Scholarly article on topic 'PIODERMA GANGRENOSO EM PACIENTE COM RETOCOLITE ULCERATIVA: RELATO DE CASO'

PIODERMA GANGRENOSO EM PACIENTE COM RETOCOLITE ULCERATIVA: RELATO DE CASO Academic research paper on "Health sciences"

CC BY-NC-ND
0
0
Share paper
Academic journal
Journal of Coloproctology
OECD Field of science
Keywords
{}

Academic research paper on topic "PIODERMA GANGRENOSO EM PACIENTE COM RETOCOLITE ULCERATIVA: RELATO DE CASO"

endémicas da doenca. Origina-se por disseminagao hema-togénica ou reativagao de foco latente. Pode mimetizar as doencas inflamatorias intestinais (DII) e sua diferenciagao é imperativa em candidatos a terapia imunossupressora.

Descrigao caso: Homem, 26 anos, em tratamento de doenca de Crohn (DC) ileocecal havia trés anos, com mesalazina oral. Foi indicado adalimumabe devido a controle inadequado da doenca. Mantinha dor abdominal difusa, diarreia e episodios febris. Optou-se por troca para infliximabe (IFX). Antes da segunda dose de inducao, houve surgimento de tosse, pioria da febre, sudorese noturna e dor abdominal. Encami-nhado para nosso servico, no qual fez tomografia do abdomen que evidenciou derrame pleural, ascite de pequeno volume e microabscessos esplénicos. Submetido a toracocentese com diagnóstico de tuberculose (TB) pleural. Iniciado tratamento hospitalar da TB, com melhoria do quadro e alta. Duas semanas após, evoluiu com quadro de abdomen agudo perfurativo. O achado intraoperatório foi de perfuracao ileal, na qual se observou hiperemia, friabilidade e nódulos caseosos no mesentério. Feita enterectomia segmentar. A análise da peca operatória confirmou o diagnóstico de TB intestinal e gangli-onar. Recebeu alta hospitalar sem intercorréncias e mantém tratamento clínico ambulatorial.

Discussao: As manifestares mais comuns da TB intestinal sao: dor abdominal e ascite, associadas a sintomas gerais, como febre, emagrecimento, astenia. Os sintomas podem mimetizar a DC. Nesses casos, o uso inadvertido de terapia imunossupressora pode causar graves complicares, como tuberculose disseminada e perfuracao intestinal.

Conclusao: Antes do inicio da terapia imunossupressora é importante que se confirme o diagnóstico da DII e que se faca rastreamento de doencas infecciosas, em particular da TB.

https://doi.org/10.1016/jocol.2017.09.110 P-110

DOENCA DE CROHN FISTULIZANTE E GESTAgÄO: RELATO DE CASO

Diego Palmeira Rangel,

Isaac José Felippe Corréa Neto,

Alexander de Sá Rolim,

Angelo Rossi da Silva Cecchini,

Anderson de Almeida Maciel,

Rogério Freitas Lino de Souza, Laercio Robles

Hospital Santa Marcelina, Säo Paulo, SP, Brasil

Introdugao: A doenca de Crohn fistulizante consiste em uma das apresentacoes clínicas mais graves na doenca inflamatoria intestinal, que implica pior qualidade de vida e morbidade considerável e quase sempre resulta em intervencao cirúrgica. O manejo da paciente gestante com doenca inflamatoria intestinal ainda envolve desinformacao, inseguranca, principalmente porque, quando doenca ativa, oferece riscos iminentes a gestacao.

Descrigao do caso: Paciente de 27 anos, iniciou quadro de dor abdominal difusa, mais evidente em fossa ilíaca direita, associado a perda ponderal de 20 quilos em um ano, com episodios intermitentes de diarreia no período. Evoluiu com hiperemia cutánea em fossa ilíaca direita que apresen-

tava drenagem espontanea de secregao de aspecto fecaloide persistente local. Fez colonoscopia com presenga de pseu-dopólipos e hiperemia em ceco, com orificio fistuloso, nao foi possivel visualizar a válvula ileo-cecal. Anatomopatoló-gico revelou colite crónica leve em ceco, demais segmentos colónicos normais. Tomografia de abdomen náo evidenciou colecäo intraperitoneal, com presenca de trajeto fistuloso ceco-cutáneo e estudo de tránsito de Delgado sem anormalidades. Paciente iniciou tratamento com imunobiológico infliximabe em junho de 2015, com melhoria e resolucáo inicial da fistula enterocutánea. No quinto més de tratamento retornou os sintomas, com mesma fistula enterocutánea, com alto débito, foi entáo submetida a ileotiflectomia e ileo-cólon anastomose, com boa evolucáo e alta hospitalar no sexto dia de pós-operatório. Anatomopatológico constatou processo inflamatório crónico, fistulizado, transmural. Paciente seguiu acompanhamento regular ambulatorial, em uso de imunobi-ológico, informou, em janeiro de 2017, amenorrria de 3 meses com diagnóstico de gestacáo tópica. Paciente iniciou acompa-nhamento multidisciplinar com coloproctologia, obstetricia, pediatria e psicologia, foi modificado imunobiológico para vedolizumabe. Completou pré-natal sem intercorréncias, foi sendo feito parto cesáreo com 37 semanas de gestacáo.

Conclusao: A remissáo duradoura da doenca inflamató-ria intestinal na gestacáo é essencial para assegurar uma gestacáo a termo.

https://doi.org/10.1016/jjcol.2017.09.111 P-111

CrossMark

PIODERMA GANGRENOSO EM PACIENTE COM RETOCOLITE ULCERATIVA: RELATO DE CASO

Monica Janine Gomes de Souza, Nathálya Goncalves dos Santos, Lorena Souza Rodrigues da Cunha, Leonardo Marrone Pereira, Andreia Renata de Andrade, Nathália Leite Oliveira Zeitoun, Mardem Machado de Souza

Hospital Universitário Julio Muller (HUJM), Universidade Federal do Mato Grosso (UFMT), Cuiabá, MT, Brasil

Introducto: O pioderma gangrenoso é uma dermatose crónica, de etiologia incerta e alta prevaléncia em portadores de doencas inflamatórias intestinais (DII), que se manifesta através de lesöes crónicas ulceradas e dolorosas de evolucáo rápida e progressiva.

Descricao: R.M.A.A.D., mulher, 41 anos, com diagnóstico de retocolite ulcerativa (RCU) havia quatro anos, em uso de infliximabe e azatioprina, relatou pústula em regiáo infraumbilical havia nove dias. Lesáo evoluiu com drenagem espontánea e ulceracáo de 5 cm de diámetro, sem sintomas sistémi-cos. Paciente foi internada e iniciada antibioticoterapia com metronidazol, curativo com alginato de cálcio e mantidos infliximabe e azatioprina. Após quatro dias de internacáo, foi constatada melhoria clinica, foi indicada alta hospitalar para término de tratamento com seguimento ambulatorial. Em duas semanas, paciente retornou ao hospital com pioria da

extensao da lesao com flogose local. Foi novamente internada e feita antibioticoterapia com clindamicina e ceftriaxona, iniciada hidrocortisona, associadas ao curativo com alginato de cálcio, e ainda mantidos azatioprina e infliximabe. Após 10 dias de internacao, houve resolucao da lesao e a paciente teve alta hospitalar.

Discussao: Como manifestacao extraintestinal das DII, o pioderma gangrenoso é mais comum na RCU. A lesao pustulosa evolui para úlcera crónica irregular e dolorosa, de bordas violáceas e fundo granuloso. O tratamento baseia-se na administracao de agentes tópicos, antibioticoterapia de amplo espectro, imunossupressores, corticoides e até imunoglobu-lina venosa em alguns casos. Tal doenca tem um curso variável e imprevisível. Seu diagnóstico é de exclusao. O prognóstico costuma ser bom naqueles que respondem rapidamente aos esquemas iniciais de tratamento. As lesoes costumam involuir com o tratamento da doenca de base.

Conclusao: A hipótese de pioderma gangrenoso deve sem-pre ser aventada em pacientes com DII que apresentam lesao cutánea de inicio súbito sem resposta a antibioticoterapia isolada. Essa entidade tem bom prognóstico com diagnóstico e tratamento precoces.

https://doi.org/10.1016/jocol.2017.09.112 P-112

CONCOMITANCIA DE DOENCA DE CROHN E DIVERTÍCULO DE MECKEL: A PROPÓSITO DE UM CASO

Adrieli Heloisa Campardo Pansania,

Daniel de Castilhoa,

Sabryna de Lacerda Werneckb,

Thiago da Silveira Manzioneb,

Lucas de Sena Lemeb, Carlos di Tommasob,

Carlos Augusto Real Martinez a

a Universidade Sao Francisco (USF), Säo Paulo, SP, Brasil

b Hospital da Luz, Sao Paulo, SP, Brasil

Introducto: Divertículo de Meckel (DM) é uma malformacao congenita presente em 2% da populacao. A coexistencia entre DM e doenca de Crohn (DC) é incerta. Alguns acreditam que existe aumento na incidencia de DM em portadores da DC, enquanto outros sugerem que a incidencia é semelhante a da populacao geral. Na maioria dos casos o achado é incidental.

Objetivo: Apresentar caso de abdomen agudo obstrutivo por DC com achado incidental de DM.

Relato do caso: Homem, 23 anos queixava-se de dor abdominal em cólica e parada da eliminacao de gases e fezes havia um dia. O abdomen apresentava-se distendido com ruidos hidroaéreos diminuidos e dor a palpacao no flanco direito sem descompressao brusca. A tomografia computa-dorizada do abdomen evidenciou estenose irregular no íleo terminal com 2 cm de extensao associada a densificacao dos planos adiposos e adjacentes. Encontrou-se ainda distensao difusa de alcas jejunoileais, com formacao de níveis hidro-aéreos, linfonodomegalia na regiao ileocecal e líquido livre na pelve. Colonoscopia evidenciou estenose impérvia de válvula ileocecal. Feitas biópsias. Após tres dias de tratamento

clínico indicou-se laparotomia exploradora por pioria do quadro obstrutivo. A laparotomia evidenciou em regiao ileocecal extenso bloqueio inflamatório e intensa linfonodomegalia locorregional. Durante a revisao dos demais segmentos de intestino delgado, encontraram-se 20 cm a montante do ponto de estenose presenca de DM. Diante dos achados optou-se por ileotiflectomia inclusive o DM com anastomose primá-ria mecánica. O anatomopatológico confirmou a presenca de DC e nao evidenciou presenca de metaplasia gástrica no DM. O doente evolui bem e recebeu alta no quinto dia de pós--operatório.

Conclusao: Existencia de DM concomitante com DC geralmente é achado incidental. A melhor opcao cirúrgica é a resseccao do DM, com o objetivo de evitar futuras complicares relacionadas a malformacao.

https://doi.org/10.1016/jj.jcol.2017.09.113 P-113

CrossMark

PROCTOCOLECTOMIA TOTAL EM PACIENTE COM RCUI E PIODERMA GANDRENOSO

Jorge Henrique Reina,

Jorge Henrique Reina Neto,

Carolina Eliane Reina Forster,

Renata Cristiane Reina, Carlos Renato Prado,

Andrea Oliveira Uzal

Instituto Jorge Reina, Sao Paulo, SP, Brasil

Apresentagao de caso clínico: Paciente E.C.N, 43 anos, sexo feminino, com história de retocolite ulcerativa em seguimento clínico desde 2002 em outro servico, em uso de mesala-zina, prednisolona e azatioprina sem controle da doenca, apresentava inúmeros episódios diarreicos com muco e san-gue nas fezes. Deu entrada em nosso servico com pioderma gangrenoso e retocolite ulcerativa sem resposta satisfatória ao tratamento empregado. Iniciou infliximabe, apresentava quadro de anafilaxia, foi encaminhada para UTI. Usou ada-limumabe por 18 meses sem resposta ao tratamento, foi internada algumas vezes com quadro de sepse, pioderma gangrenoso em atividade e RCUI severa. Optou-se pela proc-tocolectomia por videolaparoscopia. Paciente encontra se há 24 meses sem sintomas da doenca, náo apresenta internacáo no período.

https://doi.org/10.1016/jocol.2017.09.114 P-114

SUBOCLUSÄO INTERMITENTE PÓS-TRAUMA ABDOMINAL FECHADO OU DOENCA DE CROHN OPORTUNISTA?

Tarcianna Ribeiro Santos,

Luciana Martins Krohling,

Paulo Cesar Castro Junior,

Maruska Dib Lamut, Andre da Luz Moreira,

Luiz Fernando Pedrosa Fraga,

Francisco Lopes Paulo

Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Rio de Janeiro, RJ, Brasil

CrossMark