Scholarly article on topic 'PASSAGEM DE PRÓTESE COLÔNICA POR OBSTRUÇÃO INTESTINAL DE ORIGEM NEOPLÁSICA'

PASSAGEM DE PRÓTESE COLÔNICA POR OBSTRUÇÃO INTESTINAL DE ORIGEM NEOPLÁSICA Academic research paper on "Educational sciences"

CC BY-NC-ND
0
0
Share paper
Academic journal
Journal of Coloproctology
OECD Field of science
Keywords
{}

Similar topics of scientific paper in Educational sciences , author of scholarly article — Doryane Maria dos Reis Lima, Gustavo Kurachi, Dayanne Alba Chiumento, Carlos Alberto de Carvalho, Barbara Pereira de Lara, et al.

Academic research paper on topic "PASSAGEM DE PRÓTESE COLÔNICA POR OBSTRUÇÃO INTESTINAL DE ORIGEM NEOPLÁSICA"

jcoloproctol (rio j). 2017;3 7(S 1):51-72

Barbara Pereira de Larab, Univaldo Etsuo Sagae a

a Gastroclínica Cascavel, Cascavel, PR, Brasil b Hospital Sao Lucas, Cascavel, PR, Brasil

Introdugao: A preparagao intestinal para colonoscopia é considerada um fator crucial, intimamente relacionado com a qualidade do procedimento. Para isso, sao usados vários agentes e técnicas de limpeza colonica. A explosao colonica durante colonoscopia, embora rara, é uma complicacao temida, relacionada ao acumulo de gás colonico em concentracoes explosivas durante o preparo intestinal.

Descrigao: Paciente do sexo masculino, 67 anos, encami-nhado para a feitura de colonoscopia com polipectomia por achado de pólipo em reto em colonoscopia prévia. Orientado a fazer o preparo para o exame com o protocolo de rotina do servico - manitol 20%, 500 mL via oral no dia anterior ao exame e 500 mL na manha do exame. Durante exame, cólon com preparo inadequado (presenca de residuos fecais), foi identificado pólipo em reto a 10 cm do bordo anal. Foi feita polipectomia em alca quando ocorreu explosao do cólon e o colonoscópio foi expulso do reto. Paciente manteve-se estável, foi levado ao centro cirúrgico imediatamente e feita videolaparoscopia com identificacao das perfuracoes, seguida de retossigmoidectomia, com resseccao de pólipo com margens livres. Paciente com boa evolucao após cirurgia, mantém seguimento no servico.

Discussao: Vários fatores somados culminam na fatalidade da explosao colonica durante colonoscopia. Dentre eles, pode--se citar a má preparacao do cólon antes do procedimento. Outro fator é a existencia dos gases hidrogenio e metano em concentracoes explosivas, 4% e 5% respectivamente. Esses gases sao produzidos pelas bactérias encontradas no lumen intestinal. Sugere-se que a degradacao bacteriana (pela E. coli) do manitol oral permite a producao de hidrogenio e metano, potencialmente explosivos.

Conclusao: A explosao de cólon durante colonoscopia é uma complicacao rara e com necessidade de cirurgia de ime-diato. Pode ocorrer devido ao acumulo de gases combustiveis em concentracoes explosivas.

https://doi.org/10.1016/jocol.2017.09.282 V4-41

CrossMark

TÉCNICA HÍBRIDA COMO OPCÁO A RESSECCÁO ENDOSCÓPICA DE PÓLIPOS COLÓNICOS

Rommel Costa, Rodrigo Paiva, Fábio Queiroz, Breno Costa, Diogo Silva, Sillas Mourao, Paola Lima

Hospital Felício Rocho, Belo Horizonte, MG, Brasil

A literatura relata que em 25% a 41% das colonoscopias sao identificados pólipos adenomatosos, desses, entre 2% e 5% apresentam focos de degeneracao maligna. A polipectomia diminui as taxas de incidencia e mortalidade por cáncer colorretal, a colectomia durante muito tempo foi a única opcao quando a técnica endoscópica nao era capaz de remover essas

lesoes. Diante disso, a colonoscopia assistida por laparoscopia emerge como opcao para resseccao de pólipos nao passiveis de resseccao endoscópica, particularmente quando sao grandes, planos ou estao atrás de pregas colonicas.

Objetivo: Apresentar video de um caso de resseccao de pólipo grande por técnica hibrida, a fim de difundir e levantar o debate para padronizacao dessa técnica.

Discussao: O video representa, em amostragem, a experiencia de tres casos, com colonoscopias completas prévias, que evidenciavam lesoes grandes em ceco; lesoes que foram tratadas endoscopicamente por técnica hibrida, foi feita endossutura e corrigida solucao de continuidade e liberacao de aderencias para completar o exame. A polipectomia endoscó-pica assistida por laparoscopia foi inicialmente relata por Beck e Karulf (1993) e facilita mobilizacao do cólon, liberacao de ade-rencias, que possam levar a angulacoes, dificulta a progressao do aparelho, além da assistencia a polipectomias de lesoes grandes. A técnica usa a insuflacao de CO2, que é rapidamente absorvido pelos tecidos, nao ocasiona distensao volumosa de alcas, que dificultam a abordagem laparoscópica.

Conclusao: As técnicas hibridas sao, de acordo com a literatura, opcoes viáveis a resseccao segmentar quando os métodos endoscópicos sao insuficientes no tratamento de pólipos.

https://doi.org/10.1016/j.jcol.2017.09.283 V4-42

CrossMark

PASSAGEM DE PRÓTESE COLÓNICA POR OBSTRUCÁO INTESTINAL DE ORIGEM NEOPLÁSICA

Doryane Maria dos Reis Limaa, Gustavo Kurachia, Dayanne Alba Chiumentob, Carlos Alberto de Carvalhoa, Barbara Pereira de Larab, Karina Correa Ebrahimb, Ivan Roberto Bonotto Orso a

a Hospital Sao Lucas, Cascavel, PR, Brasil b Gastroclínica Cascavel, Cascavel, PR, Brasil

Introducao: Como opcao ao tratamento cirúrgico nos casos de obstrucao intestinal, pode-se considerar o uso de stent metálico autoexpansivel. Seu uso é bem estabelecido nos casos de obstrucao neoplásica, é o tratamento de escolha nos casos de obstrucao com indicacao de tratamento paliativo. É também uma opcao válida a cirurgia para paliacao da obstrucao nos casos de doenca maligna extracolonica.

Descricao: Paciente do sexo masculino, 71 anos, diagnosticado com adenocarcinoma de cauda de páncreas em junho de 2016. Já no diagnóstico apresentava invasao esplenica e da flexura esplenica do cólon, metástase pulmonar e hepática, foi considerado como tratamento paliativo. Evoluiu com dispepsia e constipacao intestinal, apresentou em dezembro de 2016 quadro de suboclusao intestinal. Feita tomografia abdominal, evidenciou importante massa extrinseca que comprimia o cólon transverso e obstruia o lumen intestinal nesse ponto. Optou-se por passagem de stent metálico autoexpansivel no cólon. Paciente apresentou melhoria do quadro de suboclusao

jcoloproctol (rio j). 2017;37(S 1):51-72

intestinal, permaneceu assintomático. Foi a óbito em margo de 2017 por causas decorrentes da neoplasia de páncreas.

Discussao: Uma vez implantados, os stents se expandem lentamente, conseguem assim a permeabilidade da anatomia obstruida. Esse método pode ser usado como uma medida paliativa definitiva ou pode ser usado como tratamento provisório ate a estabilizado do paciente para posteriormente fazer a cirurgia. É bem estabelecido o uso de stents metálicos em obstrucao intestinal, contudo os dados da literatura sobre seu uso por compressoes extrínsecas sao escassos.

Conclusao: Este caso veio corroborar a literatura em relacao a boa eficácia e seguranca na uso de stents metálicos colorre-tais nos casos de obstrucao intestinal.

https://doi.org/10.1016/jocol.2017.09.284 V4-43

CrossMark

PAPEL DA ENTEROSCOPIA POR CÁPSULA NO DIAGNÓSTICO DE LINFOMA FOLICULAR DE ORIGEM GASTROINTESTINAL

Miguel José Mascarenhas Saraiva Jr., Miguel Mascarenhas Saraiva

Laboratório de Endoscopia e Motilidade Digestiva (ManopH), Porto, Portugal

Introducao: O linfoma folicular de origem gastrointestinal é considerado uma doenca rara, típicamente afeta o intestino delgado, representa 1-3% dos linfomas nao Hodgkin gastrointestinais. Apresenta um curso indolente e sobrevida prolongada na maioria dos casos. Nao há consenso em relacao a estratégia diagnóstica e terapéutica mais proficua.

Objetivo: Relatar dois casos de linfoma do intestino delgado, em dois doentes com diagnóstico prévio de SII.

Relatos de caso: 1) Paciente de 54 anos, sexo masculino, diagnóstico de SII com alternáncia obstipacao/diarreia. Endoscopia alta e baixa sem alteracoes de relevo. Considerando a recorréncia sintomática, fez-se uma enteroscopia por cápsula, que evidenciou duas aglomerares de nódulos linfoides, com respectiva localizacao no duodeno distal e na porcao média do intestino delgado. Posteriormente, a endoscopia alta, com maior progressao distal, foi repetida e a biópsia obtida diag-nosticou linfoma folicular. O paciente em questao tem um periodo de seguimento de quatro anos, em que a monitoracao da lesao tem sido feita através de endoscopia alta, ecoendos-copia, enteroscopia por cápsula e endoscopia de duplo balao. A vigiláncia apertada, aprimorada pelas várias técnicas diagnósticas, viabilizou uma atitude terapéutica conservadora watch and see pelo centro hematológico de referéncia. 2) Paciente de 36 anos, sexo masculino, com SII com predominio de diar-reia (SII-D). A ileocolonoscopia revelou hiperplasia folicular ileal, de provável origem reativa de acordo com o relatório anatomopatológico. Com o objetivo de visualizar o intestino delgado, em toda a sua extensao, fez-se uma enteroscopia por cápsula, que evidenciou múltiplas aglomerares nodulares nacaradas do jejuno proximal até ao ileon. A enteroscopia de duplo balao confirmou a suspeita de linfoma folicular de origem GI. O paciente foi referenciado para um centro especializado terciário, seguiu-se o protocolo terapéutico R-CHOP,

com remissao/evolucao controlada por enteroscopia por cápsula e endoscopia de duplo balao.

https://doi.org/10.1016/jj.jcol.2017.09.285 V4-44

NEUROMODULACAO SACRAL PARA TRATAMENTO DOS DISTÚRBIOS DO ASSOALHO PÉLVICO. ASPECTOS TÉCNICOS PARA IMPLANTE EFETIVO

Sthela Maria Murad-Regadasa b c, Lara Burlamaqui Veras a b c, Lusmar Veras Rodrigues a b c, Francisco Sérgio Pinheiro Regadas ab c, Leonardo Robson Pinheiro Sobreira Bezerraa b c, Gonzalo Federico Hagerman Ruiz Galindod, Francisco Sérgio Pinheiro Regadas Filhoa b c

a Unidade Assoalho Pélvico, Hospital Sao Carlos, Fortaleza, CE, Brasil

b Universidade Federal do Ceará (UFC), Fortaleza, CE, Brasil

c Santa Casa da Misericórdia de Fortaleza, Fortaleza, CE, Brasil

d Universidad Panamericana, Cidade do México, México

Objetivo: Descrever os detalhes técnicos do implante do neuromodulador sacral em uma paciente com distúrbios asso-ciados do assoalho pélvico.

Método: Paciente feminina, 69 anos, nulípara, com sintomas de incontinéncia fecal, escore da Cleveland Clinic 12/20, escore de Constipacao da Cleveland Clinic de 10/30 e incontinéncia urinária. A manometria anorretal demonstrou pressoes reduzidas e o ultrassom anorretal sem lesoes esfinc-terianas. Nao apresentou melhoria ao tratamento clinico e ao biofeedback.

Resultados: Foi submetida a Fase I - Implante de Eletrodos na raiz sacral-S3 acompanhada por radioscopia. Paciente em decúbito ventral, com elevacao da regiao lombossacra, sob sedacao e anestesia local. Procede-se a marcacao dos pontos anatómicos, bilateralmente, localizados a 9 cm acima da ponta do cóccix, corresponde a juncao sacriliaca, e na linha média, a 2 cm lateralmente direito e esquerdo onde está posicionado o forame S3. Guiado por radioscopia, introduz-se a agulha a 1,5 cm proximal dessa marcacao, com angulacao de 60°. Verifica-se adequada resposta pelo menor estimulo, que produz melhor resposta motora em glúteos e hálux em cada lado. Segue a introducao do dilatador pelo qual será implantado o eletrodo quadripolar com a curvatura do fio guia orientada lateralmente, ao longo da raiz S3. Permanecem trés eletrodos ao longo da raiz sacral e um no forame S3. Faz-se a tunelizacao da extensao do eletrodo para exteriorizacao na pele contralateral e conexao ao estimulador externo. Segue-se a programacao do paciente com o estimulo que tolerar. Após duas semanas, foi indicado implante definitivo, pois houve melhoria completa de todos os sintomas. O implante definitivo do marcapasso (Interstim II) é feito em decúbito ventral sob sedacao e anestesia local. Após seccao dos extensores externos, conectam-se diretamente os eletrodos com abateria