Scholarly article on topic 'Tradução, adaptação cultural, validade e confiabilidade do questionário de classificação do ombro para uso no Brasil'

Tradução, adaptação cultural, validade e confiabilidade do questionário de classificação do ombro para uso no Brasil Academic research paper on "Educational sciences"

CC BY-NC-ND
0
0
Share paper
Academic journal
Revista Brasileira de Reumatologia
OECD Field of science
Keywords
{"Avaliação de Incapacitação" / Questionário / Ombro / "Estudos de Validação" / Translações / "Disability Evaluation" / Questionnaire / Shoulder / "Validation Studies" / Translations}

Abstract of research paper on Educational sciences, author of scientific article — Danilo Calmon de Siqueira, Abrahão Fontes Baptista, Israel Souza, Katia Nunes Sá

Resumo Objetivo Traduzir e adaptar culturalmente o Shoulder Rating Questionnaire (SRQ) para o idioma português do Brasil, e determinar sua validade, confiabilidade e sensibilidade à mudança em pacientes com comprometimento funcional do ombro. Métodos Em seguida à tradução e retro‐tradução da versão original por quatro tradutores independentes, o instrumento foi revisado por uma comissão de especialistas, tendo sido subsequentemente aplicado a oito pacientes com lesão do ombro (público‐alvo) para a produção da versão em português. Em seguida, essa versão foi aplicada a 102 pacientes selecionados de nossos centros de referência para tratamento funcional do ombro, exibindo diagnósticos clínicos, níveis educacionais e bases socioeconômicas e culturais diversas. A avaliação foi realizada duas vezes com um intervalo de quatro semanas entre aplicações. Resultados A versão brasileira do SRQ foi equivalente em termos de semântica, tendo demonstrado bons níveis de confiabilidade (Alfa de Cronbach=0,89 e Coeficiente de Correlação Intraclasse [CCI]=0,83). A reprodutibilidade foi alta (Coeficiente de Correlação de Spearman=0,82) e a validade dos itens, que variou de 0,54 até 0,99, foi considerada excelente. Os testes d de Cohen e T para medidas repetidas demonstraram que o instrumento é capaz de monitorar e acompanhar melhoras na função do ombro. Conclusão Os critérios psicométricos foram atendidos, o que justifica a aplicabilidade da versão brasileira do SRQ em indivíduos com comprometimento funcional do ombro. Abstract Objective To translate and culturally adapt the Shoulder Rating Questionnaire (SRQ) to the Brazilian Portuguese language, and to determine its validity, reliability and sensitivity to change in patients with functional impairment of the shoulder. Methods After translation and back‐translation of the original version by four independent translators, the instrument was reviewed by a committee of experts and subsequently applied to eight patients with shoulder injury (target audience) to produce the Portuguese version. Then, this version was applied to 102 patients selected from four reference centers for functional treatment of the shoulder, who had a variety of clinical diagnoses, educational levels, socioeconomic, and cultural backgrounds. The evaluation was performed twice with an interval of four weeks between each application. Results The Brazilian version of SRQ was equivalent in terms of semantics and showed good levels of reliability (Cronbach's Alpha=0.89 and ICC=0.83). The reproducibility was high (Spearman Correlation Coefficient=0.82) and validity of the items that ranged from 0.54 to 0.99 was considered excellent. The Cohen's d and T test for repeated measures showed that the instrument is able to monitor and track improvements in shoulder function. Conclusion Psychometric criteria were found, which justify the applicability of the Brazilian version of SRQ in individuals with shoulder functional impairments.

Academic research paper on topic "Tradução, adaptação cultural, validade e confiabilidade do questionário de classificação do ombro para uso no Brasil"

REVISTA BRASILEIRA DE REUMATOLOGIA

www.reumatologia.com.br

Artigo original

Tradugao, adaptagao cultural, validade e confiabilidade do questionário de classiñcagao do ombro para uso no Brasil

CrossMark

Danilo Calmon de Siqueiraa'*, Abrahao Fontes Baptistab, Israel Souza' e Katia Nunes Sád

a Faculdade de Motricidade Humana, Universidade Técnica de Lisboa, Lisboa, Portugal b Instituto de Ciencias da Saúde, Universidade Federal da Bahia, Salvador, BA, Brasil c Instituto Federal de Educado, Ciencia e Tecnologia do Rio de Janeiro, Paracambi, RJ, Brasil d Escola Baiana de Medicina e Saúde Pública, Salvador, BA, Brasil

informaqoes sobre o artigo

Histórico do artigo: Recebido em 19 de junho de 2013 Aceito em 10 de abril de 2014 On-line em 28 de setembro de 2014

Palavras-chave:

Avaliacao de Incapacitacao

Questionário

Estudos de Validacao Translacoes

resumo

Objetivo:Traduzire adaptar culturalmente o Shoulder Rating Questionnaire (SRQ) para o idioma portugués do Brasil, e determinar sua validade, confiabilidade e sensibilidade á mudanca em pacientes com comprometimento funcional do ombro.

Métodos:Em seguida á traducao e retro-traducao da versao original por quatro traduto-res independentes, o instrumento foi revisado por uma comissao de especialistas, tendo sido subsequentemente aplicado a oito pacientes com lesao do ombro (público-alvo) para a producao da versao em portugués. Em seguida, essa versao foi aplicada a 102 pacientes selecionados de nossos centros de referéncia para tratamento funcional do ombro, exibindo diagnósticos clínicos, níveis educacionais e bases socioeconómicas e culturais diversas. A avaliacao foi realizada duas vezes com um intervalo de quatro semanas entre aplicacoes. Resultados:A versao brasileira do SRQ foi equivalente em termos de semántica, tendo demonstrado bons níveis de confiabilidade (Alfa de Cronbach = 0,89 e Coeficiente de Correlacáo Intraclasse [CCI] = 0,83). A reprodutibilidade foi alta (Coeficiente de Correlacáo de Spearman = 0,82) e a validade dos itens, que variou de 0,54 até 0,99, foi considerada excelente. Os testes d de Cohen e T para medidas repetidas demonstraram que o instrumento é capaz de monitorar e acompanhar melhoras na funcao do ombro.

Conclusao:Os critérios psicométricos foram atendidos, o que justifica a aplicabilidade da versao brasileira do SRQ em indivíduos com comprometimento funcional do ombro.

© 2014 Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados.

* Autor para correspondencia. E-mail: danilocalmon@hotmail.com (D.C. de Siqueira). http://dx.doi.org/10.10167j.rbr.2014.04.006

0482-5004/© 2014 Elsevier Editora Ltda. Todos os direitos reservados.

Keywords:

Disability Evaluation

Questionnaire

Shoulder

Validation Studies Translations

Translation, cultural adaptation, validity and reliability of the shoulder rating questionnaire for use in Brazil

abstract

Objective: To translate and culturally adapt the Shoulder Rating Questionnaire (SRQ) to the Brazilian Portuguese language, and to determine its validity, reliability and sensitivity to change in patients with functional impairment of the shoulder.

Methods: After translation and back-translation of the original version by four independent translators, the instrument was reviewed by a committee of experts and subsequently applied to eight patients with shoulder injury (target audience) to produce the Portuguese version. Then, this version was applied to 102 patients selected from four reference centers for functional treatment of the shoulder, who had a variety of clinical diagnoses, educational levels, socioeconomic, and cultural backgrounds. The evaluation was performed twice with an interval of four weeks between each application.

Results:The Brazilian version of SRQwas equivalent in terms of semantics and showed good levels of reliability (Cronbach's Alpha = 0.89 and ICC = 0.83). The reproducibility was high (Spearman Correlation Coefficient = 0.82) and validity of the items that ranged from 0.54 to 0.99 was considered excellent. The Cohen's d and T test for repeated measures showed that the instrument is able to monitor and track improvements in shoulder function. Condusion:Psychometric criteria were found, which justify the applicability of the Brazilian version of SRQ in individuals with shoulder functional impairments.

© 2014 Elsevier Editora Ltda. All rights reserved.

Introducáo

A incidencia e a prevalencia de transtornos musculoesque-léticos do ombro na populacao geral sao elevadas. Estudos demonstraram que 14 a 21% dos individuos exibem sintomas de dor no ombro. Estima-se que duas a cada tres pessoas sofre-rao pelo menos um episodio de dor no pescoco ou nos ombros em algum momento de suas vidas.1

No Brasil, mais de 80% dos diagnósticos que resultaram em beneficios da previdencia social ou em aposentadorias por acidente e invalidez foram decorrentes de transtornos musculosqueléticos relacionados ao trabalho, envolvendo principalmente os membros superiores.2 A dor e disfuncao do ombro frequentemente comprometem as habilidades motoras, as atividades ocupacionais e a qualidade de vida; representam um problema socioeconómico importante, por interferirem na assiduidade no trabalho e na produtividade dos trabalhadores, resultando em altos gastos financeiros com esses pacientes.3,4

Em sua maioria, as lesoes no ombro causam dor e limitacao funcional. Esses sintomas sao as razoes que levam o individuo a procurar tratamento médico. Tendo em vista que o exame fisico é um indicador insuficiente para avaliar aspectos funcionais e sociais, é necessário que se conte com instrumentos de avaliacao que possam ser utilizados na prática clínica.5

Com o objetivo de avaliar aspectos da gravidade dos sintomas e o quadro funcional do ombro, foram desenvolvidos questionários no idioma ingles. Atualmente existem versoes de alguns questionários para avaliacao do ombro já validadas e traduzidas para o idioma portugués do Brasil. Uma revisao sistemática publicada recentemente mostrou que existem sete questionários com este objetivo (DASH, WORC, SPADI, PSS, ASORS, ASES e UCLA).6

Contudo, nao existem instrumentos de avaliacao prospectiva específicos para o ombro, como oShoulder Rating Questionnaire(SRQ), que tenham sido traduzidos para o idioma portugués do Brasil com o rigor metodológico de validacao apropriado.

Existe uma versao do SRQ em portugues para uso em Portugal (www.ifisionline.ips.pt/media/2jan_vol1_n2/pdfs/ artigo_1_vol_n2.pdf), mas esse instrumento nao é apropriado para uso no Brasil, em consequencia das diferencas culturais.7 Por essa razao, o objetivo desse artigo foi realizar uma traducao transcultural do SRQ para o idioma portugues do Brasil e fazer com que essa versao seja validada, para que se possa contar com outro instrumento para avaliacao da capacidade funcional do ombro.

Métodos

Esse estudo de acurácia foi desenvolvido em quatro etapas: traducao e retrotraducao, avaliacao por uma comissao de especialistas, avaliacao pela populacao-alvo e, finalmente, aplicacao em dois momentos a pacientes com disfuncao do ombro que realizavam fisioterapia, de acordo com os critérios metodológicos recomendados peloEuropean Research Group on Health Outcomes(ERGHO) e pelo Centro de Estudos e Investigacao em Saúde da Universidade de Coimbra (CEISUC).8,9 A documentacao descrevendo todas as etapas para a traducao e adaptacao cultural foi enviada para o autor do questionário original (versao em ingles), para que ficasse assegurada a adequacao do processo de traducao efetuado e obtido. Esse estudo foi precedido por uma autorizacao formal dos autores da versao original doShoulder Rating Question-naire(SRQ) para traducao e validacao do instrumento para o idioma portugues do Brasil.

Inicialmente, a versao original em inglés foi traduzida para o portugués do Brasil por dois tradutores independentes des-conhecedores dos objetivos do estudo. Essas duas traducoes para o portugués do Brasil foram fundidas em uma versao única, depois de consenso entre os dois tradutores e os pesqui-sadores. Depois dessa etapa, a versao em portugués do Brasil foi retrotraduzida para o idioma original, para comparacao por dois outros tradutores nativos do idioma inglés, e que desconheciam as finalidades do estudo. Essas duas versoes em inglés passaram por um novo processo de consenso entre tradutores e pesquisadores, resultando em uma versao em inglés que foi comparada com a versao original, com vistas a possíveis diferencas significativas. Em seguida, a versao do instrumento em portugués do Brasil foi revisada por uma comissao de especialistas composta por um médico e dois fisioterapeutas, todos com mais de cinco anos de experiéncia clínica e com conhecimento dos dois idiomas, para verificacao da validade do conteúdo. Para essa revisao, solicitou-se que a comissao comparasse a versao de concordancia, item por item, com a versao original em inglés, para confrontar sua concordancia e sugerir mudancas que pudessem aprimorar a traducao. Cada item também foi avaliado quanto á sua relevancia na avaliacao do conteúdo do instrumento, verificando a equivaléncia. Depois dessa revisao, preparou-se uma segunda versao para concordancia.

A terceira fase envolveu a avaliacao, com uso da versao traduzida, de oito pacientes (um homem e sete mulheres) com lesao no ombro e que estavam iniciando ou dando con-tinuidade á fisioterapia. Nessa entrevista, foram definidos os objetivos a seguir: 1) examinar a presenca (ou auséncia) de perguntas ou itens que possam ser considerados relevantes ou irrelevantes; 2) identificar perguntas ou itens que possam ser considerados redundantes; 3) analisar, em termos gerais, a aceitabilidade e a compreensao do instrumento de medida. A entrevista teve início com uma breve explanacao da tarefa a ser desenvolvida e sua linha de raciocínio. Mais adiante, solicitou-se aos pacientes entrevistados que preenchessem o questionário, com o alerta de que o interesse nao se situava nas respostas, mas na formulacao das perguntas. Como resultado das entrevistas, realizou-se uma análise para preparar a versao final do SRQ em portugués do Brasil, para utilizacao na quarta fase. Essas trés fases constituíram o processo de adaptacao linguística e cultural do SRQ.

A quarta fase de coleta de dados consistiu da aplicacao da versao final do questionário aos 102 pacientes selecionados em quatro centros de referéncia para tratamento funcional do ombro. O questionário foi aplicado em duas ocasioes diferentes, com um intervalo de quatro semanas entre as aplicacoes.

Os participantes foram selecionados de acordo com os seguintes critérios de inclusao: 1) apresentar um diagnóstico clínico de lesao no ombro (de acordo com a Classificacao Internacional de Doencas); e 2) estar envolvido em um programa de fisioterapia para lesao no ombro nos centros de referéncia selecionados. Os critérios de exclusao foram: 1) nao ser capaz de ler, preencher nem compreender o questionário traduzido; 2) ter qualquer tipo de deficiéncia neuromotora ou compro-metimento cognitivo.

Depois de obter a aprovacao do Comité de Ética da Fundacao Bahiana para Desenvolvimento das Ciéncias (protocolo n° 121/2010) e obter a autorizacao formal das instituicoes

participantes no estudo (quatro centros de referencia para tratamento da disfuncao do ombro em Salvador, Bahia), os participantes foram recrutados com base em uma selecao de prontuários.

Depois de informados acerca dos objetivos do estudo e procedimentos empregados na coleta de dados e dirimidas as dúvidas, os voluntários deram consentimento informado por escrito para participacao no estudo. Os pacientes foram selecionados para uma amostra de conveniencia. Estimou--se o tamanho da amostra com base em outros estudos de validacao. 1|5|1°

A quarta fase envolveu a análise da confiabilidade, validade do construto e sensibilidade a mudancas clínicas para a ver-sao do SRQ no idioma portugués do Brasil. No tocante a análise de confiabilidade, houve necessidade de analisar a consistencia interna e a reprodutibilidade. Na avaliacao da consistencia interna dos itens no instrumento, utilizou-se o coeficiente alfa de Cronbach. A reprodutibilidade foi testada pela aplicacao da versao pré-final do SRQ em duas ocasiöes (teste-reteste). Utilizou-se o teste de correlacao de Spearman e o coeficiente de correlacao intraclasse com o objetivo de medir a associacao da primeira com a segunda aplicacao do instrumento.

Quanto a validade do construto, foi empregada a versao em portugués do Brasil doAmerican Shoulder and Elbow Surgeons Standardized Shoulder Assessment Form(ASES) para comparacao com os resultados do SRQ. Utilizou-se o teste de correlacao de Spearman para avaliar a correspondencia entre os resultados dos instrumentos empregados (ASES e SRQ). Utilizou-se a análise fatorial pelo método dos componentes principais para avaliar a validade da composicao dos dominios do SRQ.

Na análise fatorial, a amostra foi dividida em duas suba-mostras. A primeira envolveu todos os pacientes (n = 102), com exclusao dos itens relacionados com o trabalho, que deveriam ser respondidos apenas por aqueles que estavam trabalhando durante o período de avaliacao. Na segunda subamostra, apenas as perguntas envolvendo atividades ocupacionais foram utilizadas, sendo respondidas apenas pelos participantes que estavam trabalhando durante o período de avaliacao (n = 46). Utilizou-se os testes de KMO e de Bartlett para avaliar a adequacao da amostra. O coeficiente alfa de Cronbach foi aplicado com a classificacao de Hill e Hill (1999).11,12

Com o objetivo de avaliar a capacidade do instrumento de capturar as mudancas resultantes do tratamento, utilizou-se o teste T para medidas repetidas e o «d» de Cohen. Compararam--se os escores (escore total do SRQ) da primeira e segunda avaliacöes. As análises consideraram um valor alfa de 5%.

Resultados

Dos 102 pacientes envolvidos no estudo, 29 eram homens (28,4%) e 73 eram mulheres (71,6%), com uma idade média de 56,90 ± 12,10 anos. Estes pacientes apresentavam diagnóstico clínico, escolaridade e aspectos socioeconómicos e culturais variados. Com relacao à disfuncao do ombro, 34 indi-víduos (33,30%) relataram pincamento do ombro, 31 (30,40%) laceracao do manguito rotador, 19 (18,60%) capsulite adesiva, 7 (6,90%) fratura proximal do úmero, 2 (2,00%) instabilidade do ombro, 3 (2,90%) osteoartrite glenoumeral e 6 (5,90%) osteoar-trite acromioclavicular.

Tabela 1 - Decisoes tomadas para a estruturaçâo da concordancia do SRQ

Parte do questionário Expressao original Equivalencia semantica

Item 2 During the past month, how would Durante o mes passado, como voce descreveria a

you describe the usual pain in your sua dor do ombro em repouso?

shoulder at rest?

Item 2 e 3 A) Very severe Muito intensa

B) Severe Intensa

Item 11 Lifting or carrying a full bag of Levantar ou carregar uma sacola cheia de

groceries (8 to 10 pounds [3,6 to mantimentos (5 quilos).

Item 18 During the past month, on the Durante o mes passado, nos dias que voce

days that you did work, how often realmente trabalhou com qual frequencia voce

did you have to work a shorter day teve que trabalhar menos horas do que o normal

because of your shoulder? por causa do seu ombro?

A despeito da semelhanca das versoes apresentadas pelos tradutores, evidenciaram-se alguns tópicos conflitantes que foram discutidos e, depois de se chegar a um consenso, alcancou-se a concordancia entre o SRQem portugues e a pri-meira versao doShoulder Rating Questionnaire. As decisoes estao resumidas na tabela 1.

Todos os especialistas classificaram a versao de concordancia como bem traduzida, acurada, com correspondencia entre seus itens de conteúdo e com uma linguagem simples e de fácil compreensao pelos pacientes; foram propostas apenas algumas correcoes, que estao resumidas na tabela 2.

A entrevista com o público-alvo resultou em consenso: o questionário era um pouco longo, mas inteligível; podia ser respondido; e foi considerado como sendo útil. Todos os pacientes consideraram a extensao do questionário apropriada as suas condicoes. Em seguida, realizou-se uma análise individual de cada pergunta e resposta, com o objetivo de verificar a facilidade/dificuldade no entendimento dos termos usados, das instrucoes e das perguntas e suas opcoes de resposta, além das alternativas propostas pelos respondentes que even-tualmente identificassem a existencia de algum problema.

Assim, com relacao a clareza, tres individuos consideraram confuso o tópico da pergunta 21, e tiveram que ler nova-mente para compreender o texto. Por causa disso, optou-se

por mudar as respostas da pergunta 21, que estao resumidas na tabela 3. Depois dessa etapa, foi preparada uma versao do SRQem portugues do Brasil (apendice 1).

A análise fatorial revelou a adequacao da amostra por meio dos testes de KMO (0,81 na 1a subamostra e 0,79 na 2 a suba-mostra) e de Bartlett (x2 =490,25; p < 0,001 na 1a subamostra e x2 = 122,85; p < 0,001 na 2a subamostra). Além disso, ficou claro que os parametros fatoriais estavam acima de 0,30, variando entre 0,43 e 0,97, indicando o alto grau de validade dos itens (tabela 4).

Na primeira subamostra, a variancia total explicada por quatro fatores foi 74,84%, e os parámetros fatoriais se situ-avam acima de 0,30, variando de 0,43 (item 6) até 0,97 (item 4). A variancia total explicada por um fator isolado foi 42,76%, e os parametros fatoriais estavam acima de 0,30, variando de 0,31 (item 1) até 0,78 (item 6), indicando o alto grau de validade dos itens em um fator isolado, justificando assim o uso do escore geral da escala como medida para a avaliacao da capacidade funcional do ombro. Na segunda subamostra, que considerava apenas as perguntas envolvendo atividades ocupacionais (quatro itens) a variancia explicada total foi 80,17%, e os parametros fatoriais estavam situados acima de 0,30, variando de 0,88 (item 16) até 0,91 (item 17). Depois de empregados todos os itens, a variancia total explicada por

Tabela 2 - Alteracoes realizadas depois da retrotradugao da versao em portugués e das alteragoes propostas pela

comissâo de especialistas na nova versao doShoulder Rating Questionnaire

Item Consenso depois da tradugao inicial Depois da reuniao da comissao

1 Muito bem _Muito mal Muito bem 10_9_8_7_6_5_4_3_2_1_0

Muito mal

7 Vestir ou tirar um pulóver ou Colocar ou tirar um casaco ou

camisa. camisa.

12 Considerando todas as formas que Considerando todas as formas que

voce usa seu ombro durante voce usa o seu ombro durante as

atividades recreativas ou atividades esportivas ou de lazer

desportivas (ex.: beisebol, golfe, (ex. vólei, nata^o, atividades

atividades aeróbicas, jardinagem) aeróbicas, jardinagem, etc.), como

como voce descreveria a funfáo de voce descreveria a fun^o do seu

seu ombro? ombro?

13 Durante o mes passado, quanta Durante o mes passado, quanta

dificuldade voce teve em dificuldade voce teve em

arremessar uma bola sobre a mao arremessar uma bola com a mao

ou fazer um saque no tenis por ou algum movimento parecido

causa de seu ombro? com arremesso sobre ombro

devido a seu ombro?

Tabela З - Alteracäo na pergunta 21, depois da análise feita pelo público-alvo

Item Versao de concordância Versao depois da análise feita pelo público-alvo

21 Dor____ Atividades diárias pessoais e domésticas____ Atividades recreativas ou atléticas__ Trabalho___ Melhora da dor___ Melhora para realizar as atividades diárias pessoais e as atividades de casa____ Melhora para realizar as atividades esportivas ou de lazer____ Melhora para realizar as atividades do trabalho______

um fator isolado foi 46,10%, e os parámetros fatoriais estavam acima de 0,30, variando de 0,43 (item 14) até 0,88 (item 17), indicando o alto grau de validade do item como fator isolado, e justificando o uso do escore geral da escala como medida para a avaliacao da capacidade funcional do ombro.

Com relacao aos resultados da consistencia interna do SRQ, foi observado que, na avaliacao geral de todos os itens, o alfa de Cronbach na primeira subamostra foi 0,79, considerado bom/razoável. Se o item 1 fosse removido, a consistencia interna passaria a ser igual a 0,89. Do mesmo modo, ao se considerar apenas a segunda subamostra, o alfa de Cronbach foi de 0,89 para a escala total; com a remocao do item 1, a consistencia interna passou a ser igual a 0,92 (tabela 5). Um índice similar de consistencia interna foi observado no original, no qual o alfa de Cronbach foi 0,86.

Ao avaliar a reprodutibilidade do instrumento, foi observada uma forte associacao da primeira com a segunda

aplicacao do instrumento, com um coeficiente de correlacao de Spearman de 0,82 entre os escores totais (p < 0,001) e uma correlacao intraclasse de 0,83 (p< 0,001).

Ao avaliar a correspondencia entre os resultados do SRQ com os do instrumento ASES, observou-se uma associacao significativa entre os escores totais dos instrumentos na primeira (r = 0,49; p< 0,001) e na segunda aplicacao do instrumento (r = 0,67; p< 0,001). Também foi observada uma associacao positiva significativa entre os dominios do SRQ com o escore total ASES, variando de 0,27 a 0,66. Apenas o campo Avaliacao Geral nao demonstrou associacao significativa com o escore total no ASES.

Deve-se notar que, depois do período de tratamento, os pacientes obtiveram melhora significativa nos escores do SRQ (t = -9,86, p < 0,001). O tamanho do efeito para essa média mensurada para o «d» de Cohen foi de 1,057, indicando um efeito muito grande, implicando que as médias provavelmente sao

Tabela 4 - Parâmetro fatorial e convergéncia dos itens

Itens Fatores Convergéncia

1 2 3 4 1 (Trabalho)

Item 1 - 0 até 10 0,92 0,86

Item 2-Dor 0,69 0,74

Item 3 - Dor 0,55 0,67

Item 4 - Dor 0,97 0,85

Item 5 - Dor 0,83 0,86

Item 6-AD 0,43 0,63

Item 7-AD 0,81 0,68

Item 8-AD 0,70 0,74

Item 9-AD 0,90 0,79

Item 10 - AD 0,55 0,68

Item 11 - AD 0,85 0,74

Item 12 - ARE 0,91 0,80

Item 13 - ARE 0,81 0,73

Item 14-ARE 0,86 0,71

Item 16 - Trabalho 0,88 0,78

Item 17 - Trabalho 0,91 0,83

Item 18 - Trabalho 0,89 0,80

Item 19 - Trabalho 0,89 0,80

Tamanho da amostra 102 102 102 102 46

Valores característicos (eigenvalues) 5,99 2,21 1,29 1,01 3,21

% de variáncia explicada 42,76 15,75 9,19 7,15 80,17

KMO (1a subamostra) = 0,81;. KMO (2 a subamostra) = 0,79;.

Teste de Bartlett = x2 = 490,25; p < 0,001 na primeira subamostra;. Teste de Bartlett = x2 = 122,85; p < 0,001 na segunda subamostra.

Tabela 5 - Consistência interna das escalas e se algum item for removido

Itens Valores de alfa, se o item for removido

1 2 3 1 (Trabalho) Total Total (Trabalho)

Item 1 -0 a 10 0,89 0,92

Item 2 -Dor 0,77 0,77 0,87

Item 3 - Dor 0,79 0,77 0,88

Item 4 - Dor 0,80 0,79 0,88

Item 5 - Dor 0,72 0,77 0,86

Item 6-AD 0,86 0,77 0,88

Item 7-AD 0,85 0,78 0,88

Item 8-AD 0,84 0,77 0,88

Item 9-AD 0,83 0,77 0,88

Item 10 - AD 0,87 0,77 0,88

Item 11 - AD 0,85 0,77 0,88

Item 12 - ARE 0,73 0,77 0,88

Item 13 - ARE 0,80 0,78 0,88

Item 14 - ARE 0,80 0,78 0,88

Item 16 - Trabalho 0,90 0,87

Item 17 - Trabalho 0,88 0,87

Item 18 - Trabalho 0,89 0,87

Item 19 - Trabalho 0,89 0,88

Alfa de Cronbach das escalas 0,87 0,82 0,84 0,92 0,79 0,89

Tamanho da amostra 102 102 102 46 102 46

muito diferentes. Isso sugere que o instrumento é apropriado para monitoramento e pode identificar melhorias na capaci-dade funcional do ombro.

Discussáo

A assisténcia com énfase exclusiva no tratamento curativo da doenca, com base no modelo biomédico, também levou à revelacao do modo como a doenca afeta o indivíduo e seu aspecto social. O modelo proposto pela Organizacao Mundial da Saúde (OMS), que unifica os conceitos de funcao e disfuncao, sugere uma taxonomia comum para a classificacao do impacto da doenca na vida das pessoas, ajudando a esta-belecer objetivos para a reabilitacao.13 Nesse contexto, fica evidente a necessidade de medidas funcionais adequadas à prática clínica, além de pesquisas para determinar danos, prever desfechos, possibilitar um planejamento da reabilitacao funcional, e indicar quaisquer mudancas terapéuticas e funcionais.

As medidas de capacidade funcional sao essenciais para que avaliar o desempenho nas atividades de vida diária importantes. Runquistet al., que avaliaram a capacidade funcional do ombro, utilizaram o SRQ em pacientes com perda na amplitude de movimento nessa regiao, por causa das boas propriedades psicométricas deste instrumento.14

Outros autores demonstraram as vantagens do uso do SRQ em comparacao com outros instrumentos que avaliam a funcao do ombro, pois este é um instrumento com boa sen-sibilidade a mudancas clínicas.15 Com base nessas vantagens, o SRQ foi utilizado para monitorar os resultados de tratamentos propostos para serem utilizados por um período de tempo maior, ou para acompanhar a evolucao de uma doenca crónica (p. ex., capsulite adesiva).16,17

Atualmente, existem muitos questionários desenvolvidos no idioma inglés que objetivam avaliar os sintomas e/ou

a capacidade funcional do membro superior. Muitos desses questionários sao aplicados em situacбes e transtornos do ombro específicos, e também na avaliacao geral do membro

superior.18-20

Obteve-se a validacao semántica e o conteúdo do SRQ brasileiro, tendo sido evidenciada a necessidade de apenas alguns ajustes nos domínios de dor, atividades de vida diá-ria e nos esportes e lazer. Os autores da versao holandesa do SRQ também fizeram alguns ajustes em certas áreas.21 Con-tudo, é preciso atencao à área dos esportes e lazer, que sofreu mudancas, o que sugere possíveis diferencas entre as culturas norte-americana, europeia e brasileira no que diz respeito aos esportes e lazer.

No primeiro item da análise semántica, utilizou-se uma escala numérica sugerida por especialistas clínicos, baseada em estudos que demonstraram que esse tipo de escala era mais fácil de preencher e avaliar.22 Esse método de apresentacao numérica demonstrou que os pacientes tendem a saber como preencher números.

Os estudos realizados com o SRQ em seu idioma original tiveram coeficientes de consisténcia interna variando entre 0,71 e 0,90, e índices de replicacao variando entre 0,94 e 0,98.23 Recentemente, na adaptacao transcultural do SRQ original para o idioma holandés, os autores informaram níveis de con-sisténcia interna de 0,89 para o questionário e valores totais de 0,81 para o domínio dor; 0,80 para o domínio atividades de vida diária; 0,72 para o domínio atividades esportivas e de lazer; e 0,84 para o domínio trabalho. Os resultados do teste-reteste da versao holandesa do SRQ e de suas subescalas (domínios) variaram entre 0,63 e 0,86.21 Esses resultados sao consistentes com os resultados do SRQ brasileiro.

Atualmente, o SRQ está disponível para uso em inglés, holandés e portugués de Portugal. Em decorréncia das diferencas culturais entre o Brasil e Portugal, traduziu-se o questionário para o idioma portugués do Brasil, validou-se o

instrumento e estabeleceu-se suas características psicomé-tricas, ao mesmo tempo em que a versao em portugués de Portugal estava sendo validada.7,21,23

Quando as duas versöes sao comparadas, notam-se claras diferencas entre os instrumentos em todos os itens. Na versao de Portugal, nao foi possível adaptar o item 1 para o uso de uma escala numérica, como foi feito na versao brasi-leira. Nos dominios dor (itens 2 a 5), atividades de vida diária (6 a 11) e atividades esportivas (12 a 14), na versao de Portugal sao usadas algumas palavras de uso pouco comum no Brasil, como por exemplo, «dor ligeira», que é mais adequada-mente traduzida como «dor leve» (light pain) em portugués do Brasil. No item 15, subitem «g», o termo «reformado» é mais adequadamente traduzido para o portugués do Brasil como «aposentado» (retired).

Neste estudo, em uma avaliacao da correspondéncia entre os resultados do SRQ brasileiro e de outro instrumento validado (ASES), foi observada uma associacao significativa entre os escores totais dos instrumentos e os escores de todos os domínios do SRQ com os escores gerais do ASES. Esses resultados sao similares aos de outros estudos que aplicaram o ASES.24-28

Com relacao ao nivel de confiabilidade para teste-reteste, o presente estudo demonstrou elevada associacao da primeira com a segunda aplicacao (ICC =0,83). Quando comparado com outros instrumentos de avaliacao do ombro, o SRQ exibiu um dos mais altos níveis de confiabilidade para teste--reteste.18

A dor é um parámetro importante, que já foi avali-ado por diversas escalas do ombro e medido por diversos métodos.15-18,28 Muitas escalas do ombro contém apenas uma pergunta sobre a dor, geralmente nao específica para a ati-vidade ou posicao do braco. O SRQ possui um dominio com quatro perguntas relacionadas à dor, que avaliam esse item em diferentes situacöes. A subescala para a dor do SRQ demonstrou confiabilidade excelente.

O SRQ foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o desfecho de pacientes com diferentes condicöes do ombro. O objetivo do estudo foi adaptar e validar as propriedades psicométricas do questionário SRQ para a populacao brasileira. No entanto, pesquisas futuras deverao se concentrar na validade do SRQ para a avaliacao de doencas específicas do ombro. As comparacöes do desempenho das medidas de desfecho para o ombro em pacientes com problemas específicos dessa regiao ajudarao o clínico na escolha do melhor instrumento para o desfecho de um disturbio específico.

Conclusäo

Depois da análise dos dados, pode-se dizer que a versao brasi-leira do SRQ tem propriedades psicométricas que possibilitam seu uso na avaliacao funcional do ombro. Além disso, o questionário foi classificado como sendo de fácil compreensao e uso, o que reforça sua adequabilidade.

Conflito de interesses

Os autores declaram nao haver conflitos de interesse.

Apéndice 1. QUESTIONÁRIO DE CLASSIFICAgÁO DO OMBRO

Por favor, responda as seguintes questoes a respeito do ombropara o qual voce tem sido avaliado ou tratado.

Se uma questaonao for aplicada a vocé,deixe-a em branco. Se voce indicou que ambos os ombros foram avaliados ou tratados, por favor, complete um questionárioseparado para-cada ombro e marque o lado correspondente (esquerdo ou direito) na parte superior de cada questionário. Qual é o seu braco dominante? () esquerdo () direito

Por qual ombro vocé foi avaliado ou tratado? () direito () esquerdo () ambos

1 Considerando todas as maneiras que seu ombro lhe afeta, marque um X sobre a escala abaixo para saber como vocé está se sentindo.

Muito bem 0_1_2_3_4_5_6_7_8_9_10 Muito mal As questoes seguintes referem-se ador.

2 Durante o més passado, como vocé descreveria a sua dor do ombro em repouso?

a) Muito intensa

b) Intensa

c) Moderada

d) Leve

e) Nenhuma

3 Durante o més passado como vocé descreveria a dor usual em seu ombro durante as atividades?

a) Muito intensa

b) Intensa

c) Moderada

d) Leve

e) Nenhuma

4 Durante o més passado, com que frequéncia a dor em seu ombro dificultou seu sono a noite?

a) Todos os dias

b) Vários dias por semana

c) Um dia por semana

d) Menos de um dia por semana

e) Nunca

5 Durante o més passado, com que frequéncia vocé teve dores fortes em seu ombro?

a) Todos os dias

b) Vários dias por semana

c) Um dia por semana

d) Menos de um dia por semana

e) Nunca

As questoes seguintes referem-se asatividades diárias.

6 Considerando todas as formas que vocé usa o seu ombro durante as suas atividades diárias pessoais e domésticas (p. ex. se vestir, tomar banho, dirigir, as tarefas domésticas etc.), como vocé descreveria a sua habilidade em utilizar seu ombro?

a) Limitacao muito severa; incapaz

b) Limitacao severa

c) Limitacao moderada

d) Limitacao leve

e) Sem limitacao

Questбes 7-11 - Durante o més passado, quanta dificul-dade vocé teve em cada uma das seguintes atividades devido ao seu ombro?

7 Colocar ou tirar um casaco ou camisa.

a) Incapaz

b) Dificuldade severa

c) Dificuldade moderada

d) Leve dificuldade

e) Sem dificuldade

8 Pentear ou escovar seu cabelo.

a) Incapaz

b) Dificuldade severa

c) Dificuldade moderada

d) Leve dificuldade

e) Sem dificuldade

9 Alcancar prateleiras que estao acima de sua cabeca.

a) Incapaz

b) Dificuldade severa

c) Dificuldade moderada

d) Leve dificuldade

e) Sem dificuldade

10 Cocar e lavar a parte inferior de suas costas com sua mao.

a) Incapaz

b) Dificuldade severa

c) Dificuldade moderada

d) Leve dificuldade

e) Sem dificuldade

11 Levantar ou carregar uma sacola cheia de mantimentos (cinco quilos).

a) Incapaz

b) Dificuldade severa

c) Dificuldade moderada

d) Leve dificuldade

e) Sem dificuldade

As seguintes questбes referem-se às atividades esportivas ou de lazer.

12 Considerando todas as formas que vocé usa o seu ombro durante as atividades esportivas ou de lazer (ex. vólei, natacao, atividades aeróbicas, jardinagem etc.), como vocé descreveria a funcao do seu ombro?

a) Limitacao muito severa; incapaz

b) Limitacao severa

c) Limitacao moderada

d) Limitacao leve

e) Sem limitacao

13 Durante o més passado, quanta dificuldade vocé teve em arremessar uma bola com a mao ou algum movimento parecido com arremesso devido ao seu ombro?

a) Incapaz

b) Dificuldade severa

c) Dificuldade moderada

d) Leve dificuldade

e) Sem dificuldade

14 Escreva uma atividade (esportiva ou de lazer) que vocé particularmente gosta e entao selecione o grau de limitacao que vocé tem, se alguma, devido ao seu ombro.

a) Atividade___________________________________________________________

b) Incapaz

c) Limitacao severa

d) Limitacao moderada

e) Limitacao leve

f) Sem limitacao

As questoes seguintes referem-se ao trabalho. 15 Durante o més passado, qual foi a sua principal forma de trabalho?

a) Trabalho remunerado (liste o tipo de trabalho)

b) Trabalho em casa

c) Trabalho escolar

d) Desempregado

e) Incapacitado devido ao seu ombro

f) Incapacitado secundariamente a outras causas

g) Aposentado

Se vocé respondeud, e, f, oug na pergunta acima, por favor, pule as questoes 16,17,18 e 19 e vá para a questao 20.

16 Durante o més passado, com que frequéncia vocé ficou incapaz de fazer alguma coisa do seu trabalho habitual por causa do seu ombro?

a) Todos os dias

b) Vários dias por semana

c) Um dia por semana

d) Menos de um dia por semana

e) Nunca

17 Durante o més passado, no dia em que vocé realmente tra-balhou, com que frequéncia vocé ficou incapaz de fazer seu trabalho tao cuidadosamente ou eficientemente quanto vocé gostaria por causa do seu ombro?

a) Todos os dias

b) Vários dias por semana

c) Um dia por semana

d) Menos de um dia por semana

e) Nunca

18 Durante o més passado, nos dias em que vocé realmente trabalhou, com qual frequéncia vocé teve que trabalhar menos horas do que o normal por causa do seu ombro?

a) Todos os dias

b) Vários dias por semana

c) Um dia por semana

d) Menos de um dia por semana

e) Nunca

19 Durante o més passado, nos dias em que vocé realmente trabalhou, com qual frequéncia vocé teve que mudar a forma como seu trabalho habitual é feito por causa do seu ombro?

a) Todos os dias

b) Vários dias por semana

c) Um dia por semana

d) Menos de um dia por semana

e) Nunca

As questoes seguintes referem-se a satisfacao e áreas de melhoria.

20 Durante o més passado, como vocé avaliaria seu grau médio de satisfacao com seu ombro?

a) Ruim

b) Razoável

c) Bom

d) Muito bom

e) Excelente

21 Por favor, marque abaixo duas áreas em quevocê mais gos-taria de ver a melhora (coloque onúmero 1 para o mais importante e onúmero 2 para o segundo mais importante).

a) Melhora da dor_____

b) Melhora para realizar as atividades diárias pessoais e as atividades de casa___

c) Melhora para realizar as atividades esportivas ou de lazer

d) Melhora para realizar as atividades do trabalho . Muito obrigado pela sua cooperaçao!

referencias

1. Knaut LA, Moser ADL, Melo SA, Richards RR. Traduçao e adaptaçâo cultural à língua portuguesa do American Shoulder and Elbow Surgeons Standardized Shoulder Assessment Form (ASES) para avaliaçâo da funçâo do ombro. Rev Bras Reumatol. 2010;50:176-83.

2. Mendonça Junior H, Assunçâo A. Associaçâo entre disturbios do ombro e trabalho: breve revisäo de literatura. Rev Bras Epidemiol. 2005;8:167-76.

3. Grooten WJ, Mulder M, Josephson M, Alfredsson L, Wiktorin C. The influence of work-related exposures on the prognosis of neck/shoulder pain. Eur Spine J. 2007;16:2083-91.

4. Hooftman WE, Westerman MJ, Van der Beek AJ, Bongers PM, Van Mechelen W.What makes men and women with musculoskeletal complaints decide they are too sick to work? Scand J Work Environ Health. 2008;34:107-12.

5. Lopes AD, Stadniky SP, Masiero D, Carrera EF, Ciconelli RM, Griffin S. Traduçao e adaptaçao cultural do WORC: um questionário de qualidade de vida para alteraçoes do manguito rotador. Rev Bras Fisioter. 2006;10:309-15.

6. Puga O, Lopes D, Costa P. Avaliaçâo das adaptaçoes transculturais e propriedades de medida de questionários relacionados às disfunçoes do ombro em língua portuguesa: uma revisäo sistemática. Rev Bras Fisioter. 2012;16:85-93.

7. Guerreiro JA, Proença I, Moura N, Cartucho A. Adaptaçâo Transcultura doShouIder Rating Questionnairepara a Língua Portuguesa (SRQ-PT). Traduçâo; Validaçâo; Análise da Consistencia Interna e Replicabilidade iFisionline. 2013. Disponível em: http://www.ifisionline.ips.pt/media/2jan vol1 n2/pdfs/artigo 1 vol n2.pdf. [Acesso em 8 junho 2013].

8. Meadows K, Bentzen N, Touw-Otten F. Cross-cultural issues: an outline of the important principles in establishing cross-cultural validity in health outcome assessment. In: Hutchinson A, Bentzen N, König-Zahn C, editors. Cross cultural health outcome assessment a user's guide. Germany: ERGHO; 1997. p. 34-40, 1.

9. Ferreira P, Marques F.Avaliaçâo Psicométrica e Adaptaçâo Cultural e Linguística de Instrumentos de Mediçâo em Saude: Princípios Metodológicos Gerais. Coimbra: Centro de Estudos e Investigaçâo em Saude da Universidade de Coimbra.; 1998.

10. Silva M. Medidas de resultados (Outcome Measures). Essfisioonline. 2005;2:59-75.

11. Pasquali L. Análise fatorial para pesquisadores. Brasília: LabPAM-IP-DF;2001.

12. Hill MM, Hill A. Investigaçâo por questionârio. Lisboa: Silabo; 2000.

13. Sampaio RF, Mancini MC, Fonseca ST. Atuaçâo Profissional: aspectos que limitam essa integraçâo na Fisioterapia e na Terapia Ocupacional. Rev Bras Fisioter. 2002;6:113-8.

14. Rundquist PJ, Ludewing PM. Correlation of 3-dimensional shoulder kinematics to function in subjects with idiopathic loss of shoulder range of motion. Phys Ther. 2005;85:636-47.

15. Paul A, Lewis M, Shadforth MF, Croft PR, Van Der Windt DAWM, Hay EM. A comparison of four shoulder-specific questionnaires in primary care. Ann Rheum Dis. 2004;63:1293-9.

16. Vermeulen HM, Rozing PM, Obermann WR, Cessie S, Vlieland TPV. Comparison of high-grade and low-grade mobilization techniques in the management of adhesive capsulitis of the shoulder: randomized controlled trial. Phys Ther. 2006;86:355-68.

17. Nawoczenski DA, Ritter-Soronen JM, Wilson CM, Howe BA, Ludewig PM. Clinical trial of exercise for shoulder pain in chronic spinal injury. Phys Ther. 2006;86:1604-18.

18. Leggin BG, Michener LA, Shaffer MA, Brenneman SK, Lannotti JP, Williams G R. The Penn shoulder score: reliability and validity. J Orthop Sports Phys Ther. 2006;36:138-51.

19. Moser ADM, Knaut LAM, Zotz TG, Scharan KO. Validade e confiabilidade da versâo em português do American Shoulder and Elbow Surgeons Standardized Shoulder Assessment Form. Rev Bras Reumatol. 2012;52:348-56.

20. Puga VO, Lopes AD, Shiwa SR, Alouche SR, Costa LO. Clinimetric testing supports the use of 5 questionnaires adapted into Brazilian Portuguese for patients with shoulder disorders. J Orthop Sports Phys Ther. 2013;43:404-13.

21. Vermeulen HM, Boonman DC, Schüller HM, Obermann WR, Van Houwelingen HC, Rozing PM, et al. Translation, adaptation and validation of the Shoulder Rating Questionnaire (SRQ) into the Dutch language. Clin Rehabil. 2005;19:300-11.

22. Chanques G, Viel E, Constantin JM, Jung B, de Lattre S, Carr J, et al. The measurement of pain in intensive care unit: comparison of 5 self - report intensity scales. International Association for the Study of Pain. 2010;151:711-21.

23. L'Insalata JC, Warren RF, Cohen SB, Altchek DW, Peterson MG. A self-administered questionnaire for assessment of symptoms and function of the shoulder. J Bone Joint Surg Am. 1997;79:738-48.

24. Lopes AD, Ciconelli RM, Dos Reis FB. Medidas de avaliacâo de qualidade de vida e estado de saude em ortopedia. Rev Bras Ortop. 2007;42:355-9.

25. Lopes AD, Ciconelli RM, Carrera EF, Griffin S, Faloppa F, Dos Reis FB. Validity and reliability of the Western Ontario Rotator Cuff Index (WORC) for use in Brazil. Clin J Sport Med. 2008;18:266-72.

26. Leme L, Saccol M, Barbosa G, Ejnisman B, Faloppa F, Cohen M. Validacâo, reprodutibilidade, traducâo e adaptacâo cultural da escala Athletic Shoulder Outcome Rating Scale para a lingua portuguesa. Rev Bras Med. 2010;67:29-38.

27. Cheng HM, Sampaio RF, Mancini MC, Fonseca ST, Cotta RM. Disabilities of the arm, shoulder and hand (DASH): factor analysis of the version adapted to Portuguese/Brazil. Disabil Rehabil. 2008;30:1901-9.

28. Martins J, Napoles BV, Hoffman CB, Oliveira AS. Versâo brasileira do Shoulder Pain and Disability Index: traducâo, adaptacâo cultural e confiabilidade. Rev Bras Fisioter. 2010;14:527-36.