ainda dúvidas quanto a melhor forma de a abordar, sendo necessários estudos epidemiológicos que permitam a sua melhor carac-teriza^ao.

Objectivos: Comparar características epidemiológicas, clínicas, radiológicas e microbiológicas e a abordagem terapéutica da PACS e da PAC.

Material e métodos: Estudo retrospectivo dos doentes internados no Servido de Pneumologia do CHC durante um

ano, com PACS e PAC.

Resultados: Incluíram-se 197 doentes, 62% do sexo masculino com uma média de idades de 71,5 anos; 73% tinham diagnóstico de PAC e 27% de PACS. Os doentes com PACS apresentaram maior número de comorbilidades (3,19 vs3,33%), maior dependéncia (70%vs25%), um score de gravidade mais elevado (PSI IV/V: 79%vs62%) e um envolvimento radiológico mais extenso (multifocal: 59%vs36%, bilateral: 34%vs28%). O gérmen mais frequentemente isolado na PACS foi o Staphylococcus aureus meticilino-resistente (8 doentes, 15%) e na PAC o Streptococcuspneumoniae (5 do-entes, 3,5%). Nao se observaram diferen^as na investigado

etiológica e na antibioterapia empírica entre os grupos. Na PACS registaram-se mais complicares (98%vs93%), maior durado do internamento (12,5vs9,7 d) e maior taxa de mortalidade(18%vs6%).

Conclusoes: Os resultados obtidos confirmam a ideia de que a PACS deve ser considerada uma entidade diferente da PAC, já que surge em doentes mais debilitados, associa-se a maior gravidade, envolvimento radiológico mais extenso, a infec^ao por gérmenes resistentes, maior número de complicares, internamentos mais prolongados e a uma maior mortalidade. Verificámos ainda que é tratada de forma se-melhante a PAC. Este estudo vem reforjar a necessidade de uma abordagem diferenciada da PACS, nomeadamente no que diz respeito ao diagnóstico e aos esquemas terapéuticos empíricos.

Dispneia, sibilos e pieira. Será asma? -Caso clínico

Luis Rodrigues, Michele Santis, Yvette Martins, Ana Figueiredo, Fernando Barata, Jorge Pires

Servido de Pneumologia; Centro Hospitalar de Coimbra, EPE

Introdujo: A tríade de sintomas dispneia, pieira e sibilos direcciona o clínico para o diagnóstico de asma. O mesmo conjunto de sintomas pode observar-se num amplo espectro de outras entidades nosológicas.

Caso clínico: Os autores descrevem o caso clínico de uma doente de 65 anos, observada pela primeira vez em consulta de Pneumologia em Junho de 2006 por dispneia, pieira e tosse com evolu^ao de 6 meses. O exame físico, exceptuando sibilos dispersos, era normal. O Rx de toráx mostrava refor-^o peribronco vascular bilateral. O estudo funcional respi-ratório (EFR) evidenciava um padrao obstrutivo com prova de broncodilata^ao positiva. A avalia^ao laboratorial nao mostrava alterares. Foi estabelecido o diagnóstico de asma e iniciada terapéutica com associa^ao de budesonido/formo-terol 320/9mcg inal. 12/12h.

Na reavalia^ao aos trés meses mantinha dispneia, pieira e tosse diária. Confirmada boa técnica inalatória. Nao havia novas alterares nos exames realizados (EFR e Rx de tórax). Realizada entao TC-torácica onde se identificava a presenta de lesao endobronquica a nível da carina/bronquio principal esquerdo. Posteriormente, foi efectuada broncofibroscopia que confirmou a presenta da lesao descrita, cujo exame histológico revelou tratar-se de um carcinoma adenóide quístico (CAQ).

Discussao: O CAQ é uma variante do adenocarcinoma de ocorréncia pulmonar rara. Tem origem a partir das glándulas seromucosas da mucosa traqueobronquica e tem frequente-

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

mente localizado central. O sintoma de apresenta^ao mais comum é dispneia associada a sibiláncia, pieira e tosse, fre-quentemente interpretada como asma. Tem comportamen-to infiltrativo e crescimento lento. A terapéutica de elei^ao é a exérese total sempre que possivel. As recidivas locais sao frequentes. Apesar disso, tem bom prognostico, com sobrevida de 91 e 76%, respectivamente aos 5 e aos 10 anos. Palavras-chave: Dispneia, pieira, sibilos, carcinoma adenói-de quistico.

Aspergilose broncopulmonar alérgica - Um diagnóstico difícil?

Ana Alves1, Susana Carreira2, Ana Sofia Oliveira2, Paula Pinto2, Cristina Bárbara2

1 Servido de Pneumologia, Hospital de Santarém

2 Servido de Pneumologia, CHLN — Hospital Pulido Valente, Lisboa

Apresenta-se um caso de um homem, 62 anos, nao fumador, com antecedentes de asma, rinite e tuberculose na infáncia. Referenciado a consulta em Junho/06 por toracalgia da base direita e tosse com expectorado mucopurulenta. A radiografia de tórax inicial revelava hipotransparéncia homogénea da base direita. Posteriormente efectuou TC torácica que mostrou condensa^ao nodular (1,5 cm) a nivel da lingula e espessamento pleural bilateral. No estudo funcional respira-tório apresentava alterado ventilatória mista e DLCO diminuida. Analiticamente salientava-se eosinofilia (5%). Reali-zou PATT, cuja citologia foi negativa para células neoplásicas. A broncofibroscopia (BF) revelou sinais inflamatorios generalizados e secre^oes mucosas espessas. O exame microbio-lógico e a citologia do lavado bronquico (LB) foram negativos. Repetiu TC torácica aos trés meses, mantendo o nódu-lo da lingula sobreponivel e discretas bronquiectasias cilindricas nos lobos superiores. Em Novembro/06, foi subme-tido a ressec^ao pulmonar atipica do LSE. A histologia revelou bronquiectasias supuradas; a estrutura nodular descrita correspondia a muco e exsudado inflamatório. Durante 16 meses, manteve-se clinica e radiologicamente estável. Em Abril/08 registou agravamento clinico, com pieira e tosse com expectorado mucopurulenta. Funcionalmente, verificou-se declinio do FEV1. A TC torácica revelou uma massa de novo, espiculada, no LID (3 cm), múltiplos micro-nódulos centrilobulares e bronquiectasias difusas. Repetiu BF, mantendo achados endobronquicos sobreponiveis. Os exames microbiológico e citológico do LB foram negativos. A reavalia^ao analitica evidenciou agravamento da eosinofilia periférica e elevado da IgE total. Colocou-se a hipótese diagnóstica de ABPA. Do estudo subsequente, destacou-se: IgE especifica, precipitinas e teste intradérmico para A. fu-

migatus positivos. Face ao diagnóstico de ABPA, iniciou corticoterapia oral.

Palavras-chave: Aspergillus, asma, bronquiectasias.

Quimiorradioterapia concomitante precedida de quimioterapia de induçâo em doentes com carcinoma pulmonar de nâo pequenas células, estádio III inoperável

Cidália Rodrigues1, Michele Santis1, Luís Rodrigues1, Paula Alves2, Ana Figueiredo1, Fernando Barata1

1 Serviço Pneumologia, Centro Hospitalar de Coimbra

2 Serviço de Radioterapia, Instituto Portugués de Oncologia Francisco Gentil de Coimbra

Introduçao e objectivo: Está recomendada como terapéutica standard para o carcinoma pulmonar de nao pequenas células, estádio III inoperável, uma terapéutica combinada com quimioterapia e radioterapia. Estabelecemos como objectivo deste trabalho avaliar, dentro da nossa experiéncia, a taxa de resposta e toxicidade desta combinaçao. Métodos: Em todos os doentes decidimos por dois ciclos de quimioterapia de induçao, seguido por quimiorradioterapia concomitante. Os esquemas de quimioterapia foram em 14 doentes carboplatínio + paclitaxel e nos restantes 9 cisplati-nio + vinorelbina. A radioterapia concomitante (5 dias por semana, 1,8 Gy/dia) a iniciar no dia 21 pós 2° ciclo estendia--se a um total de 59 a 63 Gy.

Resultados: Reavaliamos 23 doentes, 22 do sexo masculino, com idade mediana de 63 anos (40-73), todos com PS de 0 ou 1, estádio IIIA (5 doentes) e IIIB (18). Do total de doen-tes temos 11 fumadores activos, 10 ex-fumadores e 2 nao fumadores. A histologia foi de adenocarcinoma em 10 e carcinoma escamoso em 13 doentes. Avaliando a eficácia, concluimos por 14 doentes com resposta objectiva (1 RC e 13 RP), 5 com estabilidade e 4 com progressao. Toxicidade grau 3&4: anemia em 7 doentes; neutropenia em 11 doentes com 3 episódios de neutropenia febril; esofagite em 5 doen-tes e pneumonite em 6. Sem qualquer morte relacionada com o tratamento. Faleceram 14 dos 23 doentes. Sobrevida mediana de 15 meses. Conclusöes: Estes resultados, sobrepo-niveis à literatura, confirmam a quimioradioterapia concomitante como a terapéutica standard e a recomendada para estes doentes, segundo os consensos nacionais.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Metastiza^áo rara de tumor carcinóide típico do pulmáo -A propósito de um caso clínico

Ana Alegria, Encarnado Teixeira, Renato Sotto-Mayor, Ana

Maria Palha, Antonio Bugalho de Almeida

Servido de Pneumologia I, Hospital de Santa Maria, CHLN,

Lisboa

Introdujo: O tumor carcinóide do pulmao corresponde aproximadamente a 1-2% das neoplasias pulmonares do adulto. Caracteriza-se pela diferenciado neuroendócrina e por um comportamento clínico relativamente indolente. Nos tumores carcinóides descrevem-se dois tipos histológicos, o carcinóide típico (CT) e o carcinóide atípico, sendo a diferenciado baseada no número de mitoses e na presenta ou nao de necrose. O CT metastiza menos frequentemente. Caso clínico: Descreve-se o caso de uma doente de 38 anos, nao fumadora, com um CT do pulmao diagnosticado em 2003, altura em que foi submetida a bilobectomia direita, com ressec^ao completa da lesao e sem necessidade de quimioterapia adjuvante. A referir seguimento em consulta de Infertilidade com fertilizado in vitro em 2006, que culminou em gravidez de termo. Seguida regularmente no nosso ser-vi^o, sem sinais de recidiva local ou a distancia até Outubro de 2008, altura em que é referido em TC torácica e abdominal a existéncia de múltiplos nódulos hipervascularizados em ambas as regioes mamárias. Realizou ressonáncia magnética mamária, mamografia e biópsia mamária, que revela-ram células com imunoistoquímica sugestiva de metástase de tumor endócrino do mesmo tipo do detectado em 2003. O doseamento sérico de cromogranina A era elevado. Assin-tomática, sem recidiva local e sem outros locais de metasti-za^ao. Em Dezembro, a doente reportou gravidez evolutiva de 10 semanas, cuja interrup^ao recusou. O caso foi discutido em reuniao multidisciplinar, tendo a doente iniciado bioterapia com octreótido.

Discussao: O CT metastiza em menos de 10% dos casos e muito raramente para a mama. É fundamental a sua diferenciado com lesoes primárias da mama, dadas as diferen^as na abordagem terapéutica. A existéncia de uma gravidez evolutiva concomitante com o diagnóstico de metastiza^ao reduziu as op^oes terapéuticas. A decisao por terapéutica com octreótido poderá permitir uma estabilizado da doen^a e a evolu^ao saudável da gravidez.

Síndroma de hipoventilaçâo/ /obesidade (SHO) - Estudo retrospectivo e eficácia da ventilaçâo mecánica nâo invasiva (VMNI)

Cláudia Santos1, Ana Norte2, Fátima Fradinho2, Alexandra Catarino2, Paulo Lopes2, Maria Joao Matos2, Mário Loureiro2

1 Serviço de Pneumologia — Departamento de Ciéncias Pneumológicas e Alergológicas

2 Serviço de Pneumologia Hospitais da Universidade de Coimbra

Introduçâo: A SHO caracteriza-se por obesidade (IMC>30kg/ /m2), hipercapnia diurna e disturbio respiratório durante o sono; associa-se com frequéncia a SAOS. A terapéutica consiste sobretudo em ventilaçao com pressao positiva por vezes associada a oxigénio.

Objectivo: Caracterizar os casos de SHO internados num serviço de pneumologia durante 5 anos, associaçao com SAOS e vantagens da VMNI.

Materiais e métodos: Análise retrospectiva de processos de doentes internados entre 2003 e 2007 com diagnóstico de SHO. Avaliou-se sexo, idade, clínica, hábitos tabágicos, co-morbilidades, IMC, gasometria arterial, estudo funcional ventilatório, associaçao com SAOS e benefícios da VMNI. Resultados: Foram analisados 35 processos (21 ^ e 14^), idade média de 61,4 anos, a maioria dos doentes nao fumadores. A HTA e ICC foram as patologias mais associadas à SHO. O IMC médio era de 43,4 kg/m2, quanto mais elevado era o IMC mais grave a restriçao ventilatória. Os doentes tinham hipoxemia considerável e hipercápnia. Dez doentes com his-tória prévia de ventilaçao mecánica invasiva. Dos doentes que realizaram estudo do sono (13), grande parte tinha SAOS as-sociado. A VMNI foi instituída em 66% do total dos doentes, com melhoria significativa da hipoxemia e hipercápnia. ConclusÓes: Verificou-se predomínio de doentes do sexo feminino, ao contrário do que está descrito na literatura. Estao descritas várias comorbilidades nestes doentes, compro-vando-se neste estudo maior associaçao a HTA e ICC e tendéncia para doentes com várias patologias. O grande numero de doentes submetidos a VMI prévia poderá justificar-se pela obesidade e hipoventilaçao. Verificou-se menor percentagem de SAOS relativamente ao que está descrito, o que poderá estar relacionado com o pequeno numero de doentes que realizou estudo do sono. A maioria foi submetida a terapéutica com pressao positiva, conforme recomendado, verificando-se melhoria estatisticamente significativa dos parámetros gasométricos.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Pneumonia por herpes varicela-zoster

Carla Antonio1, Alcina Tavares2, Ana Paula Gongalves2, Filomena Luís2, Nuno Sousa2, Luis Ferreira2

1 Pneumologia

2 Unidade Local de Saúde, EPE — Guarda

Os autores apresentam o caso clínico de um homem de 36 anos, fumador, referenciado ao servigo de urgencia por um quadro de tosse, com expectoragao hemoptóica, febre e odi-nofagia, com 2 dias de evolugao, precedido de um quadro de erupgöes cutáneas, pruriginosas, que foram evoluindo desde vesículas até crostas, inicialmente no tronco, depois generalizadas a todo o corpo. Apresentava-se pálido, eupneico, febril, taquicárdico, normotenso e com lesöes cutáneas. Orofaringe hiperemiada e com vesículas dispersas. Exames complementares de diagnóstico: Análises: Linfócitos atípicos, PCR elevada. Gasimetria: Insuficiencia respiratoria parcial com hipoxemia moderada.

Rx Tórax: Infiltrado intersticial difuso bilateral. Serologias para VIH; hepatite B e C; vírus herpes I e II IgM e IgG: negativas.

Serologias para vírus herpes I IgG e herpes varicela-zoster IgM e IgG: positivas

Pesquisa de BAAR e exame bacteriológico da expectorando: negativas.

Tratamento no internamento: Aciclovir e levofloxacina endovenosos, com melhoria clínica, analítica, gasimétrica e radiológica.

Na consulta 2 meses após o internamento: recuperagao do estado clínico com análises, PFR e Rx tórax normais. A varicela é uma doenga exantemática, contagiosa, provocada pelo vírus varicella-zoster (VVZ), mais frequente na in-fáncia, mas com curso clínico mais grave em adultos. A pneumonia viral é uma complicagao grave mais frequente em adultos (cerca de 20%).

O diagnóstico é dado pela clínica, história de contacto com indivíduo infectado, análises, serologias e Rx de tórax. Pode surgir pneumonia bacteriana tardia.

Tratamento: Aciclovir endovenoso e nos casos com insuficiencia respiratória grave sao necessários os corticosteróides endovenosos.

A vacinagao está indicada em jovens soronegativos, com factores de risco para complicagöes graves. O tabagismo pode ser um factor de risco que aumenta a prevalencia de pneumonia viral.

Rx Tórax caso clínico da pneumonia por varicela

REVISTA PORTUG

UESA DE PNEUMOLOGIA

Tromboembolia pulmonar em doentes com cancro do pulmáo -Casuística de um servido de pneumologia

Tiago Alfaro, Ivone Gongalves, Alice Pego, Amélia Sousa, Carlos Robalo Cordeiro

Servigo de Pneumologia (Dir.: Dr. Mário Loureiro) Departamento de Ciéncias Pneumológicas e Alergológicas (Dir.: Prof. Doutor M Fontes Baganha) Hospitais da Universidade de Coimbra

A tromboembolia pulmonar (TEP) é uma patologia frequen-temente identificada e que está associada a elevada morbili-dade e mortalidade.

Entre os vários factores de risco para a TEP encontra-se a doenga neoplásica activa, pelo que doentes com neoplasia do pulmao estao especialmente sujeitos a este risco. No sentido de avaliar a associagao entre estas duas patologias, os autores realizaram um estudo retrospectivo de doentes com neoplasia do pulmao e TEP internados num servigo de pneumologia durante quatro anos. Foram avaliadas as características clínicas analíticas e imagiológicas destes doentes. Foram encontrados doze doentes, 6H/6M, com uma idade média de 70,6 anos. O subtipo histológico mais frequente foi o adenocarcinoma, em 58,3% dos casos, seguido do carcinoma epidermóide e do carcinoma de pequenas células, presentes cada um em 16,7% dos doentes. A quase totalida-de dos doentes estava em fase avangada da neoplasia (IIIB ou IV em 11 doentes), estando 8 sob terapéutica citostática. A TEP foi diagnosticada em média 7 meses após a neoplasia (0 — 53), sendo que o diagnóstico foi efectuado com menos de um més de diferenga em sete casos (58.3%). Onze dos doentes apresentavam sintomatologia recente, com dispneia em nove e toracalgia em sete. Os D-dímeros estavam elevados em todos os casos em que foram avaliados, observando--se insuficiéncia respiratória em sete casos (58,3%). A forma mais frequente de diagnóstico foi a angio-TC (oito casos — 66,7%). Registou-se uma mortalidade de 33,3% (quatro casos).

Os autores concluem que a TEP é uma doenga de elevado relevo e mortalidade nos doentes com neoplasia do pulmao, com particular incidéncia nos doentes com adenocarcinoma e com doenga em fase avangada. Uma melhor caracterizagao desta associagao poderá levar a um diagnóstico mais eficaz e a uma possível melhoria do prognóstico.

Linfoepitelioma primário do pulmao

Marta Soares1, Jorge Ferreira2, Gabriela Fernandes3, Venceslau Hespanhol3, Conceigao Souto Moura4, Fernanda Joao2

1 Medicina Interna

2 Servigo de Pneumologia Hospital Pedro Hispano, Matosinhos

3 Servigo de Pneumologia

4 Servigo de Anatomia Patológica Hospital de S. Joao, Porto

O linfoepitelioma é um carcinoma pouco diferenciado com um estroma linfóide proeminente que surge habitualmente na nasofaringe e que pode estar associado a infecgao pelo vírus Epstein-Barr. O aparecimento de tumores primarios com este tipo de histologia ao nível do pulmao é raro. Este caso refere-se a uma mulher de 74 anos com antecedentes de neoplasia da mama aos 42 anos (submetida a mastectomia e radioterapia), HTA e DM tipo 2, que recorre ao hospital por apresentar um quadro de dispneia, tosse e sibiláncia com cerca de um mes de evolugao e de agravamento progressivo. Apresentava diminuigao do murmurio vesicular no hemitó-rax esquerdo na auscultagao pulmonar e insuficiencia respi-ratória parcial. Realizou TAC torácica que mostrou uma massa paratraqueal inferior esquerda com extensao a carina e bronquio principal esquerdo. A broncofibroscopia revelou uma lesao vegetante da traqueia que se projectava na porgao inicial de ambos os bronquios principais, de forma mais exuberante a esquerda, provocando obstrugao total do br. principal esquerdo e parcial do br. principal dto. Foi posteriormente submetida a broncofibroscopia rígida com foto-coagulagao laser e remogao mecánica da lesao. O resultado anatomopatológico foi compatível com o diagnóstico de carcinoma pouco diferenciado com alguns aspectos de lin-foepitelioma, mais provavelmente primário, do pulmao. Foi avaliada por otorrinolaringologia que excluiu uma localizagao primária da neoplasia a nível da nasofaringe. A PET e a to-mografia nao mostraram evidencia de outras lesöes. O caso foi apresentado em consulta de grupo oncológico, tendo sido decidido realizar radioterapia e eventual quimioterapia adjuvante. Iniciou RT, mas acabou por falecer após pneumonia grave.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Sarcoidose - Estudo de doentes com envolvimento torácico

Rui Rolo, Lurdes Ferreira, Beatriz Fernandes, Lourdes Iglesias,

Manuel Macedo, Joao Cunha

Servigo de Pneumologia. Hospital de S. Marcos, Braga

Objectivo: Estudo dos doentes seguidos actualmente na consulta externa de pneumologia com o diagnóstico de sarcoidose torácica.

Materia! e métodos: Incluímos 27 doentes com o diagnóstico de sarcoidose. Foram avaliados, entre outros, os seguin-tes parámetros: sexo, idade, sintomas iniciais, estádio radiológico, fungao respiratória, evidencia de doenga extra-pulmonar, método de diagnóstico, tratamento e evolugao. Resultados: Quinze (56%) doentes do sexo masculino, com uma idade mediana de 44 anos (25-74). As queixas respira-tórias foram a manifestagao inicial em 67% dos doentes, sendo a tosse e a dispneia as mais frequentes. Trés doentes encontravam -se assintomáticos.

O estádio radiológico mais frequente foi o II (63% dos doentes). Quatro estariam em estádios mais avangados (III e IV). No estudo funcional respiratório, 48,1% dos doentes nao apresentavam alteragöes, 29,6% apresentava obstrugao das pequenas vias aéreas e 14,8% tinham síndroma restritiva. O estudo da celularidade alvelolar foi realizado em doze doentes, tendo sido observada alveolite linfocítica e relagao CD4/CD8 elevada em onze.

A mediastinoscopia estabeleceu o diagnóstico de sarcoidose em oito doentes, enquanto a biópsia pulmonar e bronquica foram o método diagnóstico em nove doentes. Em quatro o diagnóstico resultou de biópsias cutáneas e em seis nao se obteve confirmagao histológica, correspondendo a um diagnóstico clínico/radiológico e LBA. Em oito (30%) doentes foi possível objectivar envolvimento extrapulmonar da do-enga, nomeadamente a nível da pele, olho, fígado e parótida. A SACE estava elevada em dezasseis doentes (59%) no início do diagnóstico.

A maioria dos doentes (23/85%) iniciou tratamento com corticoesteróides, com boa evolugao clínica, radiológica e analítica em dezasseis.

Conclusao: Apesar de se tratar de uma amostra pequena, verificamos que a maioria dos doentes apresenta doenga de menor gravidade (estádios I/II) e resposta ao tratamento, o que está de acordo ao descrito na literatura.

Concordancia entre estadiamento clínico e patológico no carcinoma pulmonar de nao pequenas células (CPNPC)

Michele De Santis, Cidália Rodrigues, Luis Vaz Rodrigues, Ana

Figueiredo, Fernando Barata

Pneumologia. Centro Hospitalar de Coimbra, EPE

Introdujo: O estadiamento clínico é o passo fundamental na abordagem inicial de doentes com CPNPC. O posterior estadiamento patológico ajusta e complementa a avaliagao prévia nos doentes submetidos a cirurgia. Objectivo: Avaliar o grau de concordáncia entre o estadiamento TNM clínico e patológico de doentes com CPNPC submetidos a cirurgia com intengao curativa. Materiais e métodos: Analisamos retrospectivamente, desde 1990, os processos de doentes com diagnóstico de CPNPC submetidos a cirurgia. Foram excluidos doentes com estadiamento incompleto e os submetidos a quimioterapia neoadjuvante.

Foi feita uma estatística descritiva e avaliada a concordáncia (índice kappa de Cohen).

Resultados: Foram incluidos 109 doentes, idade média 62,8 anos, 73% sexo masculino.

O estadiamento clínico permitiu distribuir os doentes em:

IA 16 (14,7%), IB 66 (60,5%), IIA 1 (0,9%), IIB 18 (16,5%), IIIA 8 (7,4%).

A histologia predominante foi adenocarcinoma em 55,7%, seguido pelo epidermóide em 34,5%. Foram submetidos a lobectomia 76% dos doentes. Após estadiamento patológico, as principais alteragoes apresentaram-se nos estádios:

cIIB, 18 doentes, em 8 (44,5%) nao houve modificagao, 5 (27,7%) mudaram para IIIA, 1 (5,5%) para IV, 4 (22,3%) para um estádio menor (IB).

cIA, 18 doentes, em 9 (50%) nao houve modificagao, 8 (44,5%) mudaram para IB e 1 (5,5%) para IIIA. cIB, 68 doentes, em 43 (63,2%) nao houve modificagao, 9 (13,2%) mudaram para IIB e 16 (23,6%) para IIIA. A concordáncia para o estadiamento TNM foi de 0,36, traduzindo baixo grau de concordáncia. Conclusoes: O deficiente estadiamento clínico, expresso por um índice de concordáncia baixo, ocorreu sobretudo á custa da avaliagao do envolvimento ganglionar. O desenvol-vimento de novas técnicas imagiológicas e endoscópicas e uma mais exaustiva e protocolizada avaliagao conduzirao á maior concordáncia em estudos futuros. Palavras-chave: Carcinoma pulmonar de nao pequenas células, estadiamento, cirurgia

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Rastreio de tuberculose em doentes candidatos a terapéutica imunossupressora

Ivone Gonçalves1,2, Fernando Guedes3, Aurora Carvalho3, Raquel Duarte3

1 Serviço de Pneumologia, Hospitais da Universidade de Coimbra

2 CDP - Gaia, HUC EPE

3 CDP - Gaia, CHVNG/Espinho EPE

Introduçao: Está recomendado o rastreio de tuberculose em todos os individuos que vao iniciar medicaçao imunossupressora incluindo anti-TNF alfa.

Objectivo: Apresentamos o resultado do rastreio de 43 doentes candidatos a terapéutica imunossupressora com anti TNF alfa.

Materia! e métodos: Foi efectuado rastreio a 13 doentes com patologia do foro reumatológico, 12 com doença de Crohn, 14 com psoriase e 6 com esclerose múltipla. O rastreio incluiu inquérito de sintomas, teste tuberculinico e radiografía pulmonar. Foi assumida TL em todos os doentes com alte-raçoes radiológicas sugestivas de passado de tuberculose nao tratada ou teste de tuberculinico positivo — normas publicadas. O tratamento da TL foi efectuado com isoniazida após exclusao de doença.

Resultados: Foram estudados 43 individuos, 21 do sexo masculino e 22 do sexo feminino, idade média de 43,2 +/ /-11,4 anos. Dezoito (41,9%) dos casos apresentavam crité-rios de TL e iniciaram tratamento; vinte e seis (58,2%) nao tinham critérios para TL. Destes, 14 (56,0%) fizeram qui-mioprofilaxia por já se encontrarem sob terapéutica imunos-supressora no momento do rastreio; os restantes mantiveram--se sob vigilância. O teste tuberculinico foi positivo em 12 (27,9%) dos casos, 7 dos quais imunocomprometidos, e foi negativo em 31 (72,1%), 18 (58,1%), correspondentes a doentes imunocomprometidos (OR:1,16, IC95%: 0,2866 to 4,702). O doseamento do interferao gama foi efectuado em 28 (65,1%) dos casos. O teste tuberculinico e o dosea-mento de interferon gama apresentaram uma concordância de 85,7% (kappa: 0,58). O doseamento de interferon gama foi indeterminado num caso e positivo em 2 individuos tuberculinico-negativos.

Comentarios: Sao apresentados os resultados preliminares do estudo, que sugerem que o doseamento do interferao gama integrado no rastreio de doentes imunodeprimidos poderá permitir identificar melhor os individuos infectados. Nenhum doente desenvolveu tuberculose no periodo estu-dado (10 meses).

Inquérito de hábitos tabágicos e resultados preliminares da cessa^äo tabágica no IPO-Porto

Sandra Saleiro, Esmeralda Barreira, Maria José Bento, Luís Rocha

Pneumologia. Instituto Portugues de Oncologia (IPO) do Porto

O tabaco é factor de risco importante para várias patologias, sobretudo respiratória, cardiovascular e oncológica, com diminuigao da qualidade e esperanga média de vida e morte prematura. Como factor de risco modificável, torna-se es-sencial intervir sobre ele.

O início de uma consulta de cessagao tabágica no IPO levou a realizagao de um inquérito a todos os funcionários, de forma a caracterizar os seus hábitos tabágicos e avaliar a motivagao destes para a cessagao tabágica. Dos 1764 inqué-ritos, obtivemos 606 respostas (34,4%), sendo 495 (81,7%) mulheres. A média de idades foi de 38 anos, sendo a distri-buigao por grupo professional: 235 (38,8%) enfermeiros, 147 (24,3%) auxiliares da acgao médica, 84 (13,9%) médicos, 53 (8,7%) administrativos, 46 (7,6%) técnicos e 18 (3%) outros. Observaram-se 97 fumadores (16%), com consumo diario médio de 12 cigarros (média de 12 UMA), sendo 69 mulheres (71,1%) e 28 homens (28,9%). Constatou-se que 13,9% das mulheres e 25,2% dos homens eram fumadores (p=0,003). Sem diferenga estatística nos hábitos tabágicos por servigo (p=0,351). No que se refere ao grupo profissional, 6,5% dos técnicos, 10,7% dos médicos, 12,8% dos enfermeiros, 15,1% dos administrativos, 25,2% dos auxiliares e 33,3% dos outros (p=0,001) sao fumadores. A maioria dos fumadores (88,7%) mostrou desejo de suspender os hábitos tabágicos (independentemente do género e grupo profissional) e 65,9% revelou motivagao para iniciar um plano de cessagao tabágica.

Neste contexto, foi implementada uma consulta de cessagao tabágica. Sao apresentados resultados de 9 meses de consulta, com 34 funcionários e 20 doentes. De acordo com o teste de Fagerström, 50% tinha dependéncia média e 27,8% elevada; a motivagao (teste de Richmond) foi média em 61,1% e elevada em 22,2%. Nunca tinham efectuado qualquer tentativa de cessagao tabágica 40,7% e ganhos em saúde foi a razao apontada por 75,9% para o recurso a consulta. A abstinencia actual é de 18,2% e o abandono da consulta de 66,7%.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Broncoscopia rígida e electrocoagula^äo para exérese de lipoma endobronquico

Fernando Guedes1, Daniela Ferreira2, Ana Oliveira2, Sofia Neves2, José Almeida2, Joao Moura e Sá2

1 Pneumologia

2 Unidade de Broncologia

Servigo de Pneumologia, CHVNG/Espinho EPE

O lipoma é uma neoplasia benigna, podendo surgir em qualquer parte do corpo. A localizagao endobronquica representa 0,1% a 0,5% de todas as neoplasias pulmonares. A incidencia aumenta a partir dos 50 anos, predomínio do sexo masculino, obesos e fumadores. Os sintomas dependem do grau de obstrugao das vias aéreas. Podem cursar com tosse, dispneia ou infecgöes recorrentes. Por serem tumores pouco vascularizados, hemoptises sao infrequentes ( <25%). A ressecgao cirúrgica tem sido o tratamento standard, observado-se, no entanto, uma experiencia crescente no tratamento endoscópico sem registo de complicagöes. Neste contexto, os autores apresentam o caso de um homem de 69 anos, reformado de cerámica, ex-fumador de 80 UMA

Seguido na consulta de pneumologia por DPOC e vigiláncia de nódulo pulmonar.

Antecedentes de tuberculose pulmonar em 1980 com trata-mento completo.

Por hemoptises em 10/08, realiza TAC torácico que mostra nodulo calcificado de 14 mm no LSE e nodulo tecidular de 9 mm no LIE, imagens sobreponíveis aos exames anteriores. Sem referencia a outras lesöes.

Realizou broncofibroscopia em 09/10/2008 que revelou na parede posterior do tronco intermédio (TI) massa tumoral móvel, superfície lisa, pouco vascularizada, consistencia mole, com 1 cm de diámetro, obstruindo parcialmente a pirámide basal, aspecto compatível com lipoma. Perante o achado, planeia-se broncoscopia rígida (BR) para exérese diagnóstica e terapeutica.

Em 22/10/08 realiza BR com electrocoagulagao (EC) a nível do pedículo da lesao e exérese da massa. Colheu lavado bronquico para microbiologia, BK e citologia, que foi negativo. A anatomopatologia da pega revelou tecido adiposo maduro sem atipia ou actividade mitótica, com infiltrado inflamatório, compatível com lipoma. Feita revisao endoscópica para EC de pequeno lipoma residual. LM e basais normais com orifícios segmentares e subsegmentares permeáveis. Após tratamento, prossegue assintomático.

Doen^a disseminada após instilando de BCG por neoplasia vesical

Fernando Guedes1, Raquel Duarte2, Rego Araújo3, Aurora Carvalho2

1 Pneumologia; Centro Hospitalar V N Gaia/Espinho EPE

2 CDP V N Gaia; Servigo de Pneumologia; CHVNG/Espinho EPE

3 Servigo de Urologia; Centro Hospitalar do Porto

A instilagao intravesical do bacilo de Calmette Guerin (BCG) tem vindo a ser utilizada com sucesso como terapia adjuvante no tratamento do carcinoma superficial de células de transigao da bexiga.

Os autores apresentam um caso clínico de um homem de 72 anos, com antecedentes de carcinoma da bexiga, a quem após a cirugia foi iniciada instilagao intravesical com BCG. No decorrer do tratamento iniciou sintomas gerais que motivou posterior estudo. A TAC torácica evidenciou áreas nodulares hipodensas e hipocaptantes no rim direito e espessamento da parede da bexiga.

O estudo efectuado incluiu: estudo micobacteriológico de urina, biópsia renal e da parede vesical. Os tecidos de biópsia renal e vesical evidenciaram lesoes inflamatórias crónicas granu-lomattosas epitelióides. O estudo micobacteriológico de urina e do produto da biópsia renal evidenciou presenga de BCG. Apesar de a instilagao intravesical de BCG ser globalmente bem tolerada, existe possibilidade de disseminagao local e sistémica que exige orientagao adequada. Os autores fazem uma revisao sobre o tema.

Caracterizando dos internamentos prolongados por pneumonia adquirida na comunidade (PAC)

Gabriela Sequeira da Silva, Inés Sanches, Filipa Costa, Fernando Matos, Fernando Barata

Pneumologia, Centro Hospitalar de Coimbra, EPE

A hospitalizagao prolongada associa-se a complicagoes e custos elevados. Nao existe ainda um consenso que defina o limite acima do qual se deve considerar um internamento por PAC como prolongado.

Os autores apresentam um estudo retrospectivo realizado no servigo de pneumologia do CHC, cujo objectivo foi caracterizar os internamentos prolongados por PAC durante um ano. Definiu-se internamento prolongado como uma dura-gao >10 ou >12 dias em doentes sem e com comorbilidades, respectivamente. Colheram-se dados demográficos, clínicos, radiológicos, microbiológicos, terapéuticos e evolutivos dos processos clínicos.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Incluíram-se 51 doentes (25,9% do total das PAC), 51,0% do sexo masculino, com média de idades de 71,1 anos, 78,4% provenientes do domicilio e 21,6% de instituigöes. noventa e dois virgula um por cento eram portadores de comorbilidades (3,7/doente). Quarenta e cinco virgula um por centro apresen-tavam patologia pleuropulmonar prévia. Setenta e seis e meio por cento tinham um PSI elevado (IV ou V); 66,7% apresen-tavam pneumonia unilateral e 58,8% multifocal. Em 58,8% a antibioterapia empírica esteve de acordo com as recomendares, sendo instituida nas primeiras 8h em 70,6%. Alterou-se o antibiótico inicialmente prescrito em 56,8% (48,3% de forma empírica e 48,3% dirigida a microrganismos isolados). Os gérmens predominantes foram Staphylococcus aureus 19,6% e o Streptococcus pneumoniae 11,8%. Ocorreram complicares em 64,7%, maioritariamente a insuficiencia respiratória (92,2%) e o derrame pleural (19,6%). A duragáo média de internamento foi, respectivamente, de 11,7 e 20,1 dias para doentes sem e com comorbilidades. Taxa de mortalidade de 7,8%. Principals causas de prolongamento do internamento: falén-cia da antibioterapia instituída (39,2%) e derrame pleural

(13,7%).

Os internamentos prolongados por PAC registaram-se em doentes idosos, com comorbilidades, PSI elevado e envolvi-mento radiológico multifocal, sendo frequentes as complica-göes. A falencia da terapéutica empírica e o derrame pleural foram os principais causadores desse prolongamento.

TC, com 2cm, contornos indefinidos no segmento apical do LID, sem evidéncia de adenopatias ou atingimento pleural. Exame físico normal. Restante estudo tomográfico nao iden-tificou outras focalizares de doenga. Análises: sem alteragoes no hemograma. dislipidemia mista. VS: 26mm. Electrofore-se prot.: discreta hipergamaglobulinemia. Elevagao do anti-génio específico tecidual polipético, com restantes marcadores tumorais normais. Broncofibroscopia: sem lesoes endo-bronq.; citologia das secregoes bronq.: negativa para malig-nidade. PFR: evidéncia de obstrugao bronquiolar. Nao se podendo excluir malignidade, foi proposto para ressecgao cirúrgica e submetido a lobectomia inferior direita com res-secgao de ganglios paratraqueais (Ago 08). Exame anatoma-topatológico da pega operatoria identificou no seg. apical dois nódulos adjacentes (com 2 e 1cm de dimensoes, respectivamente), constituídos por folículos linfóides hiperplasiados, com predomínio de células plasmocitárias e vasos sang. nao hialinizados, confirmando envolvimento pulmonar de D. Castleman — variante plasmocítica. Sem doenga localizada aos ganglios ressecados. O doente manteve seguimento he-matológico, sem necessidade de terapéutica sistémica, encontrando-se sem evidéncia de recidiva da doenga ao fim de 6 meses da ressecgao. Este caso relembra a necessidade de inclusao da doenga de Castleman no diagnóstico diferencial dos nódulos do pulmao, apesar da raridade da mesma.

Doenga de Castleman - Uma doenga rara, com uma apresenta^ao rara

Nicole Murinello1, Nicole Murinello2, Cristina Matos2, Fernando Lima3, José Sena Lino4, Rosa Gouveia5, Fernando Nogueira2

1 Servigo de Pneumologia; Hospital Egas Moniz — Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

2 Servigo de Pneumologia

3 Servigo de Hematologia

4 Servigo de Cirurgia Cardiotorácica

5 Servigo de Anatomia Patológica Centro Hospitalar de Lisboa Ocidental

A doenga de Castleman é uma doenga linfoproliferativa rara, com envolvimento linfático uni ou multicéntrico, geralmente ganglionar, e raramente atingindo unicamente o parénqui-ma pulmonar. Apresenta-se o caso de um doente com variante plasmocítica da doenga e apresentagao nodular única pulmonar, tratado por lobectomia. Homem de 60 anos, caucasiano, sem história de doenga pulmonar, imunocompe-tente. Ex-fumador (60 UMA). Por rotina, e encontrando-se assintomático, realizou (Maio 08), Rx tórax evidenciado nódulo no lobo inferior pulmonar direito, confirmado por

H/E x100

REVISTA POKTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

"Pseudomesotelioma": Metastizanao pleuropulmonar de melanoma maligno

Teresa Gomes1, Ana Isabel Loureiro2, Ana Fernandes3, Abel Afonso4

1 Pneumologia

2 Interno Complementar do Servigo de Pneumologia

3 Chefe de Servigo de Pneumologia;

4 Director de Servigo de Pneumologia

Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro

A metastizagao intratorácica do melanoma maligno (MM) raramente envolve a pleura parietal de forma isolada, ocor-rendo associada a lesao pulmonar secundária. Os autores descrevem um caso clínico ilustrativo da metastizagao pleuro-pulmonar do MM semelhante ao padrao de crescimento do mesotelioma maligno.

Mulher de 58 anos, comerciante, nao fumadora, antecedentes de hipertensao arterial, dislipidemia, síndroma depressiva e biópsia excisional de nevo melanico da face esquerda em 2004. Referenciada ao nosso hospital para estudo de derrame pleural esquerdo (DP). Quadro com dois meses de instalagao de sintomas gerais, tosse, dispneia de esforgo e toracalgia pleurítica esquerda.

Ao exame objectivo apresentava semiologia de DP esquerdo. A telerradiografía torácica mostrava DP esquerdo de grande volume, confirmado na tomografia computorizada, onde também era visível espessamento nodular difuso da pleura parietal esquerda e pequenas densificagoes nodulares dispersas nos lobos superior e inferior direito. Analiticamente, a salientar elevagao da velocidade de sedi-mentagao e do marcador tumoral Ca 125. Líquido pleural castanho, com características de exsudado, predominio de mononucleares, ADA, pH e glicose normais. Por citologia do líquido negativa para células neoplásicas, biópsia pleural por agulha inconclusiva, propos-se a doente para toracoscopia cirúrgica videoassistida. A superfície pleural apresentava múltiplas lesoes vegetantes de cor escura, cujas análises histológica e imunoistoquímica foram compatíveis com metástases pleurais de melanoma.

Sao raras as neoplasias que metastizam na pleura de forma difusa, assemelhando-se ao mesotelioma maligno. Este caso realga a semelhanga na apresentagao clínicorradiológica do mesotelioma e pseudomesoteliomas, reforgando a importancia do diagnóstico exacto.

Apesar de a literatura referir que a metastizagao a distancia no MM ocorre ao fim de 10 anos, este caso mostra o com-portamento imprevisível das neoplasias.

Abordagem multidisciplinar do tratamento da tuberculose

Fernando Guedes1, Ivone Gongalves2, Beatriz Ucha3, Fernando Calvário3, Aurora Carvalho4, Raquel Duarte4

1 Pneumologia; Centro Hospitalar V N Gaia/Espinho EPE

2 CDP V. N. Gaia; HUC

3 CDP V. N. Gaia

4 CDP V. N. Gaia; Servigo de Pneumologia; CHVNG/Espinho EPE

Introdu^ao: O abandono do tratamento levanta grandes problemas uma vez que nao existem mecanismos legais que obriguem o doente ao seu cumprimento, podendo daí advir um problema de saúde pública. Desde 2003 os servigos de saúde pública, hospitais e instituigöes privadas de apoio a toxicodependentes e populagao carenciada tém vindo a desenvolver um programa de cooperagao e intervengao de forma a minimizar o abandono do tratamento e os riscos relacionados com esse abandono. O centro diagnóstico pneumológico (CDP) actua como ponto central desse pro-cesso.

Objectivos: Avaliar o impacto da intervengao no número de abandonos ao tratamento, factores de risco e medidas im-plementadas durante um período de 6 anos. Material e métodos: Foram revistos os processos de todos os indivíduos com má adesao ou abandono do tratamento entre 2003 e 2008.

Resultados: Durante esse período verificaram-se 49 casos de tratamento irregular (num total de 547), dos quais 17 resultaram em abandono do tratamento. Observou-se um perfil descendente de casos desde 2003 até 2008, quer em termos de má adesao ao tratamento (21 para 3), quer em termos de abandono (8 para zero).

Comentario: Parece evidente a necessidade de o CDP se associar a outras instituigöes que, pelas suas características de intervengao social, permitam localizar e fazer chegar a medicagao a um maior número de doentes.

Caracterizando da populando admitida para internamento por legionelose de um hospital central durante o período de 2001 -2008

Alberto Leite, Marco Diogo, Narciso Oliveira, Teresa Pimentel, Sameiro Ferreira

Servigo de Medicina 2. Hospital Sao Marcos, Braga

Objectivos: A Legionella pneumophila (Lp) é um agente in-tracelular que se apresenta fundamentalmente sob a forma de pneumonia adquirida na comunidade (PAC), sobretudo nos

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

meses quentes, por inalaçao directa de aerossóis ou partículas de água contaminada, sendo dos agentes mais prevalentes nos casos graves de PAC com necessidade de cuidados intensivos. Sao factores de risco a idade avançada, o fumo de tabaco, a lesao pulmonar prévia e imunossupressao. Métodos: Avaliaçao retrospectiva de todos os isolamentos de Lp detectados por antigenúria epolymerase chain reaction das secreçoes respiratórias entre 1 Janeiro 2001 e 30 Junho 2008. Foram analisados sexo, idade, factores de risco asso-ciados, medicaçao prévia, antibioterapia, leucócitos, proteína--C-reactiva, funçao renal.

Resultados: Foram identificados 20 casos de legionelose: 95% do sexo masculino, sem relaçao com as actividades profissionais ou recreativas; idade média de 61 anos. Os factores de risco: tabagismo (60% dos doentes) e doença pulmonar prévia (40% dos doentes). Foi constatada doença do legionário em 75% dos casos. Mais de 90% apresen-tavam elevaçao dos marcadores inflamatórios sem hipoxe-mia ou lactacidemia de relevo na admissao. A disfunçao renal estava presente em cinco doentes e a natremia era inferior a 130 mEq/L em dez. A medicaçao antiácida fazia parte do tratamento prévio de 60% dos doentes. Da série em análise, seis doentes já se encontravam sob antibioterapia (a maioria p-lactâmicos). Foram vários os esquemas de tratamento (p-lactâmicos, macrólidos ou fluorquinolonas) utilizados em média durante 15 dias. Verificou-se um óbito.

Conclusoes: A legionelose apresenta elevada morbimor-talidade, em particular nos doentes com patologia prévia ou tratados de forma inadequada ou tardia, daí a impor-tância dos métodos de detecçao rápida e uma antibiote-rapia correcta e precoce. De realçar a ausencia de profissoes epidemiologicamente associadas à transmissao deste agente.

Tuberculose uterina - Caso clínico

Carla Valente, Sónia André, Paulo Cravo Roxo Centro de Diagnóstico Pneumológico de Coimbra

A tuberculose extrapulmonar constitui um distúrbio infeccioso crónico causado pelo Mycobacterium tuberculosis que pode acometer a pleura, linfáticos, SNC, ossos, tracto genitourinario, entre outros, através da disseminaçao hematogéni-ca e linfática.

Em 80 a 90% dos indivíduos infectados, a doença consegue ser contida, e apenas 10 a 20% vem a desenvolver tanto a doença pulmonar quanto extrapulmonar. Esta última corresponde a menos de 10% a 15% de todos os casos de tuberculose.

Os autores descrevem o caso clínico de uma mulher, de 78 anos, raga caucasiana, agricultora, residente em Penela, com história de esterilidade primária nao investigada. A doente foi orientada para a maternidade Bissaya Barreto por presenga de piometria recidivante há mais de 6 meses. Realizou histeroscopia que revelou presenga de abundante material purulento na cavidade endometrial, tendo sido enviado para estudo e cultura que foi positiva para Mycobacterium tuberculosis complex.

A doente foi referenciada ao CDP de Coimbra, referindo astenia e perda ponderal nao quantificada desde há um ano. A telerradiografía do tórax apresentava apenas discreto re-forgo hilar.

Neste contexto, iniciou terapeutica antibacilar durante 9 meses, revelando resolugao da sintomatologia. Com base neste caso, tecem-se algumas consideragöes no que diz respeito ao diagnóstico que exige um elevado grau de suspeigao, baseando-se na clínica e alteragöes radiológicas. A histerossalpingografia revela trompas rígidas, dilatagao e estenose da ampola, linfáticos calcificados, úlceras e fístulas. A tuberculose de tracto genital acomete habitualmente trompa, endométrio, epidídimo e testículo. Sintomas gerais podem ocorrer associados a sintomatologia específica, como alteragöes menstruais, massa anexial, corrimento vaginal recidivante, testículos com volumes aumentados, dolorosos, e adenomegalia inguinal dolorosa.

Nas mulheres pode causar infertilidade em até 70% dos casos.

Omalizumab: Abordagem terapéutica da asma e comorbilidades.

Joana Gomes, Ana Antunes. Raquel Duarte, José Ferreira, Aurora Carvalho

Servigo de Pneumologia, Centro Hospitalar Gaia/Espinho, EPE

Introdujo: Omalizumab é um anticorpo monoclonal aprovado para a terapeutica da asma persistente moderada e grave, em doentes com sensibilizagao a alergénios perineais e sintomas inadequadamente controlados com terapeutica optimizada.

Objectivo: Avaliar a resposta terapéutica com omalizumab, de acordo com controlo da asma e comorbilidades. Métodos: Avaliagao de doentes com asma persistente moderada e grave submetidos a terapeutica com omalizumab durante 12 meses em termos de sintomatologia, teste de controlo de asma (ACT), episódios de exacerbagao de asma, FEV1 e comorbilidades.

Resultados: Iniciaram terapéutica com omalizumab 11 doentes: 3 homens e 8 mulheres, idade mediana de 48 anos

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

(média de 46,7). Identificadas as comorbilidades: 8 com rinite, 1 com rinossinusite, 2 com polipose nasal, 2 com dermatite atópica (DA), 2 com obesidade e 1 com refluxo gastroesofágico (RGE). Todos os doentes apresentavam atopia a ácaros da casa, 3 a ácaros de armazenamento, 5 a faneras de animais e 3 a pólenes de gramíneas. Doseamento de IgE total entre 69 e 1040 Ul/ml. ACT inicial entre 6 e 22, mediana de 10. Um doente portador de DA interrompeu a terapéutica por toxicodermia, tendo sido excluido da avaliaçao. Dez doentes atingiram controlo da asma, com melhoria do ACT (mediana:20), diminuiçao dos cursos de corticóide oral (média inicial:6.1/ano para 0.3/ano) e da dosagem de corticoterapia inalada (média inicial:1090 bu-desonido/dia para 605/dia), reduçao do número de consultas nao programadas e episódios de urgéncia por agudizaçoes de asma (média inicial:5.2 para 0.4/ano) e melhoria do FEV1 (p<0.01). Todos os doentes com comorbilidades referiram melhoria sintomática com reduçao/suspensao das respectivas terapéuticas e normalizaçao do peso na doente obesa. Conclusao: A terapéutica anti-IgE evidenciou ser uma arma terapéutica importante em doentes com asma persistente moderada e grave em termos de controlo da asma e comor-bilidades, permitindo a descalaçao terapéutica em ambos os casos.

Sarcoidose nodular - A propósito de três casos clínicos

Patricia Caetano Mota, Carla Damas, António Morais, Venceslau Pinto Hespanhol

Serviço de Pneumologia, Hospital de Sao Joao, EPE. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

A sarcoidose nodular (SN) é uma forma de apresentaçao rara desta doença, com uma prevaléncia estimada de 2 a 4%. Caracteriza-se pela presença de múltiplas imagens de nódu-los e/ou massas pulmonares bilaterais, localizadas geralmente na periferia e associadas habitualmente a adenopatias mediastínicas. Apesar da exuberancia da sua apresentaçao, associa-se geralmente a um bom prognóstico. Os autores apresentam trés casos de SN, referentes a 3 mu-lheres com idades compreendidas entre os 24 e 59 anos, sendo apenas uma delas fumadora. A apresentaçao clínica foi diversa, estando uma doente assintomática, referindo outra dorsalgia esquerda e sintomas constitucionais, enquan-to a restante se queixava de dispneia para médios esforços e tosse seca. O estudo funcional respiratório revelou um padrao restritivo em duas doentes, obstruçao em uma, estando a capacidade de difusao do CO diminuída em dois casos. Em todas elas eram observados na TC torácica vários nódulos

pulmonares (com atingimento preferencial dos lobos superiores num dos casos) e adenopatias mediastínicas e hilares. Foram observados em todas as doentes granulomas nao caseosos, com pesquisa de micobactérias negativa, em amostra de tecido pulmonar obtida por biopsia pulmonar transtorá-cica em duas doentes e por biópsia bronquica na doente restante. Apenas uma apresentava envolvimento extratorá-cico, com presenta de adenopatias abdominais e doenga esplénica. Foi prescrita corticoterapia a duas doentes, com regressao das lesöes. A outra, dado permanecer assintomáti-ca e sem alterares funcionais respiratórias relevantes, foi mantida apenas em vigilancia.

Os casos apresentados manifestaram um quadro clínico, um padrao imagiológico e uma distribuido das lesöes de acordo com os casos descritos na literatura, tendo-se igualmente verificado uma evolu^ao clínica favorável, tradutora do bom prognóstico habitual desta forma de apresenta^ao da sarcoi-dose.

Pneumonía por Staphylococcus aureus meticilino-resistente (MRSA)

Lígia Fernandes, Filipa Costa, Fernando Barata Servido de Pneumologia, Centro Hospitalar de Coimbra

Introdujo: O MRSA é um gérmen major que causa grande morbilidade e mortalidade em todo o Mundo, sendo endémico em muitos hospitais nos EUA e na Europa. A especificidade na abordagem e terapéutica da pneumonia por MRSA justificam este trabalho.

Objectivos: Caracterizar os doentes com pneumonia por

Material e métodos: Estudo retrospectivo dos doentes internados no Hospital Geral dos CHC com diagnóstico de pneumonia por MRSA, durante um ano. Avaliaram-se os seguintes parámetros: idade, sexo, proveniéncia, comorbilidades, índice de gravidade (SAPS II), padrao imagiológico, microbiológico, antibioterapia e resultado final. Resultados: Incluídos 29 doentes, 69% do sexo masculino, idade média de 76 anos. A maioria dos doentes (51,7%) provenientes de lares e cuidados de saúde. As comorbilidades frequentes foram: dependéncia (79,3%), desnutrido (75,9%), cardiovasculares (62,1%) e cerebrovasculares (62,1%). O SAPS II médio foi de 33,4. Quanto a classifica-do das pneumonias, 58,6% foram nosocomiais, 24,1% associadas aos cuidados de saúde, 10,3% associadas ao ventilador e 6,9% da comunidade. O MRSA foi isolado na expectorado em 82,8% dos doentes. Na altura do diagnóstico presuntivo de infec^ao nosocomial 50% fizeram antibiótico em monoterapia (piperacilina/tazobactam em 25%)

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMQLQGIA

e 50% em combinagao (carbapenem em associagao em 17,4%). Dos doentes, 93,1% tinha já feito outro antibiótico previamente. A terapéutica pós identificagao MRSA foi alterada em 86,2% dos casos: 50% em monoterapia (vanco-micina em 37,5%) e 50% em combinagao (vancomicina em associagao em 29,1%). Faleceram 51,7% dos doentes. Dos restantes, com evolugao favorável, a duragao média da anti-bioterapia dirigida foi de 10 dias.

Conclusoes: A pneumonia por MRSA reveste-se de muita importancia, particularmente em doentes idosos, com várias comorbilidades, sendo na maioria dos casos de surgimento nosocomial. Tem uma elevada taxa de mortalidade e condiciona frequente ajuste terapéutico.

A utilizando da biópsia aspirativa transbronquica (TBNA) no diagnóstico de sarcoidose

Gabriela Fernandes1, Antonio Morais1, Ana Paula Vaz2, Helena Barroca3, Adriana Magalhaes4

1 Servigo de Pneumologia, Hospital de Sao Joao, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

2 Servigo de Pneumologia, Hospital Sao Joao

3 Servigo de Anatomia Patológica, Hospital Sao Joao, Faculdade de Medicina Universidade do Porto

4 Servigo de Pneumologia, Hospital Sao Joao

A biópsia aspirativa transbronquica (TBNA) é um método reconhecidamente seguro e útil para o estudo de adenopatias hilomediastínicas. É usada, mais frequentemente, nas doengas malignas, mas pode ser, também, útil no estudo de doengas benignas, em particular nos processos granulomatosos. Na sarcoidose, a sua utilizagao tem sido descrita, mas a sensibili-dade deste método refere-se a utilizagao de agulhas de histologia (18-19G). O diagnóstico de sarcoidose com agulhas de citologia é uma prática menos comum, tendo a sua utilizagao vindo a adquirir maior consisténcia. Num estudo recente, a obtengao de amostras diagnósticas, com uma agulha fina de 22 gauge, ocorreu em 76% dos doentes com sarcoidose. Os autores descrevem trés casos clínicos em que a realizagao de TBNA contribuiu para o diagnóstico de sarcoidose. Caso 1: Doente do sexo masculino, 31 anos; broncofibros-copia: lavado broncoalveolar (LBA) compatível, biópsia transbronquica (BTB) e biópsia bronquica (BB) nao diagnósticas, TBNA com agregados de células epitelióides, suge-rindo esbogo de um granuloma.

Caso 2: Doente do sexo masculino, 31 anos; broncoscopia rígida: LBA compatível, BB inconclusiva, TBNA (com exame extemporáneo) com agregados de células histiócitas formando granulomas, sem necrose.

Caso 3: Doente do sexo feminino, 63 anos; broncoscopia rígida: LBA compatível, BB inconclusivas, TBNA com esbogo de granulomas epitelióides, célula gigante com corpo aste-róide.

Sao apresentados os aspectos clínico-radiológicos e discutidos aspectos técnicos e anatomopatológicos. A sarcoidose é uma doenga granulomatosa multissistémica, sendo o pulmao o órgao mais frequentemente envolvido. Adenopatias intratorácicas podem estar presentes em até 85% dos casos. Assim, de acordo com apresentagao radiológica, uma abordagem multimodal, com a combinagao das várias técnicas (LBA, BTB, TBNA e BB), parece exe-quível e poderá aumentar a rentabilidade diagnóstica da broncoscopia.

Palavras-chave: TBNA, sarcoidose.

Tumor fibroso solitário recidivante -A propósito de um caso clínico

Patrícia Caetano Mota1, Marta Drummond2, Mariana Afonso3, Hernani Lencastre4, Carlos Franco4

1 Servigo de Pneumologia; Hospital de Sao Joao, EPE

2 Servigo de Pneumologia; Hospital de Sao Joao, EPE, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

3 Servigo de Anatomia Patológica

4 Servigo de Cirurgia Torácica

Instituto Portugues de Oncologia do Porto Francisco Gentil, EPE

O tumor fibroso solitário (TFS) é uma neoplasia rara de origem mesenquimatosa, geralmente intratorácica, cujo diagnóstico definitivo requer análise imunoistoquímica. A ressecgao cirúrgica completa é a terapéutica de eleigao para variantes benignas e malignas.

Os autores descrevem o caso de uma mulher de 82 anos, nao fumadora, internada em Janeiro de 2005 por dispneia, tora-calgia esquerda, anorexia e emagrecimento, com um mes de evolugao. A TC torácica revelou uma volumosa massa pulmonar no hemitórax esquerdo. A broncofibroscopia mostrou infiltragao da mucosa a nível do bronquio lobar inferior esquerdo com lavado e escovado bronquicos negativos para malignidade. A biópsia aspirativa transtorácica (BAT) foi inconclusiva. A biópsia de Silverman foi compatível com TFS (vimentina+; CD34+) com características de benignida-de. Foi feita exérese cirúrgica da lesao.

A doente manteve seguimento em consulta de pneumologia, tendo-se verificado aparecimento, em Janeiro de 2008, de tumefacgáo dolorosa próxima da sutura cirúrgica de dimensöes crescentes. A TC torácica revelou uma lesao tecidular na dependencia da parede torácica lateral esquerda, com invasao da pleura e procidencia sobre o pulmao adjacente, sugestiva de

REVISTA POKTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

recidiva tumoral e implantes tumorais nas pleuras parietal e diafragmática homolaterais. A BAT guiada por TC confirmou a recidiva do TFS com aspectos morfológicos de malignidade. Foi feita exérese em bloco do tumor da parede torácica, com ressecgao parcial de quatro arcos costais, excisao atípica do lobo inferior esquerdo e excisao dos implantes tumorais. A doente foi proposta para radioterapia adjuvante. A ressecabilidade da lesao consiste no factor de prognóstico mais determinante do TFS. Descrevemos um caso em que a exérese incompleta da lesao inicial e as suas grandes dimensoes poderao ter contribuido para a recidiva do TFS. A recidiva deste tumor é uma situagao rara, sobretudo quando assume um carácter mais agressivo do que o da lesao inicial.

Questionário de Berlim na identificando do risco da SAOS numa consulta de patologia respiratoria do sono

Ana Paula Vaz1, Marta Drummond2, Patrícia Caetano Mota1, Joao Carlos Winck2, Joao Almeida1

1 Servigo de Pneumologia, Hospital de Sao Joao — EPE, Porto

2 Servigo de Pneumologia; Hospital de Sao Joao — EPE. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Introdujo: O Questionário de Berlim (QB) é um instrumento de rastreio da síndroma de apneia obstrutiva do sono (SAOS) utilizado para identificar indivíduos em risco para a SAOS, tanto em cuidados de saúde primários, como em doentes cirúrgicos, onde a presenga de SAOS nao tratada está associada a uma maior prevaléncia de complicagoes perioperatórias.

Objectivos: Avaliar a utilidade do QB na identificagao do risco da SAOS numa consulta de patologia respiratória do sono. Material e métodos: Aplicagao do QB previamente a poligrafía a 100 individuos consecutivos referenciados a consulta de patologia respiratória do sono. O QB engloba 11 questoes, organizadas em 3 categorias, que inferem sobre a presenga/frequéncia de roncopatia, paragens respiratorias presenciadas durante o sono (categoria 1), sonoléncia diurna (categoria 2) e HTA ou obesidade (categoria 3). A positivi-dade em 2 ou 3 categorias define alto risco para a SAOS. Resultados: Na amostra estudada, 67% era do sexo masculino, com uma média de idades de 51±13 anos. A categoria 1 foi positiva em 90%, a categoria 2 em 29% e a categoria

3 em 64%. O QB identificou 68% dos doentes como apresentando alto risco para a SAOS (86,8% com SAOS na poligrafia: 33,8% grave, 26,5% moderada e 26,5% ligeira) e os restantes 32% baixo risco (25,0% sem SAOS na poligrafia, 43,8% com SAOS ligeira, 18,8% moderada e 12,5%

grave). A sensibilidade e a especificidade do QB para o diagnóstico de SAOS, considerando um ponto de corte para

0 índice de apneia/hipopneia (IAH)>5, foi de 71,1 e 47,0%, respectivamente de 80,3 e 44,9% para um IAH>15 e de

85,2 e 38,3% para um IAH>30.

Conclusao: Verificou-se elevada concordancia entre os scores do QB e do IAH nos indivíduos de alto risco, mas nao nos de baixo risco, achado em conformidade com o aumento da sensibilidade do QB em relagao com a gravidade da SAOS e baixa especificidade encontradas. Estes dados su-gerem que o QB pode ser útil na priorizagao do exame realizado para diagnóstico da SAOS.

Impacto do APAP sobre a síndroma metabólica em doentes com apneia obstrutiva do sono

Patrícia Caetano Mota1, Marta Drummond2, Joao Carlos Winck2, Ana Cristina Santos3, Joao Almeida1, José Agostinho Marques2

1 Servigo de Pneumologia; Hospital de Sao Joao, EPE

2 Servigo de Pneumologia; Hospital de Sao Joao, EPE. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

3 Departamento de Higiene e Epidemiologia. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Introdujo: A síndrome de apneia obstrutiva do sono (SAOS) está associada a factores de risco cardiovascular que, no seu conjunto, determinam a presenga de síndroma me-tabólica (SM). A prevaléncia de SM em doentes com SAOS é elevada. O efeito do auto-adjusting positive airway pressure (APAP) sobre a SM permanece por esclarecer. Objectivos: Determinar a prevaléncia de SM em doentes com SAOS, antes e após 6 meses de APAP, e identificar potenciais determinantes da mudanga de estado metabólico. Material e métodos: Foram incluídos 74 doentes do sexo masculino com SAOS moderada a grave, confirmada por poligrafia cardiorrespiratória. A identificagao clínica de SM foi feita segundo as recomendagoes da National Cholesterol Education Program-Adult Treatment Panel III. A todos os doentes foi prescrito APAP.

Resultados: Na populagao estudada, a média de idades foi 55,9 anos, o índice de massa corporal (IMC) mediano de 33,4 kg/m2, a escala de Epworth e o índice de apneia-hipopneia (IAH) medianos de 12,0 e 46,9/h, respectivamente. A prevaléncia de SM antes e após APAP foi de 63,5% e 47,3%, respectivamente, sendo a diferenga estatisticamente significativa (p=0,004).

No subgrupo de doentes com SM inicial, 14 ficaram sem SM após APAP. Nestes, verificou-se uma associagao negativa

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

estatisticamente significativa com o IAH (p=0,016) e positiva com a percentagem do total de dias de uso (p=0,014). A pressao arterial (p=0,018) e os triglicéridos séricos (p=0,001) diminuíram de uma forma estatisticamente significativa neste período, após utilizagao de APAP. Dos doentes que mantiveram SM, 22,2% apresentaram redugao do número de critérios contabilizados para o referido diagnóstico.

Conclusao: Ao fim de 6 meses, o APAP reduziu a prevalén-cia de SM neste grupo de doentes, sobretudo naqueles com SAOS de menor gravidade e com melhor aderéncia a terapéutica. A redugao da pressao arterial e dos triglicéridos séricos contribuíram para a mudanga de estado metabólico.

Feno e asma de exercício - Correlanao?

Filipa Viveiros1, Ana Antunes1, Joana Gomes1 Pedro Brinca2, Liliana Costa1, Miguel Guimaraes1, Carlos Centeno1

1 Servigo de Pneumologia, Centro Hospitalar Gaia/Espinho, EPE

2 Departamento de Economia, Universidade de Estocolmo

A asma é uma doenga inflamatória crónica das vias aéreas. Perante a suspeita clínica de asma, os testes de broncoprovo-cagao servem para confirmar e avaliar a hiperreactividade bronquica. Estando a inflamagao na base da doenga e exis-tindo métodos fáceis e nao invasivos, como a medigao da fracgao exalada do óxido nitrico (FeNO), que nos permitem quantifica-la, é curioso averiguar até que ponto os resultados obtidos por estes dois testes se correlacionam. Objectivo: Averiguar a relagao entre os resultados da bron-coprovocagao com corrida e a FeNO, e a existéncia de valor de FeNO a partir do qual é possivel supor positividade do teste de corrida.

Material e métodos: Desenhado estudo prospectivo onde foram incluídos doentes com suspeita de asma de esforgo sujeitos a teste de provocagao com prova de corrida durante 6 minutos.Feita medigao da FeNO de acordo com as normas da ATS/ERS. Broncoprovocagao por corrida considerado positiva com queda de 15% no FEV1 nos 20 minutos seguin-tes. Os doentes sujeitos a este estudo suspenderam medicagao anti-inflamatória e broncodilatadora nas 48h prévias. Os doentes foram divididos naqueles com broncoprovocagao positiva e negativa e foi feita comparagao dos valores de FeNo nestes dois grupos usando uma análise de regressao linear e modelo de regressao logística. Significancia estatística para

p<0.05.

Resultados: Vinte e trés doentes incluídos, 11 do sexo fe-minino e 12 do sexo masculino. Idade mínima de 7 anos e máxima de 19, sendo a média de 12,48 anos (DP 2,8). Dos doentes observados, todos eram nao fumadores. Após análi-

se de regressao linear, observou-se que o valor médio de FeNO nos doentes com teste de exercício negativo foi de 32,39ppb e nos doentes com teste positvo foi de 82,5 (p=0,029). Um aumento na FeNO está associada a aumento da probabili-dade de positividade na broncoprovocagao; contudo, sem significancia estatística.

Conclusoes: Estes resultados confirmam a importancia que a FeNO tem na monitorizagao das várias formas da doenga asmática.

Malabsornao de antibacilares como causa de insucesso terapéutico na tuberculose

Joao Bento1, Raquel Duarte2, Maria Rosário Lobato3, Maria do Carmo Caldeira3, Aurora Carvalho4

1 Servigo de Pneumologia, Hospital S Joao, Porto

2 Centro de Diagnóstico Pneumológico de VN Gaia, Servigo de Pneumologia do Centro Hospitalar de VN Gaia, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

3 Faculdade de Farmácia da Universidade de Lisboa

4 Centro de Diagnóstico Pneumológico de VN Gaia, Servigo de Pneumologia do Centro Hospitalar de VN Gaia

Introdu^ao: A malabsorgao de antibacilares é um fenómeno raro, sendo uma possível causa de insucesso terapéutico na tuberculose (TB).

Caso clínico: Sexo masculino, 15 anos, saudável, obeso, sem história de alcoolismo, toxicodependéncia ou medica-gao crónica. Quadro com cinco meses de evolugao de tosse, expectoragao, anorexia e perda de peso. O estudo confirmou tuberculose pulmonar com exame directo e cultural positivo para Mycobacterium tuberculosis. O antibiograma revelou sensibilidade a todos os antibacilares de primeira linha. Iniciou tratamento antibacilar em regime de toma observada directamente, com doses ajustadas ao peso: isoniazida (INH), rifampicina (RIF), pirazinamida (PZA) e etambutol (EMB). Seronegativo para o vírus de imunodeficiéncia humana. Verificou-se má resposta clínica e radiológica com exame de expectoragao persistentemente positiva aos quatro meses de tratamento, apesar de o antibiograma manter o perfil de sensibilidade (repetido aos 2 e 3 meses). Efectuado doseamento sérico dos fármacos com níveis indetectáveis de INH e RIF. Excluídas comorbilidades relacionadas com a malabsorgao. Iniciou esquema de retratamento com INH+RIF+estreptomicina (SM) +PZA+EMB. Os trés primeiros por via endovenosa. O terceiro antibiograma (ao início deste esquema) revelou resisténcia a SM, pelo que foi retirada. Desde entao, com boa evolugao clínica, radiológi-

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

ca e bacteriológica, com negativagao das baciloscopias.

0 tratamento foi mantido durante 12 meses, após o que se manteve o follow-up durante dois anos.

Discussao: A malabsorgao de antibacilares é uma das causas de insucesso terapéutico. A infecgao VIH é o factor de risco mais frequente, sendo igualmente descrita em casos de desnu-trigao, hipoalbuminemia, síndromas de malabsorgao, gastro-enterite, doengas renal e hepática. Neste caso, apesar de nao ter sido detectada a causa de malabsorgao, foi resolvida pela administragao da medicagao por via endovenosa com boa evolugao clínica e sem efeitos colaterais acrescidos.

Hipertensáo arterial pulmonar -Avalia^áo de uma consulta multidisciplinar

Inés Belchior1, António Morais1, Paula Marques2, Filipe Brandao3, Cristina Cruz4, Paulo Bettencourt2

1 Servigo de Pneumologia

2 Servigo de Medicina Interna

3 Servigo de Reumatologia

4 Servigo de Cardiologia Hospital de Sao Joao (EPE), Porto

Introdujo: A hipertensao arterial pulmonar (HAP) é uma condigao clínica rara, geralmente associada a um prognóstico desfavorável. Além da HAP primária, existe uma série de patologias que cursam com esta alteragao, tendo apenas algumas delas tratamento farmacológico com benefício comprovado. Método: Avaliagao dos doentes adultos que realizaram terapéutica dirigida para HAP no contexto de uma consulta de grupo multidisciplinar, desde 2006.

Resultados: Foram incluídos 15 doentes com média de idades de 50,5 anos, sendo 73,3% do sexo feminino. Trés doentes tinham HAP primária, 4 conectivite (esclerodermia— 3, lúpus eritematoso sistémico-1), 4 fisiologia de Eisenmen-ger, 3 doenga tromboembólica crónica e uam doenga veno-oclusiva pulmonar. Na altura do diagnóstico, o valor médio de pressao sistólica da artéria pulmonar (PSAP) medida por ecocardiografia (EC) foi de 77,1 mmHg enquanto no cateterismo cardíaco direito (CCD) o valor médio da Pressao Arterial Pulmonar média foi de 58,1 mmHg. A prova de vasodilatagao foi positiva em um doente. Inicialmente foram prescritos antagonistas do receptor da endotelina a 14 doen-tes, (13 bosentan e 1 sitaxentan), inibidores da fosfodieste-rase tipo 5 (sildenafil) a um doente e antagonista dos canais de Ca2+ (nifedipina) a um doente. A eficacia terapéutica foi avaliada segundo a classe funcional NYHA/WHO, prova da marcha dos 6 min. e PSAP medida por EC. Por progressao da doenga, confirmada por CCD, foi prescrita associagao a

dois doentes com bosentan e análogos da prostaciclina (iloprost inalado), dois com bosentan e sildenafil, e dois com associa^áo tripla (bosentan, iloprost e sildenafil), estando um destes medicado também com nifedipina. Quatro doentes vieram a falecer e um foi submetido a transplante pulmonar. Conclusoes: A HAP encontra-se associada a uma variedade de patologias com características diversas que exigem uma abordagem multidisciplinar, com necessidade de uma mo-nitoriza^áo rigorosa e uma estratégia terapéutica diversificada e onerosa.

Preven^oes de broncologia - Casuística de quatro anos

Ana Oliveira, Sofia Neves, José Almeida, Joáo Moura e Sá Servido de Pneumologia — Unidade de Broncologia. CHVNG/E

Introdujo: O regime de preven^áo de broncologia foi criado em 2004 com o objectivo de dar resposta as situa^öes urgentes com necessidade de procedimentos de broncoscopia de intervengo. Este regime é assegurado, na zona Norte do país pelas unidades de broncologia do CHVNG/E e do

Objectivos: Casuística das chamadas realizadas no CHVNG/E entre 1/1/2005 e 31/12/2008.

Material e métodos: Análise dos registos da unidade de broncologia com recolha dos seguintes dados: Data da chamada, proveniéncia, idade, sexo, motivo da chamada, exame realizado, achados endoscópicos, procedimentos de inter-ven^áo realizados.

Resultados: Foram realizadas 82 chamadas durante o referido período. Proveniéncia: CHVNG/E (32 - 39%), HSJ (17 — 21%), com as restantes chamadas distribuídas entre outros 15 hospitais. Dados demográficos: Sexo feminino/ /masculino 31(37%)/51(62.2%); idade média de 25,6 anos (min: 4 meses/máx: 81 anos); 45 (55%) eram crianzas com idade <14 anos e 26 (32%) com idade <2 anos. Os principais motivos de chamada foram suspeita de aspirado de corpo estranho (52 — 63%), hemoptises (14 — 17%), obstru^áo da via aérea (8 — 9,8%), outras (8 — 9,8%). Em 49 casos (59,8%) foi realizada broncoscopia rígida e nos restantes broncofi-broscopia. Dos 82 exames realizados, 21 foram normais, e em 28 náo foi necessária qualquer intervengo. Nos restantes 54 foi realizado: extrac^áo de corpo estranho em 29, aspirado de secre^öes em 8, controlo de hemoptises em 7, reper-meabiliza^áo traqueal ou bronquica em 7 (dilata^áo, laser e/ /ou introdujo de prótese), entuba^áo orotraqueal guiada por BF em 3.

Conclusao: O regime de preven^áo a broncologia de intervengo veio suprir uma importante lacuna na área da pneu-

REVISTA POKTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

mologia, nomeadamente no que respeita as situagoes de Urgencia em adultos e criangas. Permitiu a realizagao de exames complexos e urgentes nos dois centros especializados através da referenciagao rápida a partir de toda a zona norte do país.

Seguimento do derrame pleural exsudativo após pleuroscopia nao diagnóstica

Joao Bento1, Ana Paula Vaz1, Gabriela Fernandes2, Adelina Amorim2, Venceslau Hespanhol2, Adriana Magalhaes1

1 Servigo de Pneumologia. Hospital de S Joao, Porto

2 Servigo de Pneumologia, Hospital de S Joao. Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Introdujo: O papel da pleuroscopia médica (PM) no estudo dos derrames pleurais (DP) exsudativos é largamente reconhecida. Contudo, a evolugao do DP de etiologia nao esclarecida após PM permanece incerta. Objectivos: Avaliar a evolugao dos DP de etiologia nao esclarecida após PM.

Material e métodos: Das 87 PM realizadas de Janeiro de 2005 a Dezembro de 2007, em 38 nao se obteve diagnóstico conclusivo. Foi analisada retrospectivamente a evolugao, até 31 de Dezembro de 2008, destes DP. Os dados foram obtidos por consulta dos processos clínicos. Resultados: Dos 38 DP sem diagnóstico, 32 mantiveram seguimento no HSJ (6 eram oriundos de outras instituigoes). Nesses 32 doentes, a mediana do tempo de seguimento foi 15 meses (3-47). Em 22 (68,8%) houve resolugao do DP e em dois permaneceu estável, com diagnóstico incerto (>2 anos de seguimento). Foram diagnosticados dois adenocar-cinomas do pulmao e um linfoma. O diagnóstico foi obtido por toracotomia (2) e biópsia excisional de adenomegalia supraclavicular. Um doente morreu em <2 anos, de causa aparentemente nao relacionada com o DP. Quatro doentes nao mantiveram seguimento.

Discussao: No nosso servigo, a PM é utilizada no estudo dos DP exsudativos quando a toracocentese e, pelo menos, uma biópsia pleural fechada foram inconclusivas. O facto de a PM ser um exame de fim de linha poderá justificar a elevada percentagem de DP nao esclarecidos encontrada. Em 75% dos DP, a evolugao foi favorável (resolugao completa ou estabilizagao). Em tres casos foi diagnosticada neoplasia (um com envolvimento pleural, 18 meses após PM). Segundo a literatura, a maioria dos falsos negativos da PM deve-se a existencia de bridas ou fibrina que impedem a completa visualizagao da pleura. Nos restantes casos negativos, a vigiláncia é defendida pela maioria dos autores.

Conclusao: Apesar da evolugao favorável, na maioria dos DP nao esclarecidos por PM recomenda-se a inclusao destes doentes num plano de vigilancia.

Prevaléncia de atopia em consulta de asma

Fátima Veiga, Carmo Cortes, Fernanda Campos, Marta

Drummond, Venceslau Hespanhol

Consulta de Pneumologia, Hospital de S. Joao, EPE, Porto

Introdujo: A asma e a rinite sao doengas inflamatórias crónicas das vias aéreas, que frequentemente se encontram associadas a presenga de atopia.

Objectivos: Determinar a prevaléncia de atopia nos doentes asmáticos, riníticos e com ambas as patologias. Determinar se a idade, a zona habitacional e a presenga isolada ou em concomitancia das patologias referidas se associam a presen-ga de atopia.

Doentes e métodos: A doente amostra é composta por 93 doentes enviados a consulta externa de pneumologia por asma. Todos realizaram testes de hipersensibilidade cutanea com grelha standard. Foi utilizado o programa SPSS para tratamento estatístico dos dados.

Resultados: Dos doentes estudados, 52 eram do sexo femi-nino (55,9%) e 41 do sexo masculino (44,1%), as idades compreendidas entre os 10 e 85 anos, com uma média de 44,8 anos, 71% eram asmáticos, 23,7% apresentavam rini-te e 5,4% asma e rinite. Oitenta e trés (89,2%) doentes viviam em zona urbana e 10 (10,8%) em zona rural. 70,2% dos utentes com asma, 19,1% com rinite e 10,6% com ri-nite e asma sao atópicos. A média de idade dos nao alérgicos é de 50,4 anos e dos alérgicos é de 39,2 anos, 30% dos alérgicos vivem em zona rural e 53% em zona urbana. Conclusao: Os atópicos sao mais novos e habitam preferen-cialmente áreas urbanas, quando comparados com os nao atópicos.

A grande maioria dos doentes asmáticos é atópica, ao con-trário da populagao com rinite ou com rinite e asma.

REVISTA POKTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Lavado broncoalveolar com culturas quantitativas na abordagem da pneumonia associada ao ventilador

Ana Paula Vaz1, Adelina Amorim1, Adriana Magalháes1, Maria José Espinar2, Manuela Ribeiro2, Teresa Honrado3, Teresa Oliveira3, José Artur Paiva3

1 Servido de Pneumologia

2 Servido de Patologia Clínica

3 Servido de Cuidados Intensivos Hospital de Sáo Joáo — EPE, Porto

Introdujo: As técnicas broncoscópicas tém sido utilizadas no diagnóstico da pneumonia associada ao ventilador (PAV) com resultados nem sempre consensuais. Objectivo: Avaliar o impacto do uso do lavado broncoalve-olar (LBA) com culturas quantitativas no diagnóstico e tratamento da PAV.

Material e métodos: Análise retrospectiva dos resultados bacteriológicos positivos dos LBA efectuados em doentes com suspeita de PAV, internados em cuidados intensivos polivalentes, num período de um ano. Resultados: Dos 243 LBA realizados, obtiveram-se 71 (29%) resultados positivos, correspondendo a exames efectuados em 60 doentes, 77% do sexo masculino, com uma média(±DP) de idades de 54(±19) anos. O LBA foi realizado em mediana após 13 dias de ventilado mecánica e 11 dias de antibioterapia prévia (dia 0 de antibioterapia com o último esquema instituído). Constatou-se infec^áo mono-microbiana em 86% das situa^öes. Pseudomonas aeruginosa (34%) e Staphylococcus aureus meticilino-resistente (17%) foram os microrganismos mais frequentemente isolados. Em 73% dos casos foi efectuada contagem de unidades forma-doras de colónias (UFC/ml) e em 86% foi obtido aspirado traqueal (AT) e efectuada análise qualitativa. Após conheci-mento do resultado do LBA, verificou-se mudanza na atitu-de terapéutica em 38% das situa^öes: correc^áo terapéutica (17%), descala^áo (13%) e inicia^áo de antibioterapia dirigida (8%). Em 80% daquelas, a contagem de UFC/ml foi >104 e em 71% verificou-se concordáncia com o resultado do AT. Nos casos em que se verificou manutengo da anti-bioterapia, a contagem de UFC do LBA teria permitido descala^áo em 7%.

Conclusao: O uso do LBA com culturas quantitativas na PAV condicionou mudanzas terapéuticas, no sentido da melhor adequa^áo da antibioterapia e da redu^áo do consumo de antibióticos. A rentabilidade diagnóstica e a utilizado dos resultados microbiológicos do LBA no tratamento da PAV podem ainda ser maximizadas.

Schwannoma bronquico - caso clínico

Ana Sofia Castro1, Ana Barroso1, Sara Conde1, Joao Moura e Sá1, José Almeida1, António Couceiro2, Bárbara Parente1

1 Servigo Pneumologia

2 Servigo Anatomia Patologica Centro Hospitalar Gaia-Espinho

O schwannoma é um tumor neurogénico com origem nas células de Schwann da bainha nervosa. A localizagao intra-torácica é rara, interessando essencialmente o mediastino, sendo a localizagao endobronquica excepcional. É um tumor muito raro, sendo a maioria das lesoes benignas. Os sintomas mais frequentes sao: dispneia, pieira, tosse produtiva e hemoptises; contudo, habitualmente estes do-entes estao assintomáticos.

As opgoes terapéuticas sao a exérese por técnicas broncoscó-picas ou a ressecgao cirúrgica.

Caso clínico: Sexo feminino, 83 anos, nao fumadora, observada por pieira e tosse seca com cerca de dois meses de evolugao.

Na auscultagao pulmonar apresentava diminuigao do mur-múrio vesicular no tergo superior do hemitórax direito, sem diminuigao das vibragoes vocais; sem outras alteragoes no exame objectivo.

O Rx de tórax PA evidenciava hipotransparéncia heterogénea no tergo superior do hemitórax direito e o hemograma e bioquímica séricos nao mostravam alteragoes. Para esclarecimento das alteragoes radiológicas, efectuou tomografia computorizada torácica, que mostrou "(...) massa pulmonar supra-hilar direita, de limites mal definidos, de parede espessa e irregular, centrada no bronquio lobar superior, que se encontra obliterado, provável lesao neofor-mativa necrosada(...)". A broncofibroscopia revelou massa necrótica obstruindo o bronquio lobar superior direito (LSD). O lavado bronquico foi negativo para células neo-plásicas e micobactérias e o microbiológico nao mostrou crescimento bacteriano. A biópsia do bronquio LSD permi-tiu o diagnóstico de schwannoma benigno. Num segundo tempo, a doente efectuou broncoscopia rígida com ablagao tumoral por laser. Desde entao, a doente manteve-se assintomática do ponto de vista respiratório. Comentario: Este caso clínico sobressai pela sua raridade, mas também por ser um excelente exemplo da importancia das técnicas endoscópicas com fins terapéuticos, permitido o controlo da recidiva local e das manifestagoes clínicas associadas.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

DPOC - Adaptando psicológica a doen^a

Ana Antunes1, Joana Gomes1, Pedro Brinca2, Miguel Guimaraes3, Natália Taveira3

1 Servigo de Pneumologia; Centro Hospitalar Gaia/Espinho, EPE

2 Departamento de Economia; Universidade de Estocolmo

3 Unidade de Reabilitagao Respiratória, Servigo de Pneumologia. CHGE, EPE

A DPOC é uma condicionante da actividade física e social. Os doentes, para além das limitagoes nas actividades da vida diária, experimentam privagao na participagao de actividades colectivas.Esta situagao exerce forte pressao sobre a sua es-trutura psíquica, resultando em depressao e ansiedade que se podem manifestar por sintomas somáticos e aumentar o mal-estar basal.

Objectivo: Avaliar o impacto da DPOC no equilibrio psíquico dos doentes.

Material e métodos: A doentes com DPOC foi aplicada a hospital anxiety and depression scale, escala com dois questio-nários independentes, desenhada e validada para quantificar a depressao e ansiedade em doentes crónicos, sendo um resultado >8 indicativo de depressao ou ansiedade.Na mesma consulta aplicou-se a escala de Fletcher, averiguando o grau de dispneia, e registou-se o FEV1 pós-broncodilatagao. Feita regressao logística para analisar se o grau de dispneia e o FEV1 se correlacionavam com a existencia de depressao e ansiedade.

Resultados: Sessenta e tres doentes, 5 mulheres e 58 homens. Média de idades de 65,6 (±11.4), máxima de 83 e mínima de 51. FEV1 médio de 46.76%. O valor médio na escala de Fletcher foi de 2,6. Catorze doentes apresentaram valores compatíveis com depressao, sendo 30 os doentes com ansiedade. Através de regressao logística constatou-se que a dimi-nuigao do FEV1 aumenta a probabilidade de ansiedade, assim como o aumento duma unidade na escala de Fletcher aumenta em 76% a probabilidade da mesma ser diagnosticada. Relativamente a depressao, sem relagao entre esta e o grau de dispneia. Todos os resultados exibiram p<0,05. Conclusao: Na amostra registou-se elevada incidencia de depressao (22,2%) e de ansiedade (47,6%).O desenvolvi-mento de ansiedade correlaciona-se com a percepgao da doenga e com o seu condicionante fisiopatológico(FEV1). Embora em relagao a depressao nao se possam tirar as mesmas conclusoes, daqui se arremata a importáncia duma avaliagao do estado psicológico dos doentes e posterior acompanha-mento especializado.

Hemoptises, vasculite pulmonar e síndroma antifosfolipídea

Raquel Calisto1, Ana Lisa Lima2, Rui Barros2, Paula Simao3, Lídia Alves2

1 Medicina Interna

2 Medicina Interna

3 Pneumologia

Hospital Pedro Hispano — Unidade Local de Saúde, Matosinhos

As manifestagoes de síndrome antifosfolipídeo (SAF) depen-dem da natureza, do tamanho dos vasos lesados e do tempo de instalagao do atingimento vascular. O envolvimento microvascular de SAF no pulmao resulta num quadro clínico semelhante a outras microangiopatias trombóticas e pode ocorrer como um processo indolente cujo diagnóstico surge através de biópsia. A vasculite pulmonar é rara no SAF pri-mário, sendo atribuível geralmente a lúpus associado. Apresenta-se o caso de um doente de 64 anos, hipertenso, ex-fumador, antecedentes de tromboflebite e história familiar de SAF, seguido em consulta de pneumologia por he-moptises de pequeno volume com um ano de evolugao. Do estudo realizado concluiu-se ter critérios de SAF com vascu-lite pulmonar como única expressao, documentada por bi-ópsia. Foi medicado com corticóides.

É admitido na urgéncia por dispneia, tosse seca, expectoragao hemoptóica e febrícula. Apresentava insuficiéncia respirató-ria tipo 1, anemia, insuficiéncia renal aguda, subida de marcadores de necrose do miocárdio e de marcadores infla-matórios, além de infiltrados pulmonares alveolares bilaterais exuberantes. Assumiu-se o diagnóstico de SAF catastrófico com atingimento pulmonar, renal e do miocárdio. Iniciou metilprednisolona, plasmaférese, imunoglobulinas, hipocoagulagao com heparina nao fraccionada e antibiote-rapia de largo espectro. Teve melhoria clínica, analítica e imagiológica. Nao voltou a ter hemoptises. Após a fase aguda, fez trés ciclos de ciclofosfamida e permanece assinto-mático quatro meses após a alta, hipocoagulado, sem corti-coterapia. O estudo realizado para outras doengas autoimunes foi negativo. Nao foi feita nova biópsia, devido ao elevado risco de suspensao da hipocoagulagao. Este caso ilustra a variabilidade de apresentagao de SAF. Tem como particularidades as hemoptises como primeira mani-festagao documentada da doenga, a vasculite pulmonar em doente com SAF primário e o atingimento vascular em diferentes tempos e vários territórios.

REVISTA POKTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Apresenta^ao atípica de infec^äo por MAC num doente com VIH

Sérgio Campainha1, Regina Monteiro1, Ana Antunes1, Margarida Mota2

1 Servido de Pneumologia

2 Servido de Medicina Interna

Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia

Introdujo: As micobactérias náo tuberculosas sáo micror-ganismo ambientais geralmente encontrados na água e no solo. Podem ser responsáveis por infec^öes em indivíduos normais, contudo sáo mais frequentes nos indidíduos imu-nodeprimidos (transplantados, SIDA), com lesáo pulmonar preexistente (tabagismo, antecedentes de tuberculose pulmonar) ou com doen^as estruturais pulmonares (fibrose quística, enfisema).

Caso clínico: Os autores apresentam o caso de um homem com 45 anos, auxiliar de educado, fumador de 45UMA, que se apresenta com história de tosse com expectorado hemoptóica com 6 meses de evolu^áo. Associado astenia e perda ponderal de 4 kg. Ao exame objectivo náo se eviden-ciaram altera^öes relevantes. Analiticamente sem leucocitose, PCR negativa. Velocidade de sedimentado globular aumentada (63mm). DHL e sódio normais. Marcadores víricos: VIH1+ (CD4: 124; CV >100.000); VHC+. Telerradiografia do tórax : opacidades mal definidas subclaviculares direitas, associadas a áreas de perda de substáncia. TC torácico: Bolhas enfisematosas de predomínio apical bilateral. Múltiplas bronquiectasias nos segmentos apical e anterior do LSD, com diminuido do parénquima pulmonar. Adenopatias pericen-timétricas mediastínicas. Observado em amostra de LBA BAAR (>36 bacilos por campo 400x); a pesquisa ADN do M. Tuberculosis foi negativa; iniciada terapéutica empírica com HRZE. Posterior isolamento de Mycobacterium avium complex em exame cultural. Alterada terapéutica para rifa-burina, claritromicina e etambutol, com resolu^áo clínica. Discussao: Os doentes com SIDA infectados por MAC tendem a apresentar uma forma disseminada da doen^a. Se confinada ao pulmáo, pode-se observar um amplo espectro de achados radiológicos (da normalidade a linfadenopatias, pneumonia localizada e/ou derrame pleural), sendo rara porém a ocorréncia de cavita^öes. Desta forma, apenas um forte índice de suspeita permite o seu diagóstico e tratamen-to adequado.

Abordagem terapéutica do mesotelioma - Um desafio

Ana Norte1, Cláudia Santos2, Alice Pego2, Amélia Sousa2, Mário Loureiro2, Manuel Fontes Baganha2

1 Servido de Pneumologia — Departamento de Ciencias Pneumológicas e Alergológicas, Hospitais da Universidade de Coimbra

2 Servido de Pneumologia, Hospitais da Universidade de Coimbra

Introdujo: O mesotelioma maligno é uma neoplasia que tem origem na superficie mesotelial das cavidades pleural e peritoneal, túnica vaginal ou pericárdio. O prognóstico é mau, com uma sobrevida média de 6 a 18 meses. Caso clínico: Os autores apresentam o caso de um homem de 59 anos, que na sequencia duma sindroma gripal arras-tada e altera^óes radiológicas, realizou TC torácica (05/2004), que revelou espessamento pleural nodular a nivel da parede torácica direita, com 8x4 cm, e um nódu-lo contralateral, na dependencia da pleura, com 2x1 cm. Antecedentes de tabagismo e exposi^ao a asbestos. Foi realizada biópsia transtorácica a direita, tendo a análise histológica evidenciado um mesotelioma epitelióide. A histologia da lesao contralateral foi negativa para neoplasia. Efectuou-se pleurectomia direita, bilobectomia média e superior direita e excisao do ter^o médio da 3.a e 4.a cos-telas. Tratava-se dum mesotelioma maligno bifásico da pleura, sem invasao tumoral das linhas de ressec^ao e com metástase num ganglio hilar, sem lesao óssea. Iniciou quimioterapia adjuvante com carboplatina e vinorrelbina, com um total de tres ciclos. Fez radioterapia complementar com uma dose total de 59,4 Gy. Posteriormente, foi efectuada uma PET-CT, que sugeria extensa doen^a tumoral envol-vendo todo o campo pulmonar direito e, ainda, a pleura mediastinica e regiao hilar contralateral. Foram realizados 6 ciclos de quimioterapia com pemetrexedo e cisplatina, o último em 07/2005, com as TC torácicas subsequentes sem altera^oes relevantes. Em 01/2008, a TC toracoabdominal mostrou uma área nodular com 1,4 cm. de diámetro, no do ter^o inferior do pulmao esquerdo. A histologia do nódulo revelou mesotelioma. Fez 6 ciclos de quimioterapia com pemetrexedo e cisplatina. O controlo imagiológico de 07/2008 nao evidenciou a lesao descrita. Conclusao: Os autores apresentam este caso para salientar a sobrevida prolongada deste doente, submetido a uma abordagem terapeutica multidisciplinar e com boa qualida-de de vida.

REVISTA POKTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Trial of wireless home oximetry monitoring (Vitalmobile®) for patients with continuous ventilatory dependence

Joao Carlos Winck1, J Belo1, G Belo2, N Silva3, MR Gongalves1, T Pinto1

1 Servigo de Pneumologia, Faculdade de Medicina da Universidade do Porto (FMUP)

2 Ultraponto, Lisboa

3 Linde Home Care

Introduction: Telemedicine is a globally expanding technology that may benefit homebound patients with chronic complex disorders. Wireless and Internet technologies to transmit clinical data are innovative methods that can facilitate remote monitoring.

Methods: A platform (called Vitalmobile®) was designed to enable real-time wireless oximetry (WO) to monitor patients on continuous mechanical ventilation at home. They were provided with a bluetooth oximeter and a cellular phone that supported data transmission (GPRS). Continuous and secure access to the patient's data through an Internet site was established.

Results: After an experimental phase in late 2006 (with 20 600 readings), from April 2007, we monitored 29 patients with high ventilatory needs (with 24 hours of ventilatory dependency), the majority with severe motor disability and with a variety of neuromuscular and chest wall disorders. The platform managed to show and store continuous WO data for the majority of patients, with 780 000 readings being transmitted in 1st semester of 2007, 1 486 000 in the 2nd semester of 2007 and 2 806 100 in the first semester of 2008. In only one case, communication was unstable due poor GSM coverage. It was easy to monitor oxygen saturation and heart rate values even while the patients were in remote locations (out in the street or in a dentist office). Patient acceptance and user-friendliness was fairly good: due to finger discomfort 4 patients decided to stop continuous WO and other 4 cases (2 due to caregiver lack of motivation) abandoned continuous WO. In five cases the oximeter was accidentally broken and in two the cellular phone had some malfunction.

Conclusion: Daily transmission of real time WO data is feasible, allows a better follow-up, and may improve the quality of the home care in this group of patients.

Estudo de uma série de doentes com doença dos criadores de aves e avaliaçâo de factores de prognóstico relacionados com a sua evoluçâo clínica

Fernando Coelho1, Natália Melo1, Bruno Lima2, Antonio Morais1,3

1 Serviço de Pneumologia do Hospital Sao Joao;

2 Centro de Histocompatibilidade do Norte

3 Faculdade de Medicina da Universidade do Porto

Introduçao: A doença dos criadores de aves (DCA) é uma das formas de alveolite alérgica extrínseca (AAE) mais comuns no nosso país.

Objectivo: Estudo de uma série de doentes com DCA e avaliaçao de factores de prognostico relacionados com o tipo de evoluçao observada.

Foram incluidos 53 doentes com DCA, apresentando todos os critérios de diagnóstico de AAE elaborados por Schuyler e Cormier ou confirmaçao histológica por biópsia pulmonar.

Resultados: Os doentes tinham uma média de idades de 48,1±15,9 anos, sendo 30 (56,6%) mulheres. O tempo médio de exposiçao era de 12,8±12,7 anos. As aves mais frequentemente mencionadas foram os pombos, referidas por 39 (73,5%) doentes, seguidas pelos canários (26,4%) e pelos periquitos (18,8). A apresentaçao clínica foi aguda em 14 (26,4%) doentes, subaguda em 11 (20,7%) e crónica em 26 (49%). O padrao funcional respiratório mais comum foi a restriçao em 20 doentes (37,7%) sendo o padrao em vidro despolido alternado com o padrao em mosaico as alteraçoes imagiológicas mais frequentes, observadas em 37 (69,8%) individuos. Todos os doentes apresentavam alveolite linfo-cítica (62,8±16,1%). Foi observada regressao total da doença em 22 (41,5%) doentes, tendo 19 evoluído para a croni-cidade (35,8%), nao tendo sido possível definir de forma precisa a evoluçao nos restantes. A avaliaçao de factores de prognóstico revelou uma associaçao significativa entre a re-gressao da doença e a apresentaçao aguda (p=0,02), os padroes imagiológicos em vidro despolido e em mosaico (p<0,001) e o grau de linfocitose (p=0,01) e entre a evoluçao crónica e a apresentaçao crónica (p=0,006).

Conclusoes: Esta série de doentes confirma a diversidade de características observadas habitualmente nos doentes com AAE, nomeadamente no que se relaciona com a apresentaçao clínica e evoluçao. De acordo com o descrito em outras séries, as alteraçoes observadas nas formas de apresentaçao aguda parecem associar-se a um bom prognóstico.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

A telemanagement system for follow-up of patients with continuous ventilatory dependence

Joao Carlos Winck4 MR Gongalves1,2, N Silva3, T Pinto1, G Belo4, J Belo4

1 Servigo de Pneumologia, HSJ, Porto

2 FMUP

3 Linde Home Care

4 UltraPonto, Lisboa

Introduction: We have designed a platform (Vitalmobile®) that enables real-time wireless oximetry (WO) at home. Objective: To establish the role of this platform on the quality of home care for patients with continuous ventilatory dependence.

Material and methods: Since April 2007, we included 29 patients under continuous mechanical ventilation (7 trache-ostomized), with a mean age (SD) of 75 (15.4) years, and ventilation duration of 38(41) months. Fourteen had Amyotrophic Lateral Sclerosis (ALS), 6 of which had a gastrostomy. Every day, the hospital team analysed oxygen saturation (spO2) and heart rate charts through the web-page and in case of significant changes, patients/caregivers were contacted and home care team was activated. A total of 364 full days of data were collected (ranging from 4 days in one patient to 269 days in another).

Results: For the whole population, mean spO2 was 94.6%, with only 8.96% of the time spent under 90% of spO2. Progressive decreases in nocturnal oxygen saturation urged increases/changes in ventilatory support (like 2 ALS patients that had to be tracheostomized due to progressive bulbar dysfunction). Severe desaturation with secretion encumbrance activated home mechanical in-exsufflation (in 4 patients under continuous non-invasive ventilation this timely intervention avoided hospitalization). During follow-up, 6 patients had to be admitted to hospital (3 of them to perform invasive procedures) and 4 patients died (one of which, a tracheostomized ALS patient died of non-respiratory causes). Due to the telemanagement system patients could be discharged earlier.

Conclusion: Our telemanagement system allowing to check spO2 continuously, on a daily basis, permits and earlier detection of respiratory complications and monitoring interventions on real-time. This approach may cost less than equivalent care provided in a hospital environment and may improve the quality of the home care in this group of patients.

Histoplasmose pulmonar/disseminada. Caso clínico

Filipa Viveiros, Ana Antunes, Joana Gomes, Teresa Shiang, Maria do Céu Brito

Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia, EPE

Introdu^ao: A histoplasmose é causada pelo Histoplasma capsulatum, um fungo que prolifera no solo contaminado por excrementos de aves e morcegos e transmitido por ina-lagao. É geralmente assintomática, pode disseminar-se originando doenga grave ou permanecer latente durante anos Objectivo: Os autores apresentam um caso de histoplasmo-se e fazem uma breve revisao teórica

Caso clínico: Homem, 48 anos, fumador, serralheiro. Observado por quadro de febre e toracalgia pleuritica esquerda, associada a tosse com expectorado mucopurulenta. Iniciou antibioterapia empirica, mas com agravamento clinico e evolugao radiológica de foco pneumónico a esquerda, para infiltrado concomitante na base direita com derrame pleural. A TAC torácica revelou derrame pericárdico, adenomegalias mediastínicas, derrame pleural bilateral e consolidado paren-quimatosa nos LI. Foi feita toracocentese, cujo liquido era um exsudado, com predominio mononuclear e ADA negativa. Apresentou serologia positiva para HSVII e Legionella tendo efectuado os respectivos tratamentos. A biópsia gan-glionar mediastinica revelou linfadenopatia inespecifica, com granulomas nao necrosantes. A imunofenotipagem do LBA foi compativel com linfangite granulomatosa e na PET-CT foram identificados focos ganglionares múltiplos, sugestivos de doenga infecciosa/granulomatosa. Após cursos de antibiótico e introdugao de antibacilares, manteve deteriorado do estado geral. Excluidas algumas patologias, foi feita pesquisa serológica de possiveis infecgoes granulomatosas que permitiu o diagnóstico de histoplasmose disseminada Comentario: A histoplasmose é uma infecgao rara em Portugal, sendo considerada uma micose de importado. O seu diagnóstico necessita de elevado nivel de suspeigao e da disponibilidade de métodos rápidos e sensiveis. Devem ser excluidas outras patologias, como a sarcoidose, a tuberculose, outras infecgoes fúngicas e neoplasia. O tratamento an-tifúngico está recomendado em todos os casos de doenga disseminada

Palavras-chave: Histoplasmose, infecgao disseminada. Nota: Populares linfocitárias LBA— alveolite linfocitica, neutrofilica e eosinofilica discreta. Estudo das subpopulagoes linfocitárias com franco predominio células CD8. Compa-tivel com linfangite granulomatosa.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA

Internamento por tuberculose. Revisâo de três anos

Daniela Alves1, Joäo Cruz1, Isabel Apolinário2, Rui Rolo1, Beatriz Fernandes1, Joäo Cunha1

1 Serviço de Pneumologia

2 Serviço de Medicina 2 Hospital de Säo Marcos, Braga

Introduçao: O conhecimento epidemiológico da tuberculose (TB) é vital para o seu controlo, em todo o Mundo e em Portugal, onde a incidencia é elevada. Embora o grau de exposiçâo e virulencia do bacilo sejam importantes, os determinantes do desenvolvimento de doença säo intrínsecos: idade, sexo, estado nutricional, doenças metabólicas associa-das, imunodepressäo e infecçâo pelo VIH. Material e métodos: Estudo retrospectivo de doentes internados entre 2006 e 2008 no H.S. Marcos com os diagnósticos de saída: TB pulmonar, pleural e ganglionar mediastí-nica. Recolheram-se dados demográficos, motivo de internamento, métodos de diagnóstico, evol^äo e orientaçäo. Resultados: Foram internados, no departamento de medicina 63 doentes: 17 mulheres e 46 homens. A idade média foi de 50 anos, com média de internamento de 17,9 dias. Constatou-se a existencia de 36 casos de TB pulmonar, 24 extrapulmonar (18 TB pleural). Os principais motivos de internamento foram: derrame pleural (DP) para estudo — 22, insuf. respiratória/dispneia/hemoptises/sínd. febril prolongado — 19, toxicidade aos antibacilares — 4; em 3 casos näo foi possível determinar o motivo de internamento. Em 9 doentes tratava-se de recidiva da doença. Doze casos apresentavam infe^äo VIH (a forma mais comum da doença foi a TB pulmonar). A pesquisa de bacilos álcool-ácido resistentes foi positiva em 22 casos, exame cultural em 10 e em 8 a identi-ficaçäo foi feita por PCR. Em 13 casos o diagnóstico foi de exclusäo. Foram encontrados dois casos de resistencia a fármacos. sete faleceram, 56 foram orientados para o CDP. Discussao: Como noutras séries, verificou-se maior número de casos do sexo masculino; a forma de apresentaçäo mais comum foi a TB pulmonar, seguida da pleural. Os principais motivos de internamento foram: DP para estudo, sinais/ /sintomas respiratórios graves. Dos casos analisados apenas três poderiam näo ter indicaçäo para hospitalizaçäo, o que indicia uma boa resposta dos centros de diagnóstico e trata-mento em ambulatório.

REVISTA PORTUGUESA DE PNEUMOLOGIA