Scholarly article on topic 'Os efeitos da lidocaína e do sulfato de magnésio na atenuação da resposta hemodinâmica à intubação orotraqueal: estudo unicêntrico, prospectivo, duplamente encoberto e aleatorizado'

Os efeitos da lidocaína e do sulfato de magnésio na atenuação da resposta hemodinâmica à intubação orotraqueal: estudo unicêntrico, prospectivo, duplamente encoberto e aleatorizado Academic research paper on "Educational sciences"

CC BY-NC-ND
0
0
Share paper
Academic journal
Brazilian Journal of Anesthesiology
OECD Field of science
Keywords
{Laringoscopia / "Intubação intratraqueal" / Lidocaína / "Sulfato de magnésio" / "Fenômenos fisiológicos cardiovasculares" / Laryngoscopy / "Tracheal intubation" / Lidocaine / "Magnesium sulphate" / "Cardiovascular physiological phenomena"}

Abstract of research paper on Educational sciences, author of scientific article — Fabricio Tavares Mendonça, Lucas Macedo da Graça Medeiros de Queiroz, Cristina Carvalho Rolim Guimarães, Alexandre Cordeiro Duarte Xavier

Resumo Justificativa e objetivos A resposta hemodinâmica aos estímulos das vias aéreas é um fenômeno comum e seu controle é importante para diminuir as repercussões sistêmicas. O objetivo deste trabalho é comparar os efeitos da administração endovenosa de sulfato de magnésio versus lidocaína na hemodinâmica desse reflexo após a laringoscopia e intubação orotraqueal. Métodos Este estudo duplamente encoberto, aleatorizado, unicêntrico e prospectivo avaliou 56 pacientes, ASA 1 ou 2, entre 18 e 65 anos, escalados para cirurgias eletivas sob anestesia geral com intubação orotraqueal. Foram alocados em dois grupos, o M recebeu 30 mg·kg−1 de sulfato de magnésio e o L, 2 mg·kg−1 de lidocaína, em infusão contínua, imediatamente antes da indução anestésica. Os valores de pressão arterial (PA), frequência cardíaca (FC) e índice biespectral (BIS) foram aferidos nos dois grupos em seis momentos relacionados com a administração dos fármacos do estudo. Resultados Em ambos os grupos houve aumento na FC e PA após a laringoscopia e intubação, em relação aos valores basais. No Grupo M observou‐se elevação estatisticamente significativa, mas clinicamente pouco importante, nos valores das pressões arteriais sistólica e diastólica após a intubação. Não houve diferença nos valores de BIS entre os grupos. Dos pacientes que receberam o sulfato de magnésio, 3 (12%) apresentaram episódio de hipertensão, ao passo que apenas um dos que receberam lidocaína (4%) apresentou esse sinal, sem diferença estatística. Conclusão Sulfato de magnésio e a lidocaína apresentam boa eficácia e segurança no controle hemodinâmico à laringoscopia e intubação. Abstract Background and objectives Hemodynamic response to airway stimuli is a common phenomenon and its management is important to reduce the systemic repercussions. The objective of this study is to compare the efficacy of intravenous magnesium sulfate versus lidocaine on this reflex hemodynamics after laryngoscopy and tracheal intubation. Methods This single‐center, prospective, double‐blind, randomized study evaluated 56 patients ASA 1 or 2, aged 18 to 65 years, scheduled for elective surgeries under general anesthesia with intubation. The patients were allocated into two groups: Group F received 30mg·kg−1 of magnesium sulphate and Group L, 2mg·kg−1 of lidocaine, continuous infusion, immediately before the anesthetic induction. Blood pressure (BP), heart rate (HR), and bispectral index (BIS) were measured in both groups at six different times related to administration of the study drugs. Results In both groups there was an increase in HR and BP after laryngoscopy and intubation, compared to baseline. Group M showed statistically significant increase in the values of systolic and diastolic blood pressure after intubation, which was clinically unimportant. There was no difference in the BIS values between groups. Among patients receiving magnesium sulfate, three (12%) had high blood pressure versus only one among those receiving lidocaine (4%), with no statistical difference. Conclusion Magnesium sulfate and lidocaine have good efficacy and safety for hemodynamic management in laryngoscopy and intubation.

Similar topics of scientific paper in Educational sciences , author of scholarly article — Fabricio Tavares Mendonça, Lucas Macedo da Graça Medeiros de Queiroz, Cristina Carvalho Rolim Guimarães, Alexandre Cordeiro Duarte Xavier

Academic research paper on topic "Os efeitos da lidocaína e do sulfato de magnésio na atenuação da resposta hemodinâmica à intubação orotraqueal: estudo unicêntrico, prospectivo, duplamente encoberto e aleatorizado"

ARTICLE IN PRESS

Rev Bras Anestesiol. 2016;xxx(xx):xxx-xxx

ARTIGO CIENTÍFICO

Os efeitos da lidocaína e do sulfato de magnésio na atenuacao da resposta hemodinamica a intubacao orotraqueal: estudo unicentrico, prospectivo, duplamente encoberto e aleatorizado

Fabricio Tavares Mendonca*, Lucas Macedo da Graca Medeiros de Queiroz, Cristina Carvalho Rolim Guimaraes e Alexandre Cordeiro Duarte Xavier

Unidade de Anestesiología e Medicina Perioperatória, Centro de Ensino e Treinamento do Hospital de Base do Distrito Federal, Brasilia, DF, Brasil

Recebido em 3 de marco de 2015; aceito em 17 de agosto de 2015

PALAVRAS-CHAVE

Laringoscopia; Intubacao intratraqueal; Lidocaína;

Sulfato de magnésio; Fenómenos fisiológicos cardiovasculares

Resumo

Justificativa e objetivos: A resposta hemodinamica aos estímulos das vias aéreas é um fenómeno comum e seu controle é importante para diminuir as repercussoes sistemicas. O objetivo deste trabalho é comparar os efeitos da administrado endovenosa de sulfato de magnésio versus lidocaína na hemodinamica desse reflexo após a laringoscopia e intubacao orotraqueal. Métodos: Este estudo duplamente encoberto, aleatorizado, unicentrico e prospectivo avaliou 56 pacientes, ASA 1 ou 2, entre 18 e 65 anos, escalados para cirurgias eletivas sob anestesia geral com intubacao orotraqueal. Foram divididos em dois grupos, o M recebeu 30 mg/kg de sulfato de magnésio e o L, 2 mg/kg de lidocaína, em infusao continua, imediatamente antes da inducao anestésica. Os valores de pressao arterial (PA), frequencia cardíaca (FC) e índice bies-pectral (BIS) foram aferidos nos dois grupos em seis momentos relacionados com a administracao dos fármacos do estudo.

Resultados: Em ambos os grupos houve aumento na FC e PA após a laringoscopia e intubacao, em relacao aos valores basais. No Grupo M observou-se elevacao estatisticamente significativa, mas clinicamente pouco importante, nos valores das pressoes arteriais sistólica e diastólica após a intubacao. Nao houve diferenca nos valores de BIS entre os grupos. Dos pacientes que receberam o sulfato de magnésio, 3 (12%) apresentaram episódio de hipertensao, ao passo que apenas um dos que receberam lidocaína (4%) apresentou esse sinal, sem diferenca estatística.

Conclusao: Concluímos que o sulfato de magnésio e a lidocaína apresentam boa eficácia e seguranca no controle hemodinamico a laringoscopia e intubacao.

© 2016 Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Publicado por Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados.

* Autor para correspondencia. E-mail: fabricio.tavares@me.com (F.T. Mendonca).

http://dx.doi.org/10.1016/j.bjan.2016.02.001

0034-7094/© 2016 Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Publicado por Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados.

Effects of lidocaine and magnesium sulfate in attenuating hemodynamic response to tracheal intubation: single-center, prospective, double-blind, randomized study

Abstract

Background and objectives: Hemodynamic response to airway stimuli is a common phenomenon and its management is important to reduce the systemic repercussions. The objective of this study is to compare the efficacy of intravenous magnesium sulfate versus lidocaine on this reflex hemodynamics after laryngoscopy and tracheal intubation.

Methods: This single-center, prospective, double-blind, randomized study evaluated 56 patients ASA 1 or 2, aged 18 to 65 years, scheduled for elective surgeries under general anesthesia with intubation. The patients were divided in two groups: Group F received 30mg/kg of magnesium sulphate and Group L, 2mg/kg of lidocaine, continuous infusion, immediately before the anesthetic induction. Blood pressure (BP), heart rate (HR), and bispectral index (BIS) were measured in both groups at six different times related to administration of the study drugs. Results: In both groups there was an increase in HR and BP after laryngoscopy and intubation, compared to baseline. Group M showed statistically significant increase in the values of systolic and diastolic blood pressure after intubation, which was clinically unimportant. There was no difference in the BIS values between groups. Among patients receiving magnesium sulfate, three (12%) had high blood pressure versus only one among those receiving lidocaine (4%), with no statistical difference.

Conclusion: We concluded that the magnesium sulfate and lidocaine have good efficacy and safety for hemodynamic management in laryngoscopy and intubation. © 2016 Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Published by Elsevier Editora Ltda. All rights reserved.

KEYWORDS

Laryngoscopy; Tracheal intubation; Lidocaine;

Magnesium sulphate; Cardiovascular physiological phenomena

Introdujo

A resposta hemodinamica aos estímulos da laringoscopia e intubacao orotraqueal é um fenómeno comum, resultado da liberacao de catecolaminas endógenas por reflexo á afe-rencia das vias aéreas superiores quando sao estimuladas.1 Essa resposta inapropriada pode aumentar a morbidade e mortalidade perioperatória, particularmente em pacientes com doenccas coexistentes, em especial os portadores de doenca cardiovascular. O controle desse reflexo é impres-cindível, pois evita eventos adversos como taquicardia, hipertensao sistemica, hipertensao pulmonar, arritmias, que podem resultar em acidente vascular cerebral ou infarto agudo do miocárdio decorrentes da instabilidade hemodinamica, produzida pela laringoscopia e intubacao orotraqueal. Muitos fármacos sao alvo de estudos, dentre eles, com bons resultados, o sulfato de magnésio1-"3 e a lidocaína.4"6

O mecanismo de accao do sulfato de magnésio para a atenuaccao da resposta hemodinamica parece resultar da inibicao da liberacao de catecolaminas pela medula adrenal, mantém a concentracao plasmática de epinefrina prati-camente inalterada e, ainda, um decréscimo no aumento da norepinefrina circulante quando comparada com a de um grupo controle.2 Tem também efeito de vasodilatacao sistemica e coronariana por antagonizar o íon cálcio na musculatura lisa vascular.7 Já a lidocaína, quando usada de forma sistemica, tem accao antagonista nos canais de sódio e nos receptores NMDA, reduz a liberacao de substancia P e age de forma glicinérgica, o que diminui a reatividade das vias aéreas.8,9

O objetivo principal deste estudo é comparar os efeitos da administracao endovenosa de sulfato de magnésio com lidocaína na hemodinamica durante a intubacao.

Material e métodos

Este estudo duplo cego, aleatorizado, unicéntrico e prospectivo foi aprovado pelo Comité de Ética em Pesquisa -FEPECS/SES-DF - com o número do parecer 799.112 em 22 de setembro de 2014 e é identificado na Plataforma Brasil (http://aplicacao.saude.gov.br/plataformabrasil) como CAAE n° 33365114.7.0000.5553 e registrado no ClinicalTrials (NCT02359370). Após consentimento informado por escrito, 56 pacientes, ASA 1 ou 2, entre 18 e 65 anos, escalados para cirurgias eletivas com intubacao orotraqueal, foram avaliados quanto á elegibilidade, entre setembro e novembro de 2014 no Hospital de Base do Distrito Federal (fig. 1).

Foram excluidos do estudo os pacientes com contraindicado ou histórico de hipersensibilidade ás drogas envolvidas no trabalho, portadores de doenca isquémica coronariana, bloqueio atrioventricular em qualquer grau, arritmias cardíacas diagnosticadas, insuficiencia cardíaca, insuficiencia renal de qualquer natureza, usuários de betabloqueadores ou bloqueadores de canais de cálcio, com previsao de dificuldade á intubacao orotraqueal e com IMC >35 kg/m2. Também foram excluidos os pacientes nos quais foi feito o bloqueio de neuroeixo antes da inducao anestésica, os que se recusaram a participar do estudo após apresentado o termo de consentimento livre e esclarecido e os que necessitaram de duas ou mais tentativas de

Os efeitos da lidocaína e do sulfato de magnésio na atenuacäo da resposta hemodinamica

> Excluidos (n = 0)

Randomizados (n = 56)

Alocagäo

Selecionados para receber lidocaina (n = 27)

♦ Receberam intervengäo (n = 24)

♦ Nao receberam intervengäo (n = 3)

- 1 nao recebeu corretamente as drogas intravenosas; 1 vomitou durante indugäo; 1 falha na primeira laringoscopia

Selecionados para receber magnésio (n = 29)

♦ Receberam intervengao (n = 25)

♦ Nao receberam intervengao (n = 4)

-1 arritmia; 1 recebeu adrenalina intranasal; 1 entubado videolaringoscópio ; 1 nao recebeu sevoflurano durante as avaliagoes

Figura 1 Fluxograma de randomizacao.

laringoscopia para posicionamento do tubo orotraqueal, bem como qualquer outra condiccao que, na opiniao dos pesquisadores, poderia oferecer riscos ao paciente ou interferir nos objetivos do estudo.

Dos 56 pacientes selecionados para o estudo de acordo com os critérios de inclusao, sete foram excluídos durante as afericcoes (fig. 1) por questoes de segurancca dos pacientes ou questoes nao previstas no protocolo. Quatro do Grupo M (sulfato de magnésio) foram excluídos por extras-sístoles ventriculares frequentes, introducao de swab nasal de adrenalina antes do término das afericcoes, intubaccao com videolaringoscópio e falta de sevoflurano no vaporizador nao verificada durante as afericcoes. Tres foram excluídos do Grupo L (lidocaína): um por vazamento de fármacos (acesso venoso mal fixado), outro por vómito com consequente broncoaspiraccao durante ventilaccao sob máscara e outro por falha na intubaccao na primeira laringoscopia.

Os pacientes que atenderam aos critérios de inclu-sao foram selecionados e receberam um número de identificaccao, de acordo com a ordem de inclusao no estudo. Os examinadores responsáveis pela avaliaccao do período de análise nao sabiam em qual dos grupos foram aleatoriamente alocados. Os pacientes foram randomizados por meio de uma lista gerada por sorteio. Um pesquisador nao envolvido com a afericao dos dados alocou aleatoriamente os pacientes em um dos dois grupos por meio de envelopes selados que con-tinham uma sequencia numérica gerada por sorteio, anotou

seus dados na ficha clínica, preparou a bomba de infusao e a entregou na sala operatoria de forma que os pesquisadores nao tinham conhecimento do fármaco administrado.

Ao chegar ä sala operatoria, inicialmente era feita a identificacao do paciente, seguida de monitoracao padrao com cardioscópio (ECG), saturacao periférica de oxige-nio (SpO2), pressao arterial nao invasiva (PANI) e índice biespectral (BIS). A venóclise era feita a critério do médico anestesiologista, de acordo com o porte cirúr-gico/anestésico (tempo ''admissao''). Em seguida, era administrada a medicaccao pré-anestésica com midazolam na dose de 0,05 mg/kg. Após 2 minutos (tempo 2 pós--MDZ), era iniciada a infusao com o fármaco do estudo, na dose de 2 mg/kg de lidocaína 2%, sem vasoconstritor (Xylestesin, Cristália®) ou 30 mg/kg de sulfato de magnésio, ambos diluidos em 15 mL de solucao e infundidos em 10 minutos através de bomba de infusao continua (BIC). Ao término da infusao (tempo fim BIC), era feita pré-oxigenacao e inducao anestésica venosa com fenta-nil 2 mcg/kg, seguido de propofol 2 mg/kg e rocuronio 0,6 mg/kg (tempo pós-Ind). A laringoscopia era feita 3 minutos após o término da injecao de rocuronio e se o valor do BIS fosse igual ou inferior a 50 (tempo pós--IOT). Se esse valor do BIS nao fosse atingido, incremento venoso de 1 mg/kg de propofol era administrado. Após a intubaccao orotraqueal, a manutenccao da anestesia foi ina-latória com sevoflurano a 2% e foram feitas novas afericoes

3 e 6 minutos após a intubacao (tempos 3' pós-IOT e 6' pós--IOT). Hipertensao foi considerada quando os valores da PA foram maiores do que 20% dos valores basais ou PAS> 140 mmHg. Hipotensao foi considerada quando os valores de PA foram menores do que 20% dos valores basais ou PAS < 90 mmHg. Foi considerada taquicardia quando a FC foi maior do que 20% dos valores basais ou a FC > 100 bpm. Foi considerada bradicardia quando os valores da FC foram menores do que 50 bpm.

O desfecho primário foi determinar os efeitos da lido-caína e do sulfato de magnésio (Grupos L contra M) sobre a PAS imediatamente após a intubacao (pós-IOT). Os desfechos secundários foram a avaliacao de mudancas nas PAS, PAD, FC e BIS antes e após a administracao dos fármacos usados no estudo, suas mudanccas dentro dos 6 minutos após a intubacao, além da verificacao de eventos adversos com o uso de ambas as técnicas.

Considerando o desfecho principal de PA sistólica imediatamente pós-intubacao (PAS pós-IOT), uma variancia de 24%, com uma diferencca no efeito de 20%, erro alfa 5% bicaudal e poder de 80%, o tamanho calculado da amostra seria de 25 pacientes em cada grupo.

A análise estatística foi feita com o programa XLStat para Excel. O teste de Shapiro-Wilks foi usado para determinar a distribuiccao normal das variáveis contínuas. Todas as variáveis contínuas foram expressas como média e desvio padrao. As variáveis categóricas foram expressas em número de pacientes ou porcentagem (%). As variáveis quantitativas que apresentaram distribuicao normal foram analisadas pelo teste t de Student para amostras inde-pendentes; as variáveis que nao apresentaram distribuicao normal foram analisados pelo teste U nao paramétrico de Mann-Whitney; e para as variáveis categóricas foram aplicados teste qui-quadrado ou teste exato de Fisher, conforme apropriado. O valor de p foi considerado significativo quando menor do que 0,05. Os dados foram expressos como média ±SD (desvio padrao da média) ou em números absolutos.

Resultados

Em ambos os grupos nao houve diferencca estatística em relaccao a idade, genero, peso, altura e IMC, bem como na classificacao de estado físico pela ASA. Fármacos usados como anti-hipertensivos pelos pacientes do estudo foram diuréticos, antagonistas de receptor de angiotensina (ARA) e inibidores da enzima conversora de angiotensina (IECA), sem diferenca estatística no número de hipertensos ou de usuários de cada uma das classes de medicacao (tabela 1).

Nao houve diferencca estatística entre os grupos nos valores da FC, PAS, PAD e BIS nos tempos admissao, pós--midazolam, após a bomba de infusao e após a induccao. Em ambos os grupos houve aumento na FC, PAS e PAD, após a laringoscopia, em relacao aos valores basais. Observou-se no Grupo M elevacao estatisticamente significativa nos valores de PAS (p = 0,018) e PAD (p = 0,0467) na medida pós IOT (fig. 2), mas de pequena importancia clínica. Verificaram--se maiores valores pressóricos no 3° e 6° minutos pós-IOT no Grupo M, porém sem significancia estatística. Após esse período, ambos os grupos apresentaram reduccao gradual nos valores pressóricos. Houve uma tendencia a maiores valores de FC no momento pós-bomba de infusao contínua (fim BIC) no Grupo M, também sem diferenca estatística. Nao houve diferenca estatística nos valores de FC nos momentos aferidos (fig. 3). Em ambos os grupos observou-se aumento da frequencia cardíaca após laringoscopia, seguido de queda gradual. Quanto aos valores de BIS, em ambos os grupos houve uma mesma tendencia em queda gradual até a induccao, seguida de aumento após a intubaccao, sem diferencca estatística (fig. 4).

Observou-se uma tendencia á hipotensao no Grupo L, definida como queda superior a 20% da PAS basal ou PAS < 90 mmHg, porém sem significancia estatística (p = 0,062). Em nenhum paciente foi usada atropina ou efedrina. No Grupo M, 3 pacientes (12%) apresentaram episódio de hipertensao (aumento acima de 20% da PAS basal), contra um (4%) no Grupo L, sem diferencca estatística entre os grupos.

Tabela 1 Dados demográficos e clínicos dos pacientes

Grupo L Grupo M p

Idade (anos) 48,54 ±12,28 43,32 ±13,63 0,1651

Peso (kg) 71,30 ±14,48 71,08 ±13,29 0,95

Altura (cm) 164 ±10 168 ±9 0,1328

IMC (kg/m2) 26,47 ±3,6 25,22 ±3,69 0,2372

Genero (n) 0,879

Masculino 13 13

Feminino 11 12

Estado físico (n) 0,32

ASA i 11 15

ASA ii 13 10

HAS (n) 7 3 0,098

Fármacos em uso (n)

Diuréticos (n) 4 1 0,143

ARA 4 3 0,641

IECA 3 0 0,068

Valores expressos em média ±DP e números; nâo houve diferenca estatística entre os grupos. IMC, Índice de massa corpórea; HAS, Hipertensâo arterial sistêmica; ARA, Antagonista de receptor de angiotensina; IECA, Inibidor da enzima conversora de angiotensina.

Os efeitos da lidocaína e do sulfato de magnésio na atenuaçâo da resposta hemodinâmica

— PAS - L —■— PAS M

PAD - L —H— PAD M

Figura 2 Médias das pressóes arteriais sistólicas (PAS) e dias-tólicas (PAD). Houve diferenca estatística no momento pós-IOT (*p = 0,0180 para PAS; e *p = 0,0467 para PAD). MDZ, Midazolam; BIC, Bomba de infusâo continua; Ind, Inducao anestésica; IOT, Intubacao orotraqueal.

No Grupo M, 7 (28%) pacientes apresentaram taquicardia, contra 3 (12%) no Grupo L, também sem diferenca estatística. Nâo houve episódios de bradicardia em ambos os grupos (tabela 2).

Discussâo

De forma semelhante ao encontrado por Ramires et al.10 e Nooarei et al.7, observamos uma tendência a aumento da frequência cardíaca no Grupo M ao término da infusâo do sulfato de magnésio, o que fisiologicamente pode ser explicado pelo efeito vasodilatador direto desse fármaco.2,7,10,11

90: 85,00 80,00 75,

FC - L

FC - M

Figura 3 Média das frequencias cardíacas. Nao houve diferencas estatísticas. FC, Frequencia cardíaca; MDZ, Midazolam; BIC, Bomba de infusao continua; Ind, Inducao anestésica; IOT, Intubacao orotraqueal.

100 90 80 70 60 50 40 30 20 10 0

BIS - L

BIS - M

Figura 4 Média dos valores de índice bispectral (BIS); nao houve diferenca estatística. MDZ, Midazolam; BIC, Bomba de infusao continua; Ind, Inducao anestésica; IOT: Intubacao oro-traqueal.

Apesar de sua propriedade vasodilatadora, observou-se maior tendencia a hipotensao no Grupo L, porém sem significancia estatística. Nao houve consumo de vasopressor nos pacientes estudados, pois a hipotensao foi observada imediatamente antes da laringoscopia, momento que sabidamente aumenta o tonus vasomotor.

A manipulacao da via aérea durante a laringoscopia e intubacao orotraqueal causa alterares fisiológicas que podem ser deletérias a determinado número de pacientes.12 A faringe, laringe, carina e traqueia sao altamente inervadas por fibras simpáticas e parassimpáticas. Respostas reflexas á manipulacao da via aérea incluem taquicardia, broncoes-pasmo, aumento da pressao arterial e intracraniana. Estudos demonstram que a laringoscopia provoca aumento de 20 mmHg na pressao arterial sistólica12"17 e uma simples succao traqueal causa, no mínimo, um aumento de 5 mmHg na pressao intracraniana.12,18,19

A lidocaína e o sulfato de magnésio já sao ampla-mente usados com a finalidade de diminuir a resposta hemodinámica á manipulacao da via aérea, com eficá-cia comprovada.1,3,7,10 O sulfato de magnésio bloqueia a liberacao de catecolaminas no terminal nervoso adrenérgico e na glándula suprarrenal,1,7,10 tem acao cardioprotetora e antiarrítmica10,20 e induz a vasodilatacao coronariana e sistemica por antagonismo ao íon cálcio na musculatura

Tabela 2 Dados intraoperatórios

Grupo L Grupo M p

(n = 24) (n = 25)

Efedrina (n) 0 0 1,0

Atropina (n) 0 0 1,0

Hipotensâo (n) 13 7 0,062

Hipertensâo (n) 1 3 0,317

Taquicardia (n) 3 7 0,178

Bradicardia (n) 0 0 1,0

Dados expressos em número de pacientes. Grupo L, lidocaína;

Grupo M, sulfato de magnésio. Nâo houve diferenca estatística

entre os grupos.

lisa vascular.1,7,10,21 A lidocaína tem accao antagonista nos canais de sódio, nos receptores NMDA, reduz a liberaccao de substancia P, além de acao glicinérgica,8,9 o que resulta na diminuiccao de reatividade das vias aéreas.4

Nooraei et al., em estudo semelhante, compararam o efeito da lidocaína e do sulfato de magnésio nas variá-veis hemodinamicas da laringoscopia e observaram melhor controle dos níveis pressóricos com o sulfato de magnésio, embora com aumento da FC.7

Uma comparaccao entre os efeitos do sulfato de magné-sio e da lidocaína na resposta cardiovascular á intubaccao também foi feita por Puri et al.,1 em pacientes coro-nariopatas submetidos a revascularizaccao do miocárdio. Esses autores encontraram melhor atenuacao das variáveis hemodinamicas com o sulfato de magnésio. Os resultados hemodinamicos foram: maior índice cardíaco, incremento mínimo na FC e reducao significativa na resistencia vascular sistemica. Nesse estudo, os autores observaram que tres pacientes do Grupo L apresentaram depressao do segmento ST, enquanto nenhum do Grupo M apresentou.

Os resultados acima divergem do presente estudo pro-vavelmente pelas diferenccas nas doses usadas dos fármacos estudados. Noorei et al.7 usaram 60 mg/kg de sulfato de magnésio e 1,5 mg/kg de lidocaína e Puri et al.1 usaram 50 mg/kg de sulfato de magnésio e 1 mg/kg de lidocaína. Nosso estudo usou 30 mg/kg de sulfato de magnésio, pois segundo Panda et al.3 essa seria a dose ótima desse fármaco para atenuaccao da resposta hemodinamica á intubaccao em pacientes hipertensos. Neste estudo foram comparadas as doses de 30, 40 e 50 mg/kg de sulfato de magnésio e 1,5 mg/kg de lidocaína e concluiu-se que o sulfato de magnésio mantém melhor estabilidade cardíaca comparado com o pré tratamento com lidocaína e o uso de doses de 40 e 50 mg/kg levou a mais episódios de hipotensao, com necessidade de intervencao.3 Portanto, nossa escolha foi usar 30 mg/kg de sulfato de magnésio, para evitar complicares durante o procedimento. A dose de lidocaína foi escolhida com base em trabalho de Vivancos et al.4

Nosso estudo foi feito em pacientes saudáveis agendados para cirurgias eletivas. A nossa técnica de induccao da anestesia causou certo grau de hipotensao, que foi bem tolerada nessa populaccao. Portanto, nossos resultados nao podem estender-se a uma cirurgia de emergencia ou para pacientes idosos ou ASA 3 ou 4 pacientes nos quais a tolerancia hemodinamica pode ser pobre. O magnésio pode potencia-lizar a accao de drogas bloqueadoras neuromusculares (BN) de acordo com a dose administrada, o que nao foi monitorado no nosso estudo. Assim, devemos ser cautelosos ao usar MgSO4 com um BN nao despolarizante,22 como o rocurónio, durante cirurgias de curta duracao ou em situacoes especiais, quando é esperada uma difícil ventilaccao com máscara ou intubaccao.

Conclusao

Nosso estudo evidenciou que doses menores de sulfato de magnésio sao suficientes para atenuaccao da resposta hemo-dinamica a intubaccao traqueal, com resultados semelhantes á lidocaína. Concluímos que nas doses usadas o sulfato de magnésio e a lidocaína apresentam boa eficácia e segurancca no controle hemodinamico á laringoscopia e intubaccao, se

confirma como opcâo à atenuaçâo do estímulo das vias aéreas superiores em pacientes submetidos à anestesia geral.

Conflitos de interesse

Os autores declaram nâo haver conflitos de interesse.

Referencias

1. Puri GD, Marudhachalam KS, Chari P et al. The effect of magnesium sulphate on hemodynamics and its efficacy in attenuating the response to endotracheal intubation in patients with coronary artery disease. Anesth Analg. 1998;87:808-11.

2. Fawcett WJ, Haxby EJ, Male EA. Magnesium: physiology and pharmacology. Br J Anaesth. 1999;83:302-20.

3. Panda NB, Bharti N, Prasad S. Minimal effective dose of magnesium sulfate for attenuation of intubation response in hypertensive patients. J Clin Anesth. 2013;25:92-7.

4. Vivancos GG, Klamt JG, Garcia LV. Efeito da utilizacao de 2mg.kg-1 de lidocaina endovenosa na late'ncia de duas doses diferentes de rocuro'nio e na resposta hemodina'mica à intubaçao traqueal. Rev Bras Anestesiol. 2011;61:1-12.

5. Kindler CH, Schumacher PG, Schneider MC, et al. Effects of intravenous lidocaine and/or esmolol on hemodynamic responses to laryngoscopy and intubation: a double-blind, controlled clinical trial. J Clin Anesth. 1996;8:491-6.

6. Souza ACD, Alvarez MAP, Menezes MS. Bloqueio das alterares cardiocirculatórias provocadas pela laringoscopia e intubaçâo traqueal: estudo comparativo entre fentanil e lidocaína venosa. Rev Bras Anestesiol. 1991;41:381-5.

7. Nooraei N, Dehkordi ME, Radpay B, et al. Effects of intravenous magnesium sulfate and lidocaine on hemodynamic variables followingdirectlaryngoscopy and intubation in elective surgery patients. Tanaffos. 2013;12:57-63.

8. Oliveira CMB, IssyAM, Sakata RK. Lidocaína por via venosa intra-operatória. Rev Bras Anestesiol. 2010;60:325-33.

9. Finnerup NB, Biering-Sorensen F, Johannesen IL, et al. Intravenous lidocaine relieves spinal cord injury pain: a randomized controlled trial. Anesthesiology. 2005;102:1023-30.

10. Paesano CR, González OM, Rodríguez B, et al. Laringoscopia e intubación traqueal: uso de sulfato de magnesio para atenuar la respuesta cardiovascular refleja. Rev Ven Anestesiol. 1998;3:66-71.

11. Turlapaty PDMV, Carrier O. Influence of magnesium on calcium induced responses of atrial and vascular muscle. J Pharmacol ExpTher. 1973;187:86-98.

12. Caro D - Pretreatment agents for rapid sequence intubation in adults. In UpToDate, Walls RM (ed), UpToDate, Waltham MA.(Acessado em 04 de janeiro de 2015).

13. Choyce A, Avidan MS, Harvey A, et al. The cardiovascular response to insertion of the intubating laryngeal mask airway. Anaesthesia. 2002;57:330-3.

14. Kihara S, Brimacombe J, Yaguchi Y,et al. Hemodynamic responses among three tracheal intubation devices in normotensive and hypertensive patients. Anesth Analg. 2003;96:890-5.

15. Tong JL, Ashworth DR, Smith JE. Cardiovascular responses following laryngoscope assisted, fibreopticorotracheal intubation. Anaesthesia. 2005;60:754-8.

16. Xue FS, Liao X, Liu KP, et al. The circulatory responses to tracheal intubation in children: a comparison of the oral and nasal routes. Anaesthesia. 2007;62:220-6.

17. Xue FS, Zhang GH, Sun HY, et al. Blood pressure and heart rate changes during intubation: a comparison of direct laryngoscopy and a fibreoptic method. Anaesthesia. 2006;61:444-8.

Os efeitos da lidocaina e do sulfato de magnésio na atenuacâo da resposta hemodinâmica 7

18. Kerr ME, Rudy EB, Weber BB, et al. Effect of short-duration hyperventilation during endotracheal suctioning on intracranial pressure in severe head-injured adults. Nurs Res. 1997;46:195-201.

19. Rudy EB, Turner BS, Baun M, et al. Endotracheal suctioning in adults with head injury. Heart Lung. 1991;20:667-74.

20. Ramirez PC, Rodriguez B, Lengua M, et al. Magnesio y Anesthesia. Rev Ven Anestesiol. 1996;1:32-40.

21. Figueredo E, Garcia-Fuentes EM. Assessment of the efficacy of esmolol on the haemodynamic changes induced by laryngoscopy and tracheal intubation: a meta-analysis. Acta Anaesthesiol Scand. 2001;45:1011-22.

22. Park SJ, Cho YJ, Oh JH, et al. Pretreatment of magnesium sulphate improves intubating conditions of rapid sequence tracheal intubation using alfentanil, propofol, and rocuronium - £ randomized trial. Korean J Anesthesiol. 2013;65:221-7.